domingo, 5 de abril de 2020

A FALA DO TRONO

Assistir a "The Crown" diminuiu minha admiração pela família real britânica. A série da Netflix me deu a impressão de que os Windsors são pouco melhores do que mafiosos, capazes das maiores sacanagens para manter seus privilégios. Mas hoje, Elizabeth R mostrou, mais uma vez, que está à altura do trono que ocupa. Tirando os tradicionais discursos de Natal, Sua Majestade deu o que foi apenas seu quinto pronunciamento especial à nação (os anteriores foram, pela ordem, por causa da Guerra do Golfo, a morte de Diana, a morte da rainha-mãe e o Jubileu de 2002). O tema da vez, é claro, foi a pandemia. A fala foi épica. Tecnicamente, Lilibeth é perfeita. Aos 93 anos, ela se mostra muito mais familiarizada com o teleprompter do que certos ex-presidentes em exercício. Sabe dar as pausas certas, com a entonação adequada, e sem usar óculos - imagina o tamanho que essas letras devem ter? O texto também está maravilhosamente bem-escrito. Cobre todas as bases, dos pêsames às famílias enlutadas às coisas boas que o confinamento pode nos trazer. Que inveja dos súditos da rainha. Queria tanto saber como é ter um líder preparado num momento de crise...

21 comentários:

  1. Entrevista no Programa do Ratinho não serve? Post lamentando a morte do MC Reaça também não? Acho impossível te agradar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 18:41 Se pode um asno igual a você lamentando esse embuste. Já está podendo até demais.
      G-

      Excluir
  2. Pena que ela é só chefe de estado. O chefe de governo dela acabou de dar entrada no hospital.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério que sua admiração diminuiu após The Crown?

      Tenho 38 anos, e achava a rainha a pessoa mais sem graça do universo, a coadjuvante de Diana... Pois que homenagem a série faz a ela, sua retidão moral, o contra-ponto ao marido playboy e a irmã hedonista, e vá lá, egoísta. Depois de The Crown: Elizabeth, reine sobre mim!

      Excluir
    2. eu fiquei meio horrorizado com os episódios finais da terceira temporada, quando os Windsors se unem para separar o jovem Charles da jovem Camilla. Deu no que deu.

      Excluir
    3. Sim, mas a rainha não participa, tem uma hora até que ela acha uma escolha viável (isso é que me deixa impressionado com o retrato que fazem dela: ela é uma figura bondosa, mas sempre reflete suas possíveis decisões se o futuro da Coroa ficar em jogo), já a rainha mãe...

      Excluir
  3. Realmente, deve ser muito bom ter um governante, embora ela não seja. Aproveito para mencionar minha querida Angela Merkel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu falei "líder", não governante. A rainha Elizabeth II é a chefe do estado, mas não do governo britânico.

      Excluir
  4. Ai tia que coisa mais colonizada a senhora escreveu! Ta parecendo as gadas reaça! Credo!!!

    ResponderExcluir
  5. Ela não mencionou uma unica vez a palavra governo: que proporciou pela sua incompetência o alastramento da pandemia, continuam a mentir e não sabem o que fazer!
    Igualmente ao Brasil, que governo de merda esses povos foram eleger! Será que desta vez irão aprender?
    O discurso dela foi chazinho das 5 ! Quem arrasou mesmo e ficara eternamente gravado pela historia foi o do Papa Francisco !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela não falou em governo porque não faz parte do governo.

      A rainha não pode criticar publicamente o primeiro-ministro. Isto seria visto como uma interferência indevida da monarquia na política britânica.

      Mas que Boris Johnson errou, errou sim, e rude.

      Excluir
    2. Ela poderia ter citado em seguir as recomendações do governo mas preferiu não dizer A sobre aquela gang que ela odeia, isso ja ficou bem claro!!!

      Excluir
  6. Que delírio Tony, monarquia "sucks", blergh!

    ResponderExcluir
  7. Tony, e Todxs Nós está assistindo?
    Começou com um jeito pretensioso, tipo: sou moderno e vou te educar, no entanto, o capítulo de ontem começou a dar sinais de que pode se tornar uma série legal, embora tenha continuado com a postura didática, no que diz respeito a visibilidade trans.
    E o que é o ator que faz o personagem gay? O ponto alto da série.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vi o primeiro episódio, achei legalzinho e logo me desinteresseu.

      Excluir
  8. É por causa dessa mulher MENTIROSA e MESQUINHA que os maçon$ ESCONDEM as visitas PACÍFICAS extraterrestres fazem DÉCADAS!!!

    Porque dar ouvidos há uma pessoa VIL dessas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mono rainha!!Enquanto lia só pensava em você, Mono!! Como você não gosta da Beth,estava ansioso para chegar nos comentários.

      Excluir
    2. Em 15 de Agosto de 2002 um aeroglifo ("crop circle") de extrema complexidade apareceu em Crabwood, Hampshire UK.

      Era uma figura de um "alien" segurando um disco com uma mensagem binária que continha os seguintes dizeres:


      “Beware the bearers of FALSE gifts and their BROKEN PROMISES. Much PAIN but still Time. (damaged word – probably BELIEVE). There is GOOD out there. We Oppose DECEPTION. Conduit CLOSING (BELL SOUND).”


      O que voce acha que eles quiseram dizer com isso?

      PS - E QUEM escreve nesse estilo?? ;)

      Excluir
  9. Pessoal vocês não perceberam que a coroa Britânia está “investindo” em séries e documentários sobre o seu reinado. The crown é patrocinada pela própria coroa britânica, e reflete a opinião que eles desejam sobre eles mesmos. A Inglaterra é um país que sobrevive graças ao commonwealth (muitos brasileiros nem sabem o que é), e seu novo investimento na economia é transformar a tristonha ilha, em um paraíso fiscal ...para isso se utiliza da mídia (popularizar seu país)...quem viver verá!!!

    ResponderExcluir