sábado, 17 de novembro de 2018

A SAUDIZAÇÃO DO BRASIL

Talvez o aspecto mais apavorante da onda troglodita que varre o Brasil seja a aversão à educação sexual nas escolas. É um misto de ignorância e má fé, e as consequências podem ser trágicas: uma explosão no número de meninas grávidas, além de uma geração inteira de gente mal resolvida com sua sexualidade. O Bozo espalhou as fake news de que um livro para pré-adolescentes estava sendo dado para crianças bem pequenas, e muito incauto acreditou. Agora vem essa deputada Rosinha da Adefal (Avante-AL),  propor a eliminação de qualquer conteúdo sobre o funcionamento do aparelho reprodutivo em sala de aula. Não se poderia falar sequer em masturbação, um tema "inadequado para adolescentes" (BERRO). Ela virou motivo de chacota do Oiapoque ao Chuí, e em breve não estará mais na Câmara: é suplente, e não foi reeleita para a próxima legislatura. Mas é um sintoma claro da boçalidade que nos permeia. Educação sexual nem deveria mais causar polêmica. Há estatísticas que provam que, onde ela existe, ocorrem menos abortos, o que deveria ser um objetivo dos evanjas (mas não é: o que eles querem mesmo é o controle da mulher pelo homem). Eu estudei a matéria nos anos 70, em colégio de padres beneditinos, então não venham me dizer que ela é conflitante com a Palavra do Senhor. E quem quer viver na Arábia Saudita?

11 comentários:

  1. A Bolsofamília ama a Arábia. O Dudu Bolso mesmo já deixou isso claro no twitter.

    ResponderExcluir
  2. Nossa que fofura essa deputtta, que carinha mais fofa ne gente! A falha no meio da dentadura lhe da um ar todo misterioso, será ela evanja ou crente? Mas os picumas loiros do tubinho entrega: é ignorante mesmo!

    ResponderExcluir
  3. Pra mim ela fez isso só para chamar a atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 23:36 Exato! O pior é que ela só chamou a atenção da esquerda. Na direita (eu acompanho quase todo mundo) passou praticamente batida. Talvez os esquerdistas pensem que, evidenciando algo que julgam ridículo, irão soterrar a ameaça. Ledo engano. Será que não aprenderam nada? Será que estão em busca de um Bolsonaro de saias, desta vez? Só pode ser algum tipo de masoquismo patológico. Só pode.

      Excluir
    2. 06:37 Evidente!
      A direita esconde esses fatos para não passar mais vergonha.
      Simples assim!

      Excluir
    3. 23:36 É eu sempre tenho essa dúvida. Evidenciar a barbaridade alheia: (I) deixa as pessoas menos preconceituosos porque ao ver o outro cometer barbaridades se tocam das barbaridades que fazer ou (II) deixa as pessoas mais livres para agir de forma bárbara sem medo devido a representatividade.

      Excluir
  4. O Mio Babbino Caro
    Ganha um pirulito com forma de piroca quem descrever como essa onda troglodita se formou no Brasil.

    ResponderExcluir
  5. 02:41, vou tentar responder, mas vou declinar do pirulito.
    Se examinarmos com mais atenção a história do Brasil podemos observar que nossa formação histórica foi permeada por uma ideologia conservadora, desde a época colonial. Não à toa adotamos a escravidão como elemento chave na economia, algo que jamais houve em Portugal. Mais tarde, os ventos liberais que sopraram nos países do Norte não se consolidaram de forma completa por aqui, porque já havia uma estrutura político econômica operando dessa forma no país, desde seu descobrimento. Os atores protagonistas dessa política, lógico, jamais tiveram interesse em mudar algo que estava dando certo para eles desde muito tempo. Isso dificultou e ainda dificulta qualquer tentativa de se implantar um regime realmente democrático no Brasil. Em suma, somos uma nação construída por poucos e para poucos, em que a desigualdade é sua marca registrada. Isso pode ser comprovado através da enorme concentração de renda que faz do país um campeão mundial. Observe que estamos entre as maiores economias do mundo, mas não somos capazes de repartir a riqueza que produzimos de forma igualitária e quando se tenta implementar políticas nesse sentido, vem uma gritaria de deixar qualquer um surdo. Essa forma desigual, também se materializa, por exemplo, na enorme violência em relação às camadas menos favorecidas. É uma violência institucionalizada, por sinal. E por ser institucionalizada, acaba sendo vista como natural. Esse nível absurdo de desigualdades não é percebido pela maioria das pessoas, independente do extrato social a que pertençam. Assim, em momentos de crise, é natural que as frustrações e angustias sejam projetadas em salvadores da pátria. Já vimos vários deles: Vargas e seu golpe militar, Jânio Quadros, os próprios militares, Collor de Mello, o caçador de marajás, e a até Lula e o PT. Todos com o propósito de exterminar a corrupção. E agora Bolsonaro. A impressão que dá é que ele apenas representa o velho sob a roupagem da extrema direita. Uma direita, diga-se de passagem, sem medo algum de dizer o que pensa e colocar em prática suas ideias por que está respaldada na frustração do brasileiros em relação ao papel vergonhoso do PT na condução política do país. O fato de o Brasil ter uma índole conservadora criou o terreno fértil para que brotasse o que estamos assistindo, estarrecidos.
    E pra quem conseguiu chegar até aqui,peço desculpas pelo textão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bla bla bla bla...darling vamos chegar num único racional: o brasileiro é de uma ignorância sem tamanho! Simples assim!

      Excluir
  6. Eu também goptaria de acreditar que as coisas pudessem ser resumidas num mero blá,blá,blá. Mas acredité, é por achar que tudo pode ser resumido numa coisa só, que chegamos aonde chegamos.

    ResponderExcluir
  7. 13:56 Valeu pela proposição!

    ResponderExcluir