segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

CES TIRS AU HASARD


Estava eu assistindo ao terceiro episódio da série "Você" da Netflix quando, na última cena, começou a tocar uma música bem do meu número. Apontei meu smartphone para a TV e apertei o Shazam. Segundos depois, a faixa "Mortel" da francesa Fishbach já estava na minha biblioteca. Como não sou nativo digital, ainda fico maravilhado com a facilidade com que se consegue músicas novas hoje em dia. Minha mente foi forjada nos anos 70 e 80, quando o que havia eram discos de vinil e novidades como essa cantora francesa simplesmente não chegavam ao Brasil. Flora Fishbach tem 27 anos e faz um technopop melodioso, aparentado ao de suas conterrâneas Juliette Armanet e Christine and the Queens (recomendo todas). Seu álbum "À Ta Merci" é uma estreia impressionante, sem faixas fracas e uma enorme inventividade nos arranjos vocais. Obrigado, tecnologia, por me proporcionar encontros fortuitos. Como diz a letra de "Mortel", "nunca vi nada tão mortal como esse tiros ao acaso".

3 comentários: