quarta-feira, 24 de julho de 2019

MULHERES QUE A GENTE CONHECE

Fui uma pá de vezes a Paris e nunca me abalei até o Théatre du Soleil, onde reinam a diretora Ariane Mnouchkine e sua primeira-atriz, Juliana Carneiro da Cunha. Mas finalmente consegui ver uma montagem da companhia aqui em São Paulo mesmo, com elenco todo brasileiro. Trata-se de "As Comadres", um musical de origem canadense com cara de ter nascido e crescido por aqui. O plot é simplérrimo: uma mulher chama parentes e amigas para ajudá-la a colar um milhão de selos em cartelas e depois trocar tudo por prêmios em uma loja. São 15 personagens femininas, mas o elenco tem 20 atrizes que se revezam nos papéis. Cinco delas ficam em uma espécie de banco de reservas, mas no palco, cantando e interagindo feito um coro grego. A única que eu conhecia era Maria Ceiça; a própria Juliana não estava na noite em que eu fui. Vou falar um sacrilégio, pois ela não fez falta. De onde saíram essas atrizes todas, onde se escondiam? Todas sensacionais. E elas encarnam tipos que a gente conhece. Vi minha mãe, minha avó, minhas tias, a primalhada toda, a vizinha invejosa, as que moram juntas e se bicam o tempo todo. As músicas são ótimas (tem uma cuja letra são só os convidados de uma festa) e o riso corre solto na primeira parte. A segunda é mais dramática, mas o público se diverte o tempo todo. Uma das boas experiências teatrais de 2019. Corre, porque fica no Sesc Consolação só até domingo, dia 28.

14 comentários:

  1. Ai adorei a dica! Obrigado!!!!

    ResponderExcluir
  2. Importante mas não relacionado a postagem...
    Áudio do julgamento de Bolsonaro no exército:
    https://www.youtube.com/watch?v=zKYEljtOq0M&feature=share

    ResponderExcluir
  3. "De onde saíram essas atrizes todas, onde se escondiam?" Ãin, vou cometer um sacrilégio com a sr., tia Tonya. Mas essa é uma perguntinha típica daquelas tias de Higienópolis que vão ao teatro de estolão Made in 25 de Março e cabelo na chapinha egípcia só pra assistir peça com global no elenco. O nosso teatro dito "alternativo" tá cheio de atrizes incríveis que nunca estiveram numa novelinha bíblica, graças ao Inri Cristo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, que lição de moral. Preciso mesmo ir mais ao teatro.

      (*contém ironia*)

      Excluir
    2. Tony perdoa...o leitor nao deve te acompanhar ou estava mestruado....

      Excluir
  4. Vou sábado... parece q , em algumas sessões , tem a Laila Garin, q fez Elis...

    ResponderExcluir
  5. tá esgotado há semana infelizmente. queria mto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma amiga minha conseguiu comprar para sexta, pelo site.

      Excluir
  6. Quer mais maçônico que esse chão??

    Acho que é o pessoal que tem dinheiro para pagar pra ver essas peças que não falam muita coisa, a não ser de si mesmos.

    A condição humana na mentira do "estamos sozinhos no universo", ouça o que a gente tem para falar de nós mesmos...

    Tudo isso com um rio IMUNDO que nem é o Tietê.

    São o "suprassumo" da "sociedade"!

    ResponderExcluir
  7. Tal como a sra tb fui uma "pa" de vezes à Paris, estudei la por 4 anos e tenho um apto no 3* arrt e nunca fui na Eiffel Tower...

    ResponderExcluir
  8. Excelente...e olha q colocar 20 em cena não é nada fácil...Sim...a canção em q a senhora enumera os convidados do casamento da filha...a gente nunca mais esquece👏

    ResponderExcluir