quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

MEUS FILMES DE 2019

O ano foi ótimo... no cinema. Fui fazer a minha lista dos 10 melhores filmes do ano e, quando dei por mim, já eram 25. Veio coisa boa de todo lado: de Hollywood, do Brasil, da Geórgia, da Coreia, da Netflix. Pela primeira vez, títulos realmente importantes só puderam ser vistos no streaming. 2019 ainda foi glorioso para o cinema nacional, com prêmios em todos os festivais importantes, mas também foi o ano em que o desgoverno de plantão fez o que pôde para acabar com nossa indústria do audiovisual. Temo pelo que (não) vem em 2020. A seguir, em ordem de preferência, meus favoritos do ano que ora finda:

1) PARASITA
O vencedor do Festival de Cannes também é o franco favorito para o próximo Oscar de filme internacional, e fez por merecer. O novo longa do sul-coreano Bong Joon-Ho consegue ser popular, consequente e surpreendente, tudo ao mesmo tempo. O que poderia ser uma premissa cômica para a novela das 19h - família de vigaristas consegue emprego em uma mansão - vira uma fábula sombria sobre a desigualdade.


2) ERA UMA VEZ... EM HOLLYWOOD
O nono filme de Quentin Tarantino também é o melhor de todos, o que não é dizer pouco. O diretor reconstrói a Los Angeles de 1969 em cores vibrantes e ainda reescreve a história. Só não está no topo da lista porque não toca no tema do ano - a desigualdade social - mas é um libelo divertido contra o fanatismo e a boçalidade.

3) BACURAU
Será que ainda estaríamos no páreo do Oscar se o filme inscrito fosse de fato o melhor brasileiro do ano? O longa de Kléber Mendonça Filho e Juliano Dornelles é uma fábula alucinada e sangrenta, que alguns dispensaram como simplista ou maniqueísta. Não captaram a ironia e as referências pop da obra, ou ainda não estão incomodados com o Biroliro. Porque "Bacurau" é isso: um grito de desabafo contra um governo proto-autoritário. O filme certo na hora certa.

4) CORINGA
Quem lê esse blog sabe que eu sou que nem o Scorsese: não curto filme de super-herói. Mas a influência scorseseana é óbvia nessa história de origem do maior inimigo do Batman, com Joaquin Phoenix superando Heath Ledger no papel que deu a este um Oscar póstumo. Junto com "Parasita" e "Bacurau", "Coringa" forma a grandiosa trilogia anti-desigualdade de 2019.

5) DOIS PAPAS
O Ratzinger não é tão fofo nem o Bergoglio tão santo como faz crer o filme de Fernando Meirelles. Os dois pontífices tampouco se encontraram para trocar confidências antes da renúncia do primeiro, mas não importa. Os bastidores da Igreja, os diálogos precisos, os atores gloriosos, tudo funciona como que por bênção divina. Gostoso feito pizza com Fanta.

6) DOR E GLÓRIA
Não é o meu Almodóvar predileto, mas seus melhores momentos talvez sejam o auge de toda a carreira do diretor. Antonio Banderas está sublime como o alter ego Salvador Mallo, e a meditação sobre o período que vai do florescer da sexualidade à melancolia crepuscular é mesmo de pegar de jeito o espectador. No dia nem gostei tanto, mas aos poucos o filme cresceu em mim.

7) DOWNTON ABBEY
O ciclo de uma das melhores séries da década se fechou com um longa irretocável. Uma volta olímpica para todos os personagens, que se dividiram entre uma dezena de tramas paralelas e ainda enfrentaram juntos o maior white people problem de todos os tempos - o rei vem visitar! E agora? De quebra, uma das melhores frases de Lady Grantham: "eu não discuto, eu explico".

8) VICE
Donald Trump é uma figura execrável, mas a gente se esquece que, antes dele, houve um governo republicano realmente letal: o de George W. Bush, cuja eminência parda, o vice-presidente Dick Cheney, é retratado sem piedade nessa ousada cinebiografia. A cena em que ele e a segunda-dama começam a se recitar as falas de "Macbeth" já entrou para o meu hallzinho da fama particular.

9) ROCKETMAN
A história de Freddie Mercury é mais pungente, mas a biopic de Elton John consegue se ater aos fatos sem deixar de ser delirante. Ao contrário de "Bohemian Rhapsody", este aqui é um musical escancarado, com números coreografados e alguma sacanagem. Se Rami Malek não tivesse ganho tudo no ano passado, Taron Egerton estaria favoritíssimo este ano - inclusive porque ele canta para valer.

10) HOMEM-ARANHA NO ARANHAVERSO
Será que eu escorreguei no banheiro e bati a cabeça no chão? Ou, então, entrei pelo Tonyverso. Este que está escrevendo é a minha versão que gosta de filme de super-herói, porque há dois exemplares ligados ao gênero na minha lista dos melhores do ano. Esse aqui é uma animação delirante que mistura várias técnicas, uma viagem lisérgica sem o consumo de substâncias ilícitas.


Ainda tenho dúvidas se os colocados de 6 a 10 mereciam mesmo estar neste ranking. Qualquer um dos próximos 20 poderia estar no lugar deles. Concorda?

BABENCO - ALGUÉM TEM DE OUVIR O CORAÇÃO E DIZER: PAROU 
BOY ERASED 
BREXIT 
BUOYANCY 
E ENTÃO NÓS DANÇAMOS 
ENTRE FACAS E SEGREDOS 
A ESPOSA
FORA DE SÉRIE 
AS GOLPISTAS 
HISTÓRIA DE UM CASAMENTO 
O IRLANDÊS 
JUDY
MORTO NÃO FALA 
NUNCA DEIXE DE LEMBRAR 
O PÁSSARO PINTADO 
O REI 
SÍLVIO E OS OUTROS 
SÓCRATES 
SYSTEM CRASHER 
A VIDA INVISÍVEL

Esses 20 estão em ordem alfabética. Não consigo ordenar por preferência. Estou exaurido, esses posts de retrospectiva cansam demais. Amanhã eu continuo.

16 comentários:

  1. O cinema foi tão bom que acho que pela primeira vez assisti todos os filmes que comentastes!

    ResponderExcluir
  2. Bem... alguns títulos aí são do cinema 2018...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alguns, como Vice e Homem-Aranha, estrearam nos EUA em 2018.

      Outros nem estrearam por aqui: eu vi em mostras e festivais, ou no exterior.

      De qualquer forma, são os meus filmes do meu ano.

      Excluir
    2. Algum outro titulo gay, além de Boy Erased?

      Excluir
    3. Fui ler o critico da Veja e tinha varios filmes do Oscar do ano passado na lista do melhores de 2019

      Excluir
    4. Mas aí é que está: muitos filmes do Oscar do ano passado, como "Green Book" e "A Favorita", só estrearam este ano no Brasil.

      Excluir
  3. Impressionante como minhas preferências no cinema se assemelham às suas. Sempre fiquei curioso se isso tb aconteceria na literatura...

    ResponderExcluir
  4. Tony e quanto ao cinema lgbt e alternativos , quais vc gostou?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há alguns títulos LGBT na lista acima: "Rocketman", "E Então Nós Dançamos", "Boy Erased" e "Sócrates".

      Excluir
  5. Obrigado pela dica na Folha. Assisti ontem ao "Morto Não Fala", muito bom!!!

    ResponderExcluir
  6. E os seus jogos favoritos Tony?

    ResponderExcluir
  7. Antigamente eu assistia muitos filmes piratas. Cheguei a ter uma coleção de 300. Hoje em dia perdi a vontade. Só fico em foruns, vendo vídeos no Youtube e jogando alguns games. Se eu tivesse meu próprio computador e a minha família não encher paciência e não tantos problemas.

    ResponderExcluir