quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

YOU CAN'T SPELL TRUTH WITHOUT RUTH


Ruth Bader Ginsburg, a segunda mulher a se tornar juíza da Suprema Corte dos Estados Unidos, é uma lenda viva. Uma heroína com mais de meio século de luta pelos direitos da mulher (incluindo a legalização do aborto) e pautas progressistas em geral. Como ela está com quase 86 anos de idade e a saúde cada vez mais frágil, já estão surgindo filmes em sua homenagem. Um deles, "Suprema", estreia no Brasil no dia 14 de março e é uma dramatização, com Felicity Jones no papel da magistrada. O outro não tem previsão de chegar aqui: o documentário "RBG", indicado a dois Oscars, que eu vi no avião que me trouxe de volta da Inglaterra. Em pouco mais de uma hora e meia, as diretoras Julie Cohen e Betsy West traçam um retrato convincente da tímida moça judia que se tornou uma advogada vitoriosa nos anos 70, o que a cacifou para o mais alto tribunal do país. Ruth teve a sorte de se casar com um homem compreensivo, que sempre a incentivou na carreira - e isto em um tempo em que lugar de mulher era na cozinha. Também foi abençoada com muita determinação, ótimo senso de humor e uma grandeza de espírito capaz de torná-la amiga de seu maior adversário na Corte, o abominável Antonin Scalia (que o demônio o tenha - eu não possuo essa grandeza). Nos últimos anos, The Notorious RBG - uma brincadeira com a alcunha do rapper B.I.G. - tornou-se uma figura pop, inspirando camisetas, tatuagens e paródias no "Saturday Night Live". E também uma espécie de Mother of Dragons da vida real, mais do que necessária nesse tempos boçais por que estamos atravessando.

6 comentários:

  1. Conta pra gangue dos bozos que essa sim é um verdadeiro MITO!!!

    ResponderExcluir
  2. Gente alguém tem tido notícias da DeFu? Ela morreu de excesso de vitamina C será? Se desiludiu com o laranjal do PSL? Perdeu as esperanças no presidente Laranjair Bolsonaro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele até tem aparecido por aqui, mas eu não aceito comentário que espalha fake news.

      Excluir
    2. "não aceito comentário que espalha fake news." Agora fiquei com curiosidade de saber o que ela inventou, como fiquei quando a Mono postava e vc não aceitava. Será que a fake news é uma conspiração global da esquerda mundial, com o Soros e os cientistas do aquecimento global armando para Bolsonaro e o PSL para Lula e o PT chegarem ao poder nas próximas eleições? Ou será outro discurso, já que eles as vezes de "surto de inteligência" muda o discurso falando algo contra a direita mas fala que se a gente continuar a entoar as falas esquerdistas daqui ou de outro país estamos somente dando munição para Trump e Bolsonaro ganharem as próximas eleições?

      Excluir
  3. o abominável Antonin Scalia (que o demônio o tenha - eu não possuo essa grandeza) HAHAHAHAHAHAHA tonyah mostrando seu lado comico FINALMENTE

    ResponderExcluir