domingo, 25 de agosto de 2019

FOREVER YOUNG

Duas semanas atrás, meu marido me chegou correndo com uma notícia chocante: morreu Fernanda Young! Era engano, claro. Quem havia morrido era uma amiga carioca do mesmo sobrenome. Logo saiu na imprensa que Fernanda ensaiava uma peça com estreia em setembro. E ontem mesmo estive com Renata, sua irmã, na festa de aniversário de um amigo comum. Hoje, o equívoco se tornou verdade. O Brasil acordou em choque: como assim? De asma?? Logo a Folha me pediu um texto comentando as séries escritas por Fernanda e seu marido Alexandre Machado, que pode ser lido aqui. Depois que mandei a matéria, lembrei de mais um monte de coisas que poderia ter dito: ela fez coisas demais em seus meros 49 anos, e ainda tinha tanto por fazer. Eu mesmo me arrependo de não ter tido mais contato com Fernanda. A gente se conhecia há décadas, mas nunca fomos próximos. Nos reencontramos há uns três anos no aniversário do mesmo amigo, ficamos de combinar coisas juntos e não combinamos. Eis aí uma dica para todo mundo: abrace quem você ama, telefone, aproveite enquanto ainda estamos aqui. A vida é um sopro e amanhã podemos não estar mais.

10 comentários:

  1. Estou chocada. Fuck.

    Beijos e abraço, Tony.
    Susana

    ResponderExcluir
  2. essa vai fazer falta mesmo....pior domingo do ano.

    ResponderExcluir
  3. Tony, adorei a última coluna dela, a ser publicada amanhã. Morreu atirando:

    "Bando de cafonas

    A Amazônia em chamas, a censura voltando, a economia estagnada, e a pessoa quer falar de quê? Dos cafonas. Do império da cafonice que nos domina. Não exatamente nas roupas que vestimos ou nas músicas que escutamos — a pessoa quer falar do mau gosto existencial. Do que há de cafona na vulgaridade das palavras, na deselegância pública, na ignorância por opção, na mentira como tática, no atraso das ideias.

    O cafona fala alto e se orgulha de ser grosseiro e sem compostura. Acha que pode tudo e esfrega sua tosquice na cara dos outros. Não há ética que caiba a ele. Enganar é ok. Agredir é ok. Gentileza, educação, delicadeza, para um convicto e ruidoso cafona, é tudo coisa de maricas.

    O cafona manda cimentar o quintal e ladrilhar o jardim. Quer todo mundo igual, cantando o hino. Gosta de frases de efeito e piadas de bicha. Chuta o cachorro, chicoteia o cavalo e mata passarinho. Despreza a ciência, porque ninguém pode ser mais sabido que ele. É rude na língua e flatulento por todos os seus orifícios. Recorre à religião para ser hipócrita e à brutalidade para ser respeitado.

    A cafonice detesta a arte, pois não quer ter que entender nada. Odeia o diferente, pois não tem um pingo de originalidade em suas veias. Segura de si, acha que a psicologia não tem necessidade e que desculpa não se pede. Fala o que pensa, principalmente quando não pensa. Fura filas, canta pneus e passa sermões. A cafonice não tem vergonha na cara.

    O cafona quer ser autoridade, para poder dar carteiradas. Quer vencer, para ver o outro perder. Quer ser convidado, para cuspir no prato. Quer bajular o poderoso e debochar do necessitado. Quer andar armado. Quer tirar vantagem em tudo. Unidos, os cafonas fazem passeatas de apoio e protestos a favor. Atacam como hienas e se escondem como ratos.

    Existe algo mais brega do que um rico roubando? Algo mais chique do que um pobre honesto? É sobre isso que a pessoa quer falar, apesar de tudo que está acontecendo. Porque só o bom gosto pode salvar este país."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, não sabia que ela escrevia tão bem!
      Sempre a via como alguém que através do besteirol dava aquelas alfinetadas, mas no final era totalmente esquecível...
      Textão esse ae, realmente morreu atirando!!! 👏🏾👏🏾👏🏾

      Excluir
    2. Ah, e um comentário que passa batido sobre a Fernanda, mas ela merece todos os elogios, TODOS, ela era linda, como pode se ver nessa foto, fisicamente linda, rosto de top model!
      A beleza salvará o mundo, em todas as formas em que se manifeste!
      Viva a Fernanda Young!!! 👏🏾👏🏾👏🏾

      Excluir
  4. Li quase todos os livros dela, assisti todos os filmes e séries e até pelo que me lembro mandei vários e-mails pra Globosat adicionar ao GNT as entrevistas dela do Confissões do Apocalipse, nunca fui respondido e claro, cansei de tentar, última vez em 2017, tentava desde 2012
    Nunca vou poder ter um autógrafo num dos 9 livros dela que eu tenho
    2012 foi um dos piores anos da minha vida, transição de criança pra adolescente, inclusive você foi uma das várias referências que fez o mold3 do que eu me tornei com aquele documentário do qual participou que mostrava pessoas dando depoimentos sobre assumir a sexualidade diferente produzido por aquele publicitário careca da tatuagem, lembra? conheci você e seu blog aí
    2012 foi o ano da série dela Como Aproveitar o Fim do Mundo e também o ano onde eu passei 2 dias assistindo todos os episódios e filmes dos Normais

    Me dá uma enorme angústia pensar naquela época e a Fernanda era a minha lembrança mais forte
    Ela uma vez disse pra Rita Lee que se ainda estivesse viva que faria a Rita ser nome de rua, por tanta coisa boa que ela produziu ela que deveria virar

    Infelizmente não vai ter o terceiro filme de Os Normais que ela me respondeu no Instagram uns anos atrás, pelo menos não com ela escrevendo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deu um apagão na minha memória mas eu não lembro de nada do meu passado ou adolescência.

      Excluir
  5. Vi poucas pessoas lembrando do Irritando Fernanda Young, no GNT. Curtia.

    ResponderExcluir
  6. O Mio Babbino Caro
    Os BONS continuam a morrer cedo!

    ResponderExcluir
  7. Tony, querido, vc já viu as tirinhas da filha da Fernanda????? maravilhosa, talento igual da mãe

    ResponderExcluir