sábado, 20 de julho de 2019

FRITANDO HAMBURGO

Não faltam elementos desagradáveis em "O Bar Luva Dourada". O novo filme de Fatih Akin tem sujeira, feiúra, velhice e uma violência de dar inveja ao Grand Guignol. O roteiro é baseado em uma história real: no começo da década de 70, um sujeito horroroso catava putas decadentes em um bar infecto de Hamburgo, levava-as para seu apartamento e, volta e meia, cobria-as de porrada ou pior. O cara matou quatro dessas mulheres, que depois esquartejava. Os pedaços eram guardados em um buraco na parede, e o cheiro era atribuído à família grega do andar de baixo, "que cozinha com muito alho e cebola". Por que fazer um filme assim? Por que ver um filme assim? Porque há humanidade por baixo dessa imundície toda. E porque Akin é um baita diretor, incapaz de fazer um filme chato.

4 comentários:

  1. Ele alterna uma comédia leve com um filme cheio de sangue e esperma.

    ResponderExcluir
  2. É difícil se assustar com filmes porque no fundo vc sabe que é fantasia, assustador mesmo é entrar em sites gores como o Gore Brasil, etc.

    ResponderExcluir
  3. Gosta de sites gores? Tony?

    ResponderExcluir