domingo, 23 de fevereiro de 2020

A BELA SINTRA


"Frankie" é um título enganoso. O filme estrelado por Isabelle Huppert está mais para um ensemble, em que todos os integrantes do grande elenco têm suas próprias histórias. São até histórias demais, de variados graus de interesse. A protagonista é uma famosa atriz francesa, desenganada por causa de um câncer avançado. Ela então reúne a família em Sintra, Portugal, para uma última temporada juntos: o primeiro marido, o filho que tiveram, o segundo marido, a filha deste, com o marido e a filha, e mais uma amiga jovem que ela quer empurrar para o filho. Mas a amiga traz um namorado, a filha do marido está se separando e ninguém está se divertindo. O roteiro escrito pelo diretor Ira Sachs junto com o brasileiro Mauricio Zacharias perde um tempo enorme com a adolescente, que vai à praia sozinha, arranja um namoradinho português e ponto. Os diálogos soam forçados: parecem ter sido escritos em outra língua (português?), e depois traduzido para inglês ou francês por alguém não muito fluente. Salva-se a beleza de Sintra, que poderia até ter sido mais explorada, e a luminosa Marisa Tomei. Além, é claro, da própria Isabelle, mais uma vez fazendo o papel de si mesma - nem cortar o cabelo ela corta, para se adequar ao papel. Mas empresta seu star quality e seu eterno ar de superioridade intelectual a mais um filme menor. Já passa da hora de fazer outro à sua altura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário