segunda-feira, 19 de novembro de 2018

O NHOQUE DO AZAR


Demorou, mas finalmente Julia Roberts se rendeu às séries. E justo em uma que usa pouco o famoso sorrisão de um milhão de megawatts: sua personagem em "Homecoming" é uma ex-agente social taciturna, que não se lembra de nada do que aconteceu no centro de reabilitação de veteranos de guerra onde trabalhava. A história já foi contada em um podcast que era praticamente uma radionovela, com atores famosos, e sua adaptação para a TV ficou a cargo de Sam Esmail, o criador de "Mr. Robot". Ele conta de maneiras diferentes as duas épocas em que transcorre a ação. Quando Julia lida com os soldados recém-chegados do Iraque e do Afeganistão, a imagem ocupa a tela toda, a atriz sorri e seu cabelo está bem pintado e bem tratado. Já no futuro indeterminado em que ela trabalha como garçonete, o quadro se estreita (paredes se fechando?), a fotografia é mais "suja" e o cabelo de Julia parece um ninho de rato. Em comum, só a paleta de cores, que puxa para o marrom, e a trilha sonora grandiosa, que mistura peças clássicas e contemporâneas. O curioso é que cada um dos dez episódios dura cerca de meia hora: assim o mistério parece se desenrolar mais rápido, o que não chega a ser verdade. E o que está por trás dele? Dois pratos de nhoque, veja só. Achei que tudo se resolveria depois da entrada em cena da saborosa massa italiana, mas a Amazon Prime Video já renovou "Homecoming" para uma segunda temporada.

3 comentários:

  1. Ah, mas essa eu já assisti antes de você! :)
    Falando em Prime, eu não curto muito comédia, mas tem uma legalzinha chamada "Forever". Os atores são excelentes, e a história tem umas reviravoltas interessantes. bjs

    ResponderExcluir
  2. Maridón arrasando da Platinada, hein?

    ResponderExcluir
  3. Prime vídeo. Eita. Não via falar disso desde o lançamento de "Mozart in the Jungle" a um bom tempo atrás.

    ResponderExcluir