terça-feira, 21 de janeiro de 2020

BYE BYE NAI NAI


Consegui ver no avião para Miami um filme que estava há meses na minha lista: "The Farewell", uma comédia dramática que estava cotada ao Oscar e acabou não sendo indicada para nada. Pelo menos, a protagonista Awkwafina ganhou o Globo de Ouro de melhor atriz em filme cômico - mas nem isto animou os distribuidores a lançar o filme no Brasil. Talvez porque o elenco inteiro seja de origem asiática e 70% dos diálogos sejam em chinês? Ou porque o espectador médio só tenha espaço para um longa oriental por ano, e esta vaga foi preenchida por "Parasita". Uma pena: apesar da distância cultural, "The Farewell" conta uma história que toca fundo. O roteiro é baseado em uma prática comum na China: quando uma pessoa é desenganada pelos médicos, os parentes não contam a ela que tem pouco tempo para viver. Assim poupa-se mais sofrimento, acreditam. Mas isto vai contra a cabeça ocidental de Billi, criada nos EUA  mas ainda muito apegada à avó que ficou em Changchung. Ela viaja com os pais sob o pretexto de um casamento, mas estão todos indo ver a matriarca pela última vez - ou nai nai, como eles a chamam. Não dá para ser mais básico do que isso, mas a diretora Lulu Wang cria um filme sofisticado, com excelente uso de trilha sonora e uma edição que nunca resvala para a pieguice. Tomara que "The Farewell" chegue logo ao Brasil, via streaming ou mesmo download ilegal. Em casos como este, a pirataria está liberada.

12 comentários:

  1. Pra constar, caiu na pirataria. Filme belíssimo, delicado, envolvente. O trecho final inesperado de fechar com chave de ouro.

    ResponderExcluir
  2. Ah quem possa interessar, no grupo "Sétima Arte" no face tem o filme ;)

    ResponderExcluir
  3. Lamentável uma obra deste porte não estrear no circuito comercial nem alternativo nem stream. Pérola de filme.

    ResponderExcluir
  4. vc já viu o japonês ‘Departures’? nunca chorei tanto vendo um filme

    ResponderExcluir
  5. Eu gosto das comedias chinesas originais tanto da China democrática quanto da China que finge ser democrática. Uma curiosidade: Nainai (奶奶) é a avó por parte de pai. Por parte de mãe é waipo (外婆).

    ResponderExcluir
  6. Vergonhoso o papel da Folha publicando texto de qualquer um, sem qualquer critério e controle. E ainda quer se isentar da responsabilidade. A coluna foi parar lá sozinha, né? Aí pede desculpas. Mas tomar um baita de um processo da Maiara e Maraisa. Cadê tua voz, Tony? Ficou mudo? Tá isolado do mundo e não tá sabendo de nada?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está para nascer o anônimo com poder de me cobrar alguma coisa.

      Excluir
    2. Parabéns Tony! Não sabia que você tinha virado o dono da Folha de São Paulo ao ponto de precisar responder por ela.

      Excluir
    3. Qual é a fofoca que eu perdi? processo por qual motivo?

      Excluir
  7. Já frequentou o forúm pra gays Pandlr?

    ResponderExcluir