sexta-feira, 30 de novembro de 2018

VIVA O GORDO

A primeira foto da galeria que abre "O Livro de Jô - volume 2" é do LP da Norminha, a cantora pop que Jô Soares encarnava no programa "Faça Humor, Não Faça Guerra". Foi um dos primeiros discos que eu comprei na vida e até hoje sei as músicas de cor. ("O Dodge do Irajá é discreto até demais / É alaranjado e roxo todo em listas verticais"...) Sou tão louco pela Norminha que, uns 40 anos depois, comprei tudo de novo em CD. Jô Soares faz parte da minha formação como cidadão e não me lembro de um tempo em que eu não o conhecia. Por isto, foi uma honra receber o convite da Folha para resenhar o segundo volume de sua "autobiografia desautorizada". Claro que fiquei com medo de não gostar, mas não foi o caso. O livro é mesmo uma delícia. Minha crítica já está online e deve sair amanhã na versão impressa do jornal. Agora preciso ler o primeiro volume...

2 comentários:

  1. Tenho certeza que você irá adorar o primeiro volume. Um dos melhores livros que li no ano passado.

    ResponderExcluir
  2. O primeiro volume é ótimo!

    ResponderExcluir