quarta-feira, 11 de setembro de 2019

A SÉRIO NA SÍRIA

Sacha Baron Cohen talvez seja o homem mais engraçado do mundo, e com certeza é o mais cara-de-pau. Comédias-reality como "Borat" e "Brüno" fizeram com que eu não consiga pensar nele sem ter vontade de rir. Mas esta ânsia amainou um pouco depois que eu vi "O Espião", minissérie em seis episódios que acaba de chegar na Netflix. Sacha faz seu primeiro grande papel dramático: Eli Cohen, o israelense que conseguiu se infiltrar na elite política e econômica da Síria no começo da década de 1960. Nascido no Egito e fluente em árabe, Cohen convencia tão bem como o comerciante Kamel Amin Thaabet que chegou ao posto de ministro da Defesa do arqui-inimigo de Israel. A história é real e eu já sabia como acabava quando comecei a assistir, o que não prejudicou em nada a tensão que a série transmite. Com ótima reconstituição de época, "O Espião" discute vaidade, amor à pátria e até que ponto um Estado pode exigir sacrifício de seus cidadãos. Também fará com que Sacha Baron Cohen seja levado a sério.

5 comentários:

  1. Comecei a ver ontem, e realmente a série é excelente...Aliás, a Netflix tem alguns filmes nessa temática/época/região que também são acima da média... E o Sacha é realmente um grande ator, quem diria...

    ResponderExcluir
  2. Tenho muito tesao nesse ator.

    ResponderExcluir
  3. Pessoas parem de assistir séries! Vão dar uma volta na rua.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque vc não vai tomar conta da sua vida?

      Excluir
  4. Os trombadinhas Levy e Ilan roubando o dinheiro do povo brasileiro, impostos pagos pelos pobres provam que esses caras deram pra encher o saco do Brasil, um país que não lhes pertence. However eu estava na Espanha é impressionante a quantidade de ‘antigos bairros judeus’ ou guetos, alguém que observa o que eles fazem na Palestina pensa, eles fizeram pra merecer?

    ResponderExcluir