domingo, 21 de julho de 2019

O GUIA GENIAL DOS POVOS


Madonna teve um cicerone em suas andanças por Lisboa: Dino d'Santiago, descendente de cabo-verdianos e um dos novos expoentes da música lusófona. Foi ele quem apresentou Madge à Orquestra Batukadeiras, que participam da faixa "Batuka" do "Madame X" e que sairão em turnê com a cantora. Dino esteve no Brasil na semana passada e fez show na Flip, e foi uma matéria sobre ele na Folha que me chamou a atenção para seu álbum "Mundu Nôbu", do final do ano passado. É o tipo de som que eu aprecio: raízes tradicionais, temperadas pela diáspora e pela unrbanização. Gosto ainda mais do remix de Moullinex para "Nova Lisboa", presente em um EP recém-lançado. E estou chocado com o clipe de "Batuka", que não se parece com nada do que Madonna fez antes e traz uma mensagem de empoderamento feminino contra todos os tipos de escravidão. Quero mais guias como Dino d'Santiago.

3 comentários:

  1. O gosto de Madonna pela diversidade é mais genuíno do que oportunista, isso ajudou para manutenção de sua projeção...
    Por isso artistas brasileiros como Anitta e Alok nunca terão voos maiores, começa a se observar oportunismo na escolha deles!

    ResponderExcluir
  2. Já falei várias vezes, a música pop em Portugal é africana. Nomes como o Dino, Carlão, Matias Damásio, Aya Nakamura, Anselmo Ralph, etc etc

    ResponderExcluir
  3. Que maravilha!!!!! Como não amar!!!!

    ResponderExcluir