domingo, 16 de dezembro de 2018

DOIS FUJÕES

Qual a semelhança entre João de Deus e Cesare Battisti, os dois foragidos da polícia que movimentam as manchetes deste fim de semana? É mole: ambos têm seguidores que acreditam piamente em sua inocência, apesar da avalanche de evidências em contrário. O médium de Abadiânia está sendo acusado de abuso pela própria filha  - e por mais de 350 outras mulheres, desde que o escândalo estourou há cerca de dez dias. Basta ligar a a TV para dar de cara com o relato apavorante de uma moça às lágrimas. Mesmo assim, houve passeata na cidade goiana clamando contra a "injustiça" de que o vidente seria vítima. O fato dele dedicar parte do dinheiro que arrecada para obras de caridade seria suficiente para livrar-lhe a cara, dizem alguns. É como diz a ombudsman da Folha na edição de hoje: somos muitos mais dispostos a aceitar denúncias de corrupção do que de assédio. Os homens "seriam assim", e ponto. VTNC. Já Cesare Battisti foi condenado há 40 anos pela Justiça da Itália, uma democracia que vive sob o estado de direito desde 1945. Sucessivos governos italianos, mais à esquerda ou à direita, querem que Battisti cumpra sua pena. Mas por aqui ele caiu nas graças do PT - o mesmo PT que capturou e devolveu a Cuba dois boxeadores que tentaram pedir asilo no Brasil durante os Jogos Panamericanos de 2007. É preciso ser muito tapado para acreditar que Battisti é um anjo. A essa altura, ele já deve estar na Bolívia, um dos poucos países sul-americanos ainda governados pela esquerda (para a Venezeula aposto que ele não vai, risos). Enquanto isto, João de Deus sinalizou que se entregaria à polícia ainda neste domingo. Oremos.

2 comentários:

  1. Qual a semelhança? IMPUNIDADE!!!! O brasileiro e o gringo sabem que aqui é o paraíso. Simples assim!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Se entregou à justiça divina e à da Terra. Fofo, né?

    ResponderExcluir