quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

O 23 DE JANEIRO

Não estou muito entusiasmado. O regime chavista já periclitou seriamente pelo menos duas outras vezes. A primeira foi com o golpe fracassado de 2002: Hugo Chávez ainda estava no auge da popularidade e não foi deposto por uma coalizão de militares e empresários. A segunda foi em 2017, quando as manifestações apavoraram tanto Nicolás Maduro que ele mandou abrir fogo contra a população. O ditador já está fazendo isso novamente. A cada notícia que chega de Caracas, aumenta o número de mortos. Mas agora há uma diferença crucial: Juan Guaidó.

O presidente da Assembleia Nacional, eleita  democraticamente em 2016 e dominada pela oposição, proclamou-se presidente interino do país. A lógica é cristalina: golpista é Maduro, que melou o jogo quando seu time começou a perder e convocou uma Constituinte espúria. Tudo o que seu governo fez desde então está fora do estado de direito. O PT e outros partidos brasileiros que insistem em chamar de golpe o que está acontecendo na Venezuela passam por mais um vexame. Depois não sabem porque perderam duas eleições seguidas.

Sim, o Brasil faz bem em reconhecer Guaidó como o novo mandatário venezuelano. Será que Maduro também vai romper relações conosco e expulsar nossos diplomatas? Os EUA já avisaram que não vão retirar os seus, pois não reconhecem mais a autoridade do diretor. E agora? Maduro não reage e se enfraquece? Ou cerca a embaixada e se arrisca a uma invasão? Parece aquela velha piada do navio afundando com o cachorrinho Nabunda. Você leva ou deixa?

ATUALIZAÇÃO EM 26/01: Algumas pessoas questionam a legitimidade de Juan Guaidó, que teria se "autoproclamado" presidente da Venezuela. Não é bem assim. Minha amiga Sylvia Colombo, correspondente da Folha em Buenos Aires e a maior especialista em América Latina que eu conheço (ela está em Caracas neste momento) me explicou que foi a Assembleia Legislativa que assim decidiu, seguindo a Constituição Bolivariana elaborada por Hugo Chávez em 1999 - e que ainda está em vigor no país. Guaidó é o presidente interino encarregado, o que significa que ele tem que convocar novas eleições o mais rápido possível. Leia mais sobre os dispositivos legais que garantem sua legalidade aqui.

15 comentários:

  1. Quem defende cegamente o PT ou o Bocó que está na presidência agora é burro, só quer chamar a atenção ou está em estado alucinógeno?

    ResponderExcluir
  2. Pobre Venezuela vivem a base de golpe

    MAĎURO da um golpe e vem o outro e dá o golpe no Maduro

    Gopíiii hpopiiiiiiii

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daqui a pouco chega outro e dá o golpe no golpista do golpista do maduro e as antas daqui aplaudindo

      Excluir
  3. Sim, Maduro cagou para a democracia há muito, mas essa pessoa que escolheram para ser presidente tampouco foi eleito para isso. Foi eleito para outra coisa. Só vai ter um mínimo de legitimidade está transição se tiver novas eleições marcadas para logo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guaidó foi eleito presidente da Câmara. Aqui no Brasil, na ausência do presidente e do vice, é o presidente da Câmara quem assume. Não sei o que dizia a antiga Constituição da Venezuela (a nova não vale), mas Maduro e seu vice estão claramente fora do estado de direito. Portanto, quem assume é o servidor público mais graduado eleito democraticamente: Juan Guaidó.

      Excluir
  4. Se autoproclamar é o que fazem todos os ditadores. Goste se de Maduro ou não, ele foi efetivamente eleito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Madiuro venceu uma eleição fraudulenta. Guaidó foi eleito democraticamente. Faça as contas.

      Excluir
    2. O boicote da oposição as eleições não caracteriza fraude. Isso é choro de perdedor. Maduro eleito legitimamente, quer você goste ou não. E Guaido não recebeu um único voto para o cargo de presidente da Venezuela, simplesmente porque sequer foi candidato ao cargo. Esse golpe na Venezuela tem todas as características hipocritas que levaram ao impeachment da Dilma Rousseff.

      Excluir
    3. Não sei de quem tenho mais medo se do Maduro ou da galera que quer derrubar o Maduro( Trump, a familia de milicianos do Bolsa de Coco, as direitas latino americana que adoram uma ditadura etc..

      Excluir
    4. 7:51: Cara, vai ler o que aconteceu na Venezuela antes de falar merda. Várias coisas caracterizam a fraude na última eleição venezuelana. Para começar, Maduro convocou do nada uma Constituinte, pela única razão de ter perdido o controle da Assembleia Legislativa. Foi a maneira que ele encontrou de melar o pleito que perdeu. Aí, convocou para maio as eleições que deveriam ser no final do ano, só para aproveitar enquanto a situação econômica não piorasse ainda mais. Aí prendeu todos os líderes expressivos da oposição. Depois, mudou SEM AVISAR as zonas eleitorais das regiões onde a oposição costuma ser forte. As pessoas iam votar e não encontravam onde. O resultado foi um comparecimento de apenas 37%. Nenhum presidente ganha eleição quando a inflação passa de UM MILHÃO POR CENTO ao ano. É óbvio que houve fraude. E o caso de maduro é bem, mas bem diferente do da Dilma. Vai se informar um pouco antes de falar merda, vai.

      Excluir
  5. O Mio Babbino Caro
    A hora é da Direita ou é Direita ou é Direita. Trump está com quem ou abaixam o rabo para os americanos ou abaixam o rabo para os americanos.

    ResponderExcluir
  6. As coisas não são mais como antigamente.
    Primeiro, Putin já moveu suas peças no tabuleiro pra dizer de qual lado ele está. Acho que ninguém vai ousar interferir na Venezuela porque isso seria desastroso pra nós, os vizinhos. Mourão já riscou qualquer possibilidade do Brasil interferir militarmente na Venezuela.
    A questão chave (risos) são os militares e milícias populares do Maduro. Quando a coisa chegar no ponto que acabar o dinheiro pra manter eles do seu lado nesse cabo de guerra, aí sim, alguma coisa pode mudar.
    E tem mais uma coisa Guaidó prometeu ser presidente apenas até que se reestabeleça a democracia. Como vimos no Egito, Líbia e outros países que chegaram as vias de fato na “primavera árabe”, o vazio do poder não levou exatamente a volta da democracia. Não é mais 1968. Agora é 2018, digo, 2019.

    ResponderExcluir
  7. A Constituição Venezuelana na época do Chaves era considerada EXEMPLAR por vários órgãos internacionais!

    Os brasileiros são uns jegues!

    (Mas vai TODO mundo SE FUDER mesmo porque petróleo NÃO EXISTE em sociedades avançadas extraterrestres que LOGO, LOGO serão "reveladas".)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E a manifestação Pró-Maduro ninguém fala nada não. Ah se eu não soubesse quem vocês são.

      Excluir
    2. Como, não fala? Vai ler jornal, seu boçal. Na Folha tem uma matéria sobre a manifestação pró-Maduro. Que só é apoiado por quem se beneficia diretamente do regime, por esquerdistas aloprados e por países autoritários como Rússia, Irã, China e Turquia. E, pelo jeito, por asnos como você. Vai pastar, que esse blog não é para a sua espécie.

      Excluir