terça-feira, 13 de agosto de 2019

BONITINHO E EXTRAORDINÁRIO

João Carlos Barroso começou a fazer parte da minha vida muito antes de eu perceber sua presença nas novelas. Só hoje, dia de sua morte, é que eu fiquei sabendo que, quando era ator-mirim, ele dublou a voz do pequeno rei Artur em "A Espada Era a Lei". Apenas o primeiríssimo filme que eu vi no cinema. Também sempre vou lembrar dele por causa da amiga de uma amiga que, nos anos 70, usava um gravadorzinho para capturar sua voz. Naqueles tempos pré-internet, só assim ela conseguia ouvi-lo sempre que quisesse. Barroso nunca se tornou um superstar, mas foi bom em tudo o que fez. E era mesmo uma belezinha, hein?

2 comentários:

  1. Ele tinha estrela e talento, pena nao ter caido nas gracas de nenhum autor/ diretor.

    ResponderExcluir
  2. Lembro de meu pai me chamando atenção pra ele em alguma novela dos 80’s, especialmente tramas rurais. “você sabe o nome dele?”
    “Não...” “Nem eu. Tá em tudo que é novela, bom ator, simpático, mas vai morrer coadjuvante de terceiro escalão. O nome disso é a vida. Tente não esquecer”

    ResponderExcluir