sábado, 14 de dezembro de 2019

PELA PORTA DOS FUNDOS

Em seus últimos momentos na cruz, prestes a expirar, Jesus Cristo recebe uma visita. Um anjo aparece para lhe retirar os pregos dos pés e das mãos e ajudá-lo a descer. Jesus, então, vai embora do Gólgota e passa a levar a vida de um ser humano qualquer. Primeiro ele se casa com Maria Madalena, mas ela morre depois de alguns anos. Aí Jesus forma um trisal com as irmãs Marta e Maria, e tem um monte de filhos com elas.

Um dia, ele encontra o apóstolo Paulo pregando em praça pública, falando do Messias que morreu na cruz para nos salvar. Jesus tenta avisar que não foi bem assim, mas Paulo o enxota dali. Finalmente, já bem velhinho, Jesus recebe os discípulos em seu leito de morte. É então que Judas, o eterno estraga-prazeres, o admoesta: “você foi covarde, desceu da cruz, não cumpriu sua missão”. O anjo, na verdade, era Satanás. Arrependido, Jesus implora a Deus por uma segunda chance. E o Pai atende o pedido do Filho: Jesus rejuvenesce e volta a agonizar na cruz, finalmente aceitando seu destino.

Este é o final do filme “A Última Tentação de Cristo”, de Martin Scorsese, baseado no livro de Nikos Kazantzakis. As duas obras causaram celeuma quando foram lançadas, chegando a ser proibidas em diversos países. E isto apesar da trama, assumidamente ficcional, reafirmar a divindade de Jesus Cristo e a importância de seu sacrifício para a salvação da humanidade. Mas a ideia de um Jesus com desejos sexuais, como qualquer outro ser humano – afinal, ele era tão homem quanto Deus – é demais para a cabeça de muita gente.

Em 1988, o filme de Scorsese teve sua exibição proibida na cidade de São Paulo pelo então prefeito Jânio Quadros, uma das maiores bostas que a política brasileira produziu em todos os tempos. Trinta e um anos depois, vemos setores obscurantistas da sociedade reagirem da mesma maneira diante de uma obra com título semelhante: “A Primeira Tentação de Cristo”.

O novo especial de Natal do Porta dos Fundos para a Netflix mantém a saudável tradição de grupo de zoar não exatamente com a religião, mas com a maneira como as pessoas lidam com ela (atenção, não é a mesma coisa). O do ano passado, que mostrava um Jesus desonesto e beberrão, ganhou até o Emmy Internacional, mas não despertou maiores repulsas. O de 2019 sugere que Jesus era gay, e abriram-se as portas do inferno.

Jesus volta de um período de 40 dias no deserto e é recebido com uma festa-surpresa pelo seu aniversário de 30 anos. Seus pais José e Maria decidem então que é hora de revelar que, na verdade, seu pai biológico é o próprio Deus, que Jesus cresceu achando se tratar do Tio Vitório. Para complicar, Jesus trouxe para casa um amigo que fez no deserto: uma bicha louca chamada Orlando, que o chama de “Dji”.

A partir daqui vem spoiler. Não consigo apresentar minha conclusão sem falar como termina o especial. Pare por aqui se não quiser saber.

Muito bem, prossigamos. Deus conta para Jesus que ele é o Messias e deve salvar a humanidade. Mas Jesus se recusa: está caidinho por Orlando e quer levar uma vida normal. Só que... Orlando, na verdade, é Lúcifer. Disfarçou-se para tentar Jesus no deserto – exatamente, aliás, como dizem os Evangelhos. Lúcifer derruba Deus, rapta Maria e acaba com a alegria dos convidados. O recalcitrante Jesus, então, aceita sua missão divina e peita o demônio. E o destrói.

Tanto Fábio Porchat (que assina o roteiro e interpreta Orlando) como Gregório Duvivier (que faz Jesus) são ateus assumidos. Por isto eu me surpreendi que este especial produzido pelos dois, que tanta polêmica vem causando, seja, na verdade, um libelo que confirma toda a teologia cristã.

Isso mesmo. “A Primeira Tentação de Cristo”, assim como “A Última”, reafirma a divindade de Cristo e a importância de sua missão. Só ele consegue livrar a humanidade de Satanás. Também garante que Maria era virgem, o mais tolo dos dogmas.

Tudo isso com muita galhofa, é claro. Um dos Reis Magos traz uma puta para a festa. José é um babaca que põe passas no arroz e maçã na maionese. Uma tia mais velha chamada Lupita (!) não tem o menor problema em ser racista. O verdadeiro alvo das piadas não é a fé, mas os conflitos e contradições que existem dentro de qualquer família – e que vêm à tona na época do Natal.

Quem critica “A Primeira Tentação de Cristo” não deve ter visto o especial até o fim. Parou na primeira insinuação da homossexualidade de Jesus, ou então só ouviu falar. Sequer apertou o play e já saiu por aí reclamando.

Esse programa, na verdade, é um instrumento de pregação religiosa. Uma obra de evangelização. Quem diria, hein? Porchat e Duvivier entraram pela porta dos fundos para nos catequizar.

39 comentários:

  1. "só ouviu falar"... Isso é o que move a raiva e os julgamentos da internet.

    ResponderExcluir
  2. com certeza não vou assistir, descobri que tenho uma nota baixa no Uber me pergunto se com a policia secreta é assim eles te dao uma nota baseada no seu nivel de submissao a loucura brasileira ou rebeldia, eu acho que é e lá devo ter uma nota ruim também...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na Trip especial China uma pesquisadora da USP admite que o Brasil tem o mesmo sistema de vigilância da China e lá eles avaliam as pessoas por pontos dependendo dos seus pontos a polícia secreta facilita ou dificulta a sua vida, eu sou um exemplo vivo disso é como o filme do Marighela na ancine dizem que foi burocracia mas é atuação da ABIN.

      Excluir
    2. Anônimo das 14:54 por favoor fale mais sobre isso.

      Onde encontro essa reportagem? Não achei buscando pelo google.

      Curiosíssima para saber mais

      Excluir
    3. Revista trip do mês passado

      Excluir
  3. Muitos motoristas homofóbicos dão notas baixas a LGBT’s esteriotipados, por motivos de... de nada. Não taquem pedra no mensageiro.

    ResponderExcluir
  4. Achei Orlando tão Abba. Quando saem do quarto e ele assumiu o controle dos teclados, jurei que estaria tocando “Dancing queen” ou algo do tipo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tive exatamente essa impressão !!! Kkkkkkk

      Excluir
  5. O especial é ótimo. É tão bom que passa rápido.

    ResponderExcluir
  6. uma das maiores bostas que a política brasileira produziu em todos os tempos. E OLHA QUE BOSTA POLITICA EH UMA ESPECIALIDADE BRASILEIRA

    ResponderExcluir
  7. Se tá liberado fazer gracinha com Jesus, defender o achincalhe com a fé alheia, ninguém pode mais reclamar de piada de gorda ou de gay, deixou de ser discurso de ódio, certo? ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa! Até parece que foi a gente que começou!!

      Temos sidos MORTOS por esses "cristãos" (NÃO MATARAS!) HIPÓCRITAS A MILÊNIOS!!!

      Vai lamber bota de "macho" MARICONA CHUPADORES DE ROLA AVANTAJADA *SOMENTE* DE TRAVESTIS VAI!!!

      RIDÍCULA!!!

      Excluir
    2. Anonimo retardado, a gorda, o gay, o negro não escolheram ser o que são. Já vc é cristão porque quer. É ignorante porque quer. É difícil entender isso? Tapado.

      Excluir
    3. A extrema-direita está sempre procurando uma desculpa para justificar o discurso de ódio.

      Não, anônimo das 17h22, não tá liberado não. Volte para o seu estábulo.

      Excluir
    4. Mas o outro anônimo tocou num ponto: como reclamar de uma mera piada de gorda agora? Se a gente pode zoar o deus dos caras, apontar o dedo pra piada com característica física vira hipocrisia.

      Excluir
    5. Repetindo o que já foi dito aí em cima: características físicas raramente são opcionais.

      Religião sempre é.

      Excluir
  8. Tony excelente texto,concordo que a intencao do Porta dos Fundos não é zombar da religião em si,mas da forma como ela é pregada,tanto que o Gregório Duvivier indicou no Twitter cristãos que pregam o amor, só não concordo quando disse que Maria ser virgem é um dogma tolo,eu sou católico e não acho que minha fé seja tola,pode ser absurdo ao nível racional,mas eu me sinto bem acreditando nisso,não me sinto um tolo por crer assim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu digo que é tolo porque uma mulher não precisa ser virgem para ser santa.

      Os Evangelhos falam em irmãos de Jesus. A Igreja atual dá piruetas para justificar esses irmãos, mas eles estão lá no texto original, com todas as letras.

      A palavra original em aramaico para descrever Maria é "jovem". Foi na tradução para o grego que virou "virgem".

      Esse dogma causou um enorme mal durante dois milênios. O cerne do Cristianismo é o amor ao próximo. O resto não importa.

      Excluir
    2. Cristianismo é o amor ao próximo? O que está acontecendo com vc Tony... Agora que está ficando velho e mortalidade mais perto vc amoleceu pra religião?

      "Cristianismo é o amor ao próximo" essa religião maldita prega homofobia, misoginia, morte, guerras. "O tal do amor ao próximo" é só pra ovelhas obedientes sem questionar. Está agora igual aos religiosos que só pegam a parte bonitinha da bíblia?

      Excluir
    3. Sim, a essência do Cristianismo é o amor ao próximo. Jesus resume tudo em dois mandamentos, que ele diz serem parecidos: "Amarás a Deus acima de todas as coisas" e "Amarás ao próximo como a ti mesmo".

      E atenção: Cristianismo não é sinônimo de Igreja Católica, nem de qualquer outra igreja.

      Excluir
    4. (Só vim pra comentar que não se considera que Maria seja santa por ser virgem, a Igreja católica reconhece canonicamente como santas várias mulheres (e homens) que não eram virgens. Este dogma é questão da profissão de fé católica em específico, não há como discutir 'racionalmente', apenas se aceita pela crença de que são verdades reveladas pelo Espírito Santo. Assim como se aceita a sua assunção ou imaculada conceição, etc.

      Agora, aceitar PESSOALMENTE não é impor sobre o outros, principalmente colocando esses 'detalhes' do catolicismo acima dos fundamentos cristãos, caridade e 'amor ao próximo' (TODO próximo, não só os cidadãos de bem, brancos, héteros da bolhinha). Desculpa falar do que você já sabe, só comentando para pessoas que não conhecem a catequese católica não sobreporem virgindade/santidade, isso causa sim um monte de problemas há séculos. É de lascar.

      MUITO grata pela review do especial, tá na minha lista para conferir em breve! Abs)

      Excluir
    5. Na realidade ela é controlada pelos pastores/padres que propagam esses contos bíblicos inventados por pessoas que não sabiam nem o que é uma bacteria ou estrela ou DNA, relatividade, física quântica etc...

      Excluir
    6. Não estaria tão seguro assim! Vi na internet que a Cruz de Malta dos Templários é uma representação em 2 dimensões da aparência molecular do próton.

      Ou algo do tipo! Muito interessante.

      Esse povo todo tem conhecimento OCULTO das intervenções extraterrestres na Terra.

      O Teatro da Kodak em Los Angeles tem Enki e Elil como estátuas na sua frente...

      Excluir
  9. Lixoooo de produção cara babaca, #portadofundoslixo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pq vc acha isso?

      Excluir
    2. Boa, anônimo das 23h35, a melhor maneira de quebrar esses tapados é exatamente assim... perguntando as razões, porque em discursos copiados essas razões, normalmente, não existem.

      Excluir
  10. Tony
    Parabéns! Excelente texto. Como ainda há muito olhar pobre, de curta visão e pouca sensibilidade para acharem o vídeo ofensivo e perigoso! Achei ótimo! E, de fato, reforça muito a crença e de Jesus como o homem de bem vencendo o z Lúcifer mal. E expõe as pequenas hipocrisias do dia a dia presentes também no Natal. Parabéns! Curti muito.

    Cláudio Niterói (risos)

    ResponderExcluir
  11. Legal mesmo é gerar crítica e ganhar dinheiro com isso. Quem e cristão de fato sabe que Jesus era um ser comum feito homem, mas especial por sua obra, os textos e tudo que temos como escrituras são um pouco parábolas e assim tem sido propagadas durante séculos, e notório o bem que isso trouxe para a humanidade. Por isso acho fora de propósito num mundo tão vazio de valores trazer dessa forma o assunto a mesa. Vamos tentar unir mais as pessoas. Natal e tempo de paz. E isso é fantástico tanto que até os ateus o festejam.

    ResponderExcluir
  12. Cancelei minha assinatura na Netflix após assistir a essa nojenteza. Não tem arte, não tem nada a acrescentar. Muito ruim mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu diria “já foi tarde”, mas como todo religioso é hipócrita, eu duvido que tenha cancelado mesmo!!! ... rsrs

      Excluir
    2. Assine a Amazon e veja séries como "Good Omens" ou "American Gods".

      (risos)

      Excluir
  13. Bom
    Eu acabei assistindo mais por curiosidade por causa do rebuliço que causou.
    Mas nem cheguei a ver o Jesus gay, já achei um porre...
    Parei de ver.
    Daí, passando no face mais posts, mais posts, daí não sosseguei enquanto não terminei de assistir.
    Assim, confesso que não fiz essas leituras todas que você fez, sobre que ele pode no fim das contas confirmar coisas da fé, mas pra mim realmente é um humor todo tempo baseado nuns bate-bocas, barraquismo, etc. No meu ver, não vale o rebuliço que causou.

    Mas fiquei a fim de ver a última tentação de Cristo, que ainda não vi, e
    Mesmo agora já sabendo o final 🙈

    ResponderExcluir
  14. Repugnante. Esgoto puro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A divindade de Jesus é repugnante? Porque essa é a mensagem do especial (que você não viu, né?)

      Excluir
  15. As duas filhas de Ló, deixando-o bêbado e fazendo sexo com ele, são parte do motivo pelo qual cancelei minha assinatura da Bíblia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As filhas de Noé.

      As de Ló viraram estátuas de sal.

      Excluir
    2. Tony, me meti em uma discussão com um crente hoje e tive que pesquisar: foram realmente as filhas de Ló que treparam com o pai. Aliás, vale a pena dar uma olhada na quantidade de sites que discorre sobre o tema, com as desculpas mais fantáticas para o fato de deus ter aprovado esta abominação. Minha desculpa preferida é a de que "o que hoje é abominação, não era para o homem da época". Isso na própria história em que deus destruiu Sodoma e Gomorra, sabemos bem o porquê. Ou seja, pelo jeito o argumento só vale quando convém. Bjs.

      Excluir
    3. Sim, é isso mesmo. Confundi com o episódio em que Noé toma um porre, tira a roupa e dança pelado, depois que as águas do dilúvio baixam.

      O Antigo Testamento é um manual de instruções para os judeus de três mil anos atrás. Levá-lo ao pé da letra nos dias de hoje é uma perda de tempo.

      Excluir
  16. Algumas dessas pessoas realmente não estão vivendo na realidade e, se agissem da maneira que agem sem um escudo religioso, seriam hospitalizadas. Mas se seus delírios são religiosos, todos são legais com isso.

    ResponderExcluir