domingo, 9 de fevereiro de 2020

NA CAVERNA DO OSCAR

Ontem foi o dia de nos atualizarmos o máximo possível em algumas das categorias menos badaladas do Oscar, como curtas-metragens em animação e "live action". Meu marido e eu nos sentamos diante da TV e assistimos a quase tudo o que estava ao alcance do controle remoto. Antigamente isto seria impossível: só um ou outro desse tipo de filme chegava por aqui em mostras e festivais, sem maior repercussão. Hoje tem muitos no YouTube e no streaming, na íntegra. Abrimos os trabalhos com "A Caverna", indicado a documentário em longa-metragem. O filme está sendo exibido pelo canal National Geographic, e nós o havíamos gravado na noite anterior. É um retrato aterrorizante da guerra civil da Síria. Foi rodado em um  hospital subterrâneo construído ao longo do conflito sob um subúrbio de Damasco, fortemente bombardeado pelas forças da ditadura de Assad com apoio dos russos. A personagem principal é a dra. Amani, que parece ter aberto mão de qualquer resquício de vida pessoal para se decidar aos feridos, muitos deles crianças. As imagens captadas na Síria eram enviadas pela internet para a Dinamarca, onde "A Caverna" foi montado - por isto, tecnicamente, o filme é considerado dinamarquês. Não é entretenimento nem divertido de ver, mas é obrigatório. Agora só me falta ver um dos cinco indicados nesta categoria: "For Sama", também sobre a guerra da Síria, disponível no Brasil apenas para os assinantes do canal Philos. Vencedor do Bafta, também é um dos favoritos para logo mais à noite. Dos que eu já vi, "Democracia em Vertigem" ainda é o melhor.
Rebatemos o amargor de "A Caverna" com a doçura de "Hair Love", o favorito na categoria curta em animação. Tecnicamente, o filme não traz nada de novo. Mas tem temática afro-americana, o que sempre ajuda, e é fofo a mais não poder. 
Outro que é uma graça é "Kitbull", um raro trabalho da Pixar em 2D (embora técnicas de 3D sejam usadas nos cenários). É raro a Pixar sair de mãos vazias, e comenta-se que seu "Toy Story 4" não tem muitas chances como longa. Veremos.
Daí passamos para os curtas de ficção. Gostei bastante de "The Niegihbor's Window", sobre uma mulher casada com três filhos e muito stress. Ela morre de inveja dos vizinhos do prédio em frente, que trepam o tempo todo. Recomendo.
Também gostei bastante de "Nefta Football Club", sobre dois irmãos que encontram um burro zanzando pela fronteira entre a Argélia e a Tunísia. O curta também está indicado ao César da categoria, pois é uma coprodução francesa.
Outro que vem da Tunísia é "Brotherhood", que eu só achei nesta versão sem legendas. Pesquei que o pai não gosta quando seu filho mais velho reaparece com uma esposa a tiracolo, mais nada. Algum dos meus leitores falaria árabe?
Só hoje eu descobri que "Walk Run Cha-Cha" também está dando sopa no YouTube. Vou tentar ver ainda hoje. E, se quiser saber meus palpites, acompanhe o live blog do Oscar na Folha online, do qual eu participo a partir das 20h30.

Nenhum comentário:

Postar um comentário