quarta-feira, 10 de julho de 2019

A PRIMEIRA VÍTIMA?

Vou admitir: eu não era muito fã do Paulo Henrique Amorim. Até gostava bastante de seu estilo incisivo e coloquial - uma novidade na época em que ele despontou na Globo, em meados dos anos 80. Depois PHA passou por várias emissoras até se fixar na Record, onde foi útil enquanto o PT esteve no poder. Veja bem, minha pinimba não era o fato dele ser petista roxo. É desejável que um jornalista seja imparcial, mas não é obrigatório. Acontece que, em seu afã partidário, muitas vezes PHA cometeu injustiças, divulgou notícias mal apuradas e até agiu de modo grosseiro com colegas. Também foi um dos responsáveis pela criação da sigla PIG (Partido da Imprensa Golpista), que ajudou a minar a credibilidade do jornalismo profissional. Mas não deixo de me condoer com seu destino cruel. Só sua viúva poderá confirmar se ele andava cabisbaixo depois de ter sido tirado do "Domingo Espetacular" e encostado pela emissora, onde ainda tinha dois anos de contrato pela frente. Impossível não lembrar de Paulo Francis, que também morreu jovem do coração, acossado por um processo movido por um executivo da Petrobras. Terá sido Paulo Henrique Amorim a primeira vítima fatal do expurgo em andamento na imprensa pró-Bozo? Mais do que nunca, é preciso resistir. Ninguém solta a mão de ninguém.

16 comentários:

  1. Me poupe. Foi o mesmo senhor que cometeu ofensas racistas à Heraldo Pereira. Já vai tarde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele chegou a falar de arrobas e ser ELEITO pelo povo "de bem" brasileiro??

      Excluir
    2. Não há crase nessa hipótese. Forma fácil de usar crase sem precisar se preocupar com as regrinhas específicas:

      - Coloque um "de" imaginário. "De Paris" . Trata-se de substantivo NEUTRO (Paris não tem gênero). Logo, NÃO tem crase: "Fui a Paris". Não tem crase;

      - Coloque um "da" imaginário. "Da Alemanha". O artigo é no FEMININO. Logo, tem crase: "Fui à Alemanha".

      - Coloque um "do" imaginário. "Do Brasil". O artigo é no MASCULINO. Logo, NÃO tem crase: "Fui ao Brasil".

      Beijos de luz.

      Excluir
  2. A perseguição politica começou muito antes do Bozo, eu fui vitima!

    ResponderExcluir
  3. Acho que são casos bem diferentes. Paulo Francis cometeu crimes de calúnia e difamação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem feito pra aquele Imbecil que queria privatizar a Petrobras bastou a Vale né gente.

      Excluir
  4. Eu solto a mão dele sim! Vai com deus, pra não dizer já vai tarde! Afffff

    ResponderExcluir
  5. Lembro da minha infância, ele correspondente da Globo em NY, muito antes da popularização da Globo News...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, fazia ótimas matérias! Era um gato

      Excluir
  6. Tempos sombrios, esses bancos não tem mais onde enfiar dinheiro...Vão acabar como Marie Antoinette mais cedo ou mais tarde, o povo não é tão bobo quanto eles pensam. Não se rouba o futuro de tanta gente descaradamente e sai ileso, nem seus múltiplos aparatos de repressão vão dar conta. Enfim...cada um protesta do seu jeito eu sou estilo feudalismo, sumir dessa terra pra não colaborar com essa merda. Triste de quem pra se afirmar precisa enganar e roubar o mais vulnerável. Aí se vai CLT, aposentadoria e 43 trilhões em petróleo...tudo em um golpe desde 2016.

    ResponderExcluir
  7. O Mio Babbino Caro
    A credibilidade do jornalismo profissional foi minada por jornalistas profissionais. A Veja e outras/os que o digam.

    ResponderExcluir
  8. Primeira vítima???????? Me poupe....... vítima SOY YO!!!!!!

    ResponderExcluir
  9. Já vai tarde esse excremento. Pena que a morte não foi lenta e dolorosa. Mas morreu amargando geladeira e desprestígio, o que já me conforta.

    ResponderExcluir