sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

PUTA FILME


Como é bom ver um filme sobre strippers que não explora os corpos das garotas, nem as trata como coitadinhas ou burraldas. "As Golpistas" é quase um Scorsese feminino, em que quase todos os personagens são mulheres. E mulheres safadas, no sentido mais amplo do termo. Donas de si mesmas, sem remorsos, mas também com uma moral bastante flexível. Quando os tempos ficam (mais) bicudos, essas bailarinas de pole dance não hesitam em drogar seus clientes e surrupiar seus cartões de crédito, na certeza de que poucos irão reclamar depois. No meio de tudo está, claro, Jennifer Lopez, mais J. to the Lo do que nunca. Esplendorosa aos 50 anos de idade, ela aprendeu a fazer amor com o poste e dá aulas de sedução e esperteza a todas as meninas. Vai ser finalmente indicada ao Oscar, depois de mais de duas décadas na batalha. O brilho de sua estrela quase ofusca Constance Wu, que faz a verdadeira protagonista da trama, mas ninguém está disputando holofotes. "As Golpistas" também é uma história de sororidade, com a mulherada se unindo contra o sistema machista e o capitalismo selvagem. E ainda tem Cardi B, que foi stripper na vida real, e Lizzo, sacudindo o corpanzil como se nada. Escrito e dirigido por Lorene Sacafaria, o longa já é um marco no modo como as mulheres se retratam a si mesmas na telona. Divertido feito uma noite de putaria, com a vantagem de que dá para lembrar depois.

5 comentários:

  1. Off topic sobre sua coluna do F5.
    Não sou fã das comédias do Falabella, mas acho que é muito difícil, sem acrescentar nada novo, adaptar (e deixar interessante) uma história que todo mundo já ouviu falar.

    Porém, concordo que ele se perdeu. Não percebeu que, enquanto no Twitter o pessoal acha engraçado o fato de uma ter matado ao menos 5 cachorros da outra, numa comédia visual isso não cola.

    ResponderExcluir
  2. Venho acompanhando a - ao que tudo indica - futura Sra. Alex Rodriguez, Jennifer Lynn Lopez, ao longo de sua carreira. Sou fanzaço. Sigo até @JLo no TW! Está sempre devastadoramente deslumbrante! A produção anterior que assisti dela foi o longa de 2018, "Second Act", rebatizado no longínquo território tapuia como "Uma Nova Chance": um drama romântico mediano sobre superação pessoal e habilidades sociais, que não demora a entrar em cartaz na Sessão Vai Tarde e só se salva da fogueira dos tomates, pela atuação demolidora de J. Lo. E como bom JLo-maníaco que sou, adquiri "Hustlers" recentemente pela Amazon e já assisti, eliminando totalmente o retrogosto de reprise vespertina deixado por "Second Act" e pretendo revê-lo pelo menos outra meia-dúzia de vezes, porque é um filme pra se esbaldar. Com respeitos devidos à - formidável, sob todos os aspectos - Srta. C. Wu, é realmente orgástico ver J. Lo simplesmente sobrando e se apoderando do filme; na minha opinião, é a única quem realmente atuou na película - e ainda despertou rumores entre espectadores e crítica, como a que aventa ter sido usada uma dublê para ela nas cenas de pole-dancing, pois recusa-se a crer que uma pós-balzaquiana seja dotada de um tal "corpázio" tão absolutamente enxuto e delicioso. Aclamado pela crítica, recebe minha cotação 5 polegares para cima. Dois das duas mãos, os dedões dos dois pés e... bem, o resto fica por conta de sua imaginação. Recomendadíssimo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não foi se tratar, incel?!

      Vai se tratar enquanto o matriarcado não domine de vez a nossa sociedade! rsrs

      Excluir
    2. Vc tem um nível intelectual bacana. Mas será que toda vez que vc escrever tem que ser textao.

      Excluir
  3. Ah, seu Heitor, o Sr. é tão pueril e repetitivo... e cooldude, tenho a solução para todos os literariamente preguiçosos: basta... não ler! Cordiais saudações a todos!

    ResponderExcluir