quinta-feira, 13 de junho de 2019

GOL DE PEPECA

Que tal a capa do "Charlie Hebdo" desta semana? O desenho em "homenagem" à Copa do Mundo de futebol feminino, que acontece na França, está causando bafafá nas redes sociais - ça va sans dire. Muita gente achou nojenta, machista, irritante e por aí vai. Concordo (mais ou menos) com os críticos em um ponto: por que sempre se apela para o sexo quando o assunto é mulher? Por outro lado, o "Charlie" é aquele jornal que já pôs na capa o Pai, o Filho e o Espírito Santo se enrabando mutuamente. E claro que não dá para esquecer do atentado de 2015, que matou alguns de seus melhores cartunistas por causa de piadinhas com Maomé. Eu penso o seguinte: se podemos brincar com a religião, então também podemos brincar com qualquer coisa. Fora que eu faço uma leitura progressista dessa capa. Vejo o clitóris sendo comparado a um golaço. Em-po-de-ra-men-to! Pois é, je suis toujours Charlie.

9 comentários:

  1. O Mio Babbino Caro
    Considero só de mau gosto!

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que é válido apenas se fizerem uma capa semelhantemente sexual quando for a Copa de Futebol masculina

    ResponderExcluir
  3. Já suis charlie toujurs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. C'est vrai. Vou consertar.

      (mas sua grafia tá errada, viu?)

      Excluir
  4. Nossa,moderno.....zz💤💤zzz

    ResponderExcluir
  5. Achei sexy...um vibrador em forma de bola de futebol!

    ResponderExcluir
  6. Concordo. Os caras têm o direito de publicar o que quiserem. O fato deles continuarem ativos e vendendo é porque alguém acha isso bom e divertido, então que continuem.

    Confesso que não é o meu caso – sempre achei as "piadas" do Charlie Hebdo de péssimo nível – mas ninguém está me obrigando a comprar a publicação.

    Parafraseando Voltaire, "posso não concordar com o que você pensa, mas lutarei até a morte pelo seu direito de publicar charges de baixo calão e desprovidas de refinamento intelectual, na vã esperança de que cada vez mais pessoas enxerguem esse 'humor' apelativo como algo de péssimo gosto e promovam uma queda nas vendas da publicação, fazendo com que seus editores e artistas percebam que o público de forma geral não tem mais interesse no estilo misógino que eles oferecem e se questionem se não é o momento de mudar de rumo".

    Mas estou ciente de que é uma vã esperança.

    ResponderExcluir
  7. Essa obrigação de ser engraçado é único merda!

    ResponderExcluir