sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

TODOS OS CAMINHOS LEVAM A

Vi "Roma" pela segunda vez, no cinema. Fui a uma das sessões gratuitas promovidas pela Netflix em São Paulo e levei meu marido, que achou o filme chato. Esse troglodita insensível não conseguiu se interessar pela história de Cleo, nem se impressionou com os cinco ou seis planos-sequência de cair o queixo que o diretor Alfonso Cuarón espalha ao longo da obra. Compreendo: eu também não logrei me concectar com "Em Chamas", o badalado filme coreano que, assim como "Roma", entrou para a lista dos pré-selecionados ao Oscar de filme em língua estrangeira. Já para mim, essa revisita foi um êxtase estético. Já sabendo para onde a trama iria me levar, me concentrei nos detalhes, no fundo e nos cantos da tela. São muitos, e deles emerge um retrato impressionante do México. Entre 2001 e 2011, fui para lá 17 vezes, sempre a trabalho, então posso dizer que conheço um pouco do país. "Roma" me deu muita vontade de voltar.

8 comentários:

  1. Seu marido está certo. O filme é chato, muuuito chato. Mas quanto ao México, vc está certo; o país é mara.

    ResponderExcluir
  2. Tony vai ter listinha com melhores e piores? Ou você tá muito natalino e só vai rolar os melhores? ;/

    ResponderExcluir
  3. O México é incrível, sobretudo no Dia dos Mortos... A procissão de La Santíssima Muerte é praticamente uma micareta e a relação que eles têm com essa única ctz que o ser humano tem na vida é bem diferente de nós brazucas, que até evitamos falar no assunto, a morte pra gente ainda é um puta tabu. Já eles, os mexicanos, fazem um verdadeiro carnaval, com suas cores vivas e sabores apimentados... Da próxima vez que viajar pra lá, se puder, pegue esse período do ano, os primeiros dias de novembro, é tipo o mês de junho em algumas cidades nordestinas, uma festa de colorida, vibrante deslumbrantemente contagiante. #ficadica, Tonya. Quanto ao seu maridinho, parece que a classe média brasileira não curte muito filmes que colocam as tais chamadas minorias como protagonistas, tem sempre que ser filmes sobre as rycasss gastando horrores em Paris ou NYC, com muito looosho, glamour, bate-peruca, quilos de injeção na testa e muuuuuuuuuuuita lacração. Eu já me separava na hora desse insensível, trocava imediatamente pelo Gael Garcia Bernal beijando o Diego Luna naquele outro filme do mesmo diretor de "Roma, rs

    ResponderExcluir
  4. Ah, só pra constar: já vi esse filme umas dez vezes na Netflix e quero ver no cinemão tb. Ainda bem que ele não é unanimidade entre as cacuras dos Jardins, pois como diria Nelson Rodrigues... rs

    ResponderExcluir
  5. A cena do treinamento de artes marciais num vilarejo com o professor usando um tipo de collant é histórica!

    ResponderExcluir
  6. Gente pq bombadear a marida do tony goes pq ele nao gostou do filme, que bom que vivemos em um mundo plural, adoraria ouvir a opiniao dele!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voce quer opinião de quem gosta de MUSICAIS???

      PUH-LEASE BITCH!

      Excluir