quarta-feira, 8 de janeiro de 2020

OS CÃES LADRAM E A GUERRA PASSA

Muitos cachorros atrás, eu tive um que, durante os nossos passeios pelo bairro, adorava latir para um colega de uma casa vizinha. Os dois se esgoelavam com ferocidade assustadora. Um belo dia, o portão da casa do outro estava aberto, e de repente os arqui-inimigos se viram frente a frente, sem nenhuma grade para separá-los. Evidentemente, ninguém soltou um pio. 

Foi mais ou menos isto o que aconteceu entre Estados Unidos e Irã nos últimos dias. Trump e Khamenei podem parecer desequlibrados, mas uma guerra não está no interesse de nenhum deles. 

Um resumo da ópera e alguns palpites do que está por vir:

1) A quase-invasão da embaixada americana em Bagdá acendeu uma luz vermelha na Casa Branca. Houve temores de que se repetisse o episódio de Benghazi, em 2011, que, anos depois, foi explorado eleitoralmente contra Hillary Clinton. Também consta que havia inteligência apontando que os iranianos iriam mesmo atacar um ou mais diplomatas americanos. Antes de ser tachado de ineficiente, e de olho nas urnas de novembro, Trump preferiu agir antes.

2) A morte de Qassim Souleimani veio a calhar para os aiatolás. Unificou a nação, que, em 2019, presenciou protestos maciços. Agora a maioria do povo está novamente apoiando o regime teocrático. No mais, nenhum país até hoje atacou uma instalação militar americana e ficou por isto mesmo; agora o Irã pode se gabar internamente de ter metido medo nos corações dos infiéis.

3) Claro que há o risco de uma milícia xiita cometer alguma loucura. Tampouco nada garante que Trump agirá novamente com a tranquilidade que exibiu no discurso de hoje. Se houver mortes americanas, o pau vai comer para valer.

4) A estratégia imperialista iraniana é totalmente equivocada. O país gasta um dinheiro que não tem para interferir na Síria, no Líbano, no Iraque e no Iêmen, enquanto seu povo passa por todo tipo de necessidade. A médio prazo, essa política voltará a gerar revoltas, como gerou no ano passado.

5) Suspeito que Trump saiu como entrou nesse imbróglio. Não perdeu eleitores, mas também não ganhou nenhum. Sua reeleição está longe de ser garantida, por melhor que vá a economia: com rejeição acima de 50%, basta ele perder poucos votos em uns três estados importantes para enfiar a viola no saco. Por tudo isso, não é impossível que o Alaranjado invente em breve um fato novo.

6) Biroliro perdeu mais uma oportunidade de ficar calado. Ignorou os apelos e demonstrou novamente sua submissão a Trump, que ainda não trouxe uma única vantagem para o Brasil. Em compensação, o Irã se encrespou, o que pode prejudicar nosso agronegócio. Agora que o risco de uma guerra se dissipou, o Despreperado terá que elaborar outra desculpa para faltar ao Forum de Davos. Tudo o que ele não quer é passar pelo mesmo vexame do ano passado, tadinho.

10 comentários:

  1. aqui a gente passa necessidade e pra onde vai nosso dinheiro? Pros bancos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Sua reeleição está longe de ser garantida, por melhor que vá a economia: " Índice de bolsa alto, q Trump E Bozo se gabaM, não é economia real. Desemprego baixo q Trump se gaba, não mostra q americanos tem até 3 empregos diferentes para se sustentar. E as regiões onde Trump ganhou q são conhecida por terem passado por processo de decadência econômica são as mesmas q estão fechando com Bernie e se o partido democrata permitir, tudo indica q ele vai levar!
      Nick

      Excluir
    2. os EUA sempre tiveram um nível de desemprego baixo, no Brasil o desemprego é mantido em 10% pra mais para manter os salarios baixos, quando chegamos no pleno emprego com a Dilma lembra do minixtro Levy falando em demitir em massa? é isso...os donos do caputal não estão nem aí pra você.

      Excluir
  2. Bernie meu candidato! O que eu acho...matar uma pessoa desse jeito com um robo? É muito thughish sem dúvida parte dessa nova fase do capitalismo, se nos atrapalhar a gente mata, guerras sempre tem uma motivação financeira e dada as proporções me lembra muito o brutal assassinato da Marielle Franco 650 dias sem resposta o mundo virou uma grande máfia não existe mais lei, pra nada....

    ResponderExcluir
  3. Você já viu isso Tony? Vivemos em prisoes a ceu aberto https://www.youtube.com/watch?v=hIXhnWUmMvw

    ResponderExcluir
  4. To passado como os jornalistas da jovem Pan sao parciais...defendem tudo da direita, e olha que eu nao sou nem nunca fui de esquerda.

    ResponderExcluir
  5. Seu amigo pavineto é bonito,mas faz tudo para se aparecer e queima a cara falando bobagem.

    ResponderExcluir
  6. A alegação do Trump de que tinha informações sobre possíveis ataques a diplomatas é balela. Não há provas a serem apresentadas. Ele apenas aproveitou a hora certa, logo após o tumulto na embaixada, pra dar o golpe fatal que os EUA querem dar há anos. Suleimani era um entrave para a hegemonia americana no Iraque. O que Trump disse também sobre o general iraniano ter matado centenas de americanos também é bobagem sem provas. Desculpas esfarrapadas. Mas o Trump não tá nem aí, ele só diz as "motivações" por protocolo do cargo. Suleimani liderava, junto com forças americanas e iraquianas, o combate ao Estado Islâmico. Ele foi um dos rsponsáveis pela dissipação do grupo. Por isso não colou também a imagem de terrorista que os EUA querem que o mundo engula por goela abaixo. É tudo um jogo de interesses dos americanos, de Israel, da Arábia Saudita, e, do outro lado, dos iranianos, da Rússia, Síria, e, meio por fora, da China.

    ResponderExcluir
  7. parece cidade de deus, ou seja, briga de traficante de favela e não entrave entre 2 estados. Triste e patético e totalmente criminoso isso foi um assassinato, vi um comentarista dizer que passou por 40 anos de guerra fria e nunca viu general ser assassinado principalmente desse jeito por controle remoto. RIP USA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pare de acreditar em tudo que os maçons contam.

      É igual o Bin Laden sendo "assassinado" e "sepultado" no mar.

      ACORDA!!!

      Excluir