sexta-feira, 14 de junho de 2019

PRA QUÊ DISCUTIR COM MADAME


Confesso que eu estava com medo de me decepcionar com "Madame X". A princípio, eu esperava um álbum fortemente influenciado pela música que se ouve em Lisboa, cidade para onde Madonna se mudou há dois anos. Ela mesma cansou de postar vídeos onde surgia caracterizada de fadista ou curtindo um som em uma tasca na Alfama. Mas as primeiras cinco faixas divulgadas foram para outro lado. "Medellín" é gostosinha, "I Rise" e "Crave" são fofas, "Future" me fez gostar de reggae e "Dark Ballet" é a "Bohemian Rhapsody" de Madge. Mas, por melhores que sejam essas músicas, a lusofonia passa longe.

Só que o resto do disco é bem como eu queria, e até mais. Madonna canta em português o tempo todo, e os arranjos trazem guitarradas, funk carioca e até violinos da disco music setentista. O "Faz Gostoso" da Blaya, o maior hit português de 2018, agora ganhará o mundo com a ajuda de Anitta. "God Control" é sensacional, talvez minha favorita. E as letras politizadas são até um pouco óbvias, mas é um alívio não ver mais Madonna se fingindo de adolescente que brigou com o namoradinho. Pela primeira vez em anos, ela soa como o que realmente é: uma mulher inteligente, vivida, sexualmente ativa, no esplendor dos 60 anos. "Madame X" entra para o panteão dos grandes trabalhos de Madonna, ao lado de "Confessions on the Dancefloor", "Ray of Light" e "Like a Prayer".  Talvez também já seja o melhor álbum de 2019.

10 comentários:

  1. Como eu disse, ela se renovou. De novo. Parcerias ótimas, a produção extremamente profissional. "Come Alive" e "Extreme Occident" são ótimas e risinhos para o diálogo final de "Bitch, I'm Loca".
    Realmente, um dos melhores trabalhos dela.

    ResponderExcluir
  2. A nossa Rainha se recolheu muito em Portimão no Algarve em sua quinta maravilhosa e de la saiu esse novo trabalho fantástico!

    ResponderExcluir
  3. Sem dúvida é um dos melhores álbuns dela, com a vantagem de ter algumas músicas diferentes do que ela já fez.

    ResponderExcluir
  4. A parte de tentar não soar 9inha e abraçar a maturidade é ótima. E ela já teve outros álbuns-conceito antes, com destaque pra Erotica que também tinha direito a uma personagem.
    Mas achei o álbum meio all over the place. Sem coerência nenhuma. Ainda não voltou ao benchmark deixado por Like a Prayer-Ray of Light-COAD.

    Meus dois centimos.

    ResponderExcluir
  5. Tony,

    Assisti ontem na TV um filme que já tinha ouvido falar, Clube dos Corações Partidos.
    Como uma pérola daquela ainda não virou uma série de TV? É feito um pequeno tratado do mundo gay de forma divertida e sensível.
    Rouba a ideia para vc e faz aqui no Brasil, Tonico! O Daniel Filho disse que aquela série Malu Mulher nasceu assim...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinceramente tem filmes e livros
      Que todas bichas deveriam ter vistos e lidos antes de completar 30 anos!
      G-

      Excluir
  6. faltou feat com Buraca Som Sistema

    ResponderExcluir
  7. faltou feat com conan osiris isto sim

    ResponderExcluir
  8. Faltou comment aqui. Madonna cansou de um jeito que ninguém tem nem forças de falar mais. Isto posto, cansei de todo mundo, cadê a nova banda que vai salvar a música? Hehehe.
    P.S.: Gosto da parte “estranha” de “Dark ballet” (queria um disco todo nessa linha) e de “God control).

    ResponderExcluir
  9. Eu confesso que só ouvi 4 músicas até agora. Mas achei que o disco bebeu bastante nas sonoridades que ela deve ter ouvido por aqui. A música pop aqui é, basicamente, africana.

    ResponderExcluir