domingo, 7 de julho de 2019

SINAN FECHADO



Poder de síntese não é o forte do diretor turco Nuri Bilge Ceylan. Seus filmes costumam durar mais de três horas, como é o caso do recente "A Árvore dos Frutos Selvagens" - que eu não teria visto, não fosse o representante da Turquia no último Oscar. Preparei uma matula com mantimentos, aproveitei que o marido estava ocupado com outra coisa e encarei o troço com a maior das boas vontades. Gostei mais do que esperava, risos. O protagonista é um jovem escritor chamado Sinan que está juntando economias para publicar seu primeiro livro; seu maior conflito é com o pai, que tem dívidas de jogo e vive surrupiando trocados do filho. Também tem uma ex-namorada de infância que vai se casar com outro, a mãe, a irmã, o cachorro e um poço cheio de metáforas. E muita, mas muita falação. Cada cena pode levar até 20 minutos corridos, com Sinan conversando com um editor ou com o prefeito de sua cidade. Tem horas em que é fascinante. E tem horas que enche o saco.

Um comentário:

  1. O único filme turco que assisti foi "Vizontele",uma comédia até bobinha sobre a chegada da televisão a um pequeno vilarejo turco no começo dos anos 70,o dono do cinema passa a temer a concorrência ,já que os filmes irao passar na TV e os caipiras mal sabiam o que era,pensavam que quem estava na TV via os telespectadores rss,mas apesar de ser uma comédia inocente,mostra detalhes históricos da época,ha momentos mais dramáticos, como a morte de um jovem oriundo do vilarejo durante uma invasao da Turquia ao Chipre,envolvendo uma disputa territorial contra a Grécia,pois o Chipre e dividido em setor grego,ao sul e setor turco,ao norte,ambos sao idiomas oficiais e cada regiao e autonoma,possui seu proprio governante e até hoje essa treta não foi bem resolvida e tampouco será enquanto o Erdogan ainda estiver no poder

    ResponderExcluir