quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

UM TERROR DE GAROTO


No ano passado, tive uma grata surpresa com "A Amante", o primeiro longa do diretor tunisino Mohammed Ben Attia. Por isto, fiquei curioso para ver seu novo filme, "Meu Querido Filho", apesar do argumento não me parecer muito original. Uma família de classe média entra em desespero quando o filho único, um rapaz quietarrão que sofre de enxaqueca, desaparece, deixando só um bilhete: "fui para a Síria". Ou seja, se juntou ao Estado Islâmico. E aí o pai vai atrás do moleque, como a mãe de "O Caminho de Istambul", que eu vi na Mostra de 2016. Até aí, problema nenhum. Mas já percebi que o cinema de Attia tem uma tendência à imobilidade. Aqui a ação vai parando, parando, justamente quando deveria estar pegando fogo. Como sairá seu terceiro filme? Vou dar mais uma chance.

Nenhum comentário:

Postar um comentário