segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

CAMPEÕES FORA DE CASA


Não levo mais nada para ler a bordo de voos longos. A oferta de filmes e séries é tão grande que eu acabo esquecendo do pobre do livro, que às vezes vai e volta intocado. Não deu outra no meu voo para Milão. Muito filme que ainda não chegou/nem vai chegar ao Brasil. Meu primeiro escolhido foi "Campeones", que representou a Espanha no Oscar e ganhou no ábado vários prêmios Goya (o Oscar espanhol), inlcuisve melhor filme. É feito para agradar as massas: um técnico de futebol é pego dirigindo embriagado, e punição que ele recebe é treinar um time de "subnormales". A palavra envolve pessoas com síndrmoe de Down, distintos graus de autismo e aparvalhados em geral. E o roteiro é pra lá de previsível: no começo o sujeito odeia, depois vai se encantando por seus novos atletas e o final tem lágrimas, triunfo e abraços. Mas é tudo muito bem feito, e os atores que fazem os "sub" também o são na vida real. não entendo porque esse blockbuster não é lançado nos cinemas brasileiros. Tem tudo para virar um novo "Intocáveis".

Já chegando na Itália, resolvi ver um filme italiano para ir entrando no clima. E peguei um título que estava sendo anunciado quando estive em Milão no ano passado: "A Casa Tutti Bene" (em casa todos bem), de Gabriele Muccino. Também sem grandes novidades, mas muito bem feito. A trama é bem peninsular: uma família estendida se reúne em uma linda ilha, para a missa e o almoço comemorativo do longo casamento de papai e mamãe. Aí, o mar fica revolto e todos ficam literalmente ilhados lá durante dois dias. E eclodem as paixões reprimidas, as invejas, os ressentimentos. O elenco tem vários astros italianos da atualidade, e o potencial comercial também é óbvio: não sei porque este aqui tampouco estreou no Brasil.

Um comentário:

  1. O Mio Babbino Caro
    Nada disso e outras coisa não chegam aqui por que "apesar e de termos feito tudo que fizemos", "Aqui é o fim do mundo".

    ResponderExcluir