quinta-feira, 25 de outubro de 2018

WITI MALIA

Aos poucos, os fluminenses estão se dando conta do horror que é Wilson Witzel. O candidato do PSC ao governo do Rio de Janeiro passou de quase desconhecido a mais votado no primeiro turno, provavelmente por causa de uma maciça campanha disparada por WhatsApp às vésperas da eleição. Mas, logo após essa vitória surpreendente, os podres do juiz começaram a vir à tona. Primeiro descobriram que ele estava ao lado dos brucutus que rasgaram uma placa em homenagem a Marielle Franco, todo pimpão e sorridente. Depois surgiu um vídeo onde o suposto paladino da moralidade ensina aos colegas como burlar o Tesouro e faturar uns auxílios a mais. Ontem, seu filho Erick deu uma entrevista reveladora ao jornal "O Globo". O rapaz é trans (nasceu mulher), e sua mera existência foi entendida como um sinal de que Witzel - que é filiado a um partido evangélico - não seria intolerante como seus correligionários. Mas Erick explicou que não é bem assim: filho do primeiro casamento de Witzel, cresceu longe do pai e nunca conversaram francamente sobre transexualidade. Ele pediu para não ser usado na campanha, mas não foi atendido; agora se sente exposto, pois muitos em seu trabalho não sabiam de sua história. Tomara que mais essa faceta obscura de Wilson Witzel pavimente a eleição de Eduardo Paes, que vem reagindo vigorosamente nos últimos dias e já assumiu a dianteira na capital do estado. Já basta um evanja despreparado e preconceituoso na prefeitura do Rio.

12 comentários:

  1. gente e o video do coronel contra o STF que ta rolando . O cara diz que os milicos tem PICA GROSSA. Sera esse o motivo do aumento das gays que votam nos milicos .. kkkkkk que safadinhas

    ResponderExcluir
  2. ser pai de trans é faceta obscura? Vejam só.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, a faceta obscura é ignorar o filho durante a vida toda e depois usá-lo politicamente na campanha eleitoral, para pagar de moderno.

      Excluir
    2. 12:30 kkkk nota zero em interpretação de texto para a senhora.

      Excluir
    3. 12:34 Tony vc acha que 12:30 não havia de fato entendido
      Evidente que sim, mas como bom brasileiro viu a oportunidade de querer "ficar bem na foto" apontando um preconceito no outro que provavelmente é um preconceito nele próprio.
      G-

      Excluir
    4. Gente, na vontade de defender moralistas sem moral, a pessoa escreve "ser pai de trans é faceta obscura? Vejam só.". Parece que não leu o texto ou se leu, não entendeu! Mas acho mesmo que é BURRO!

      Excluir
    5. "depois usá-lo politicamente na campanha eleitoral, para pagar de moderno" Não liga NADA pros sentimentos do filho que pediu para NÃO ser usado na campanha!

      Excluir
    6. Usar o pobre garoto para atingir o pai é uma covardia com... o rapaz!

      Tomem cuidado para não deixar tão clara a preferência da esquerda por Paes, todos sabemos qual será o resultado se a população perceber.

      Excluir
  3. O Mio Banbino Caro
    A cada vez mais viveremos essas situações nos fazendo lembrar o trecho da canção: "E aquilo que nesse momento se revelará aos povos. Surpreenderá a todos não por ser EXÓTICO. Mas pelo fato de poder ter sempre estado oculto. Quando terá sido o obvio". Afinal toda família tem algum membro da comunidade LGBT.

    ResponderExcluir
  4. E o vídeo do Haddad com a criança atirando no pai???? Que coisa, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais contundente ainda é aquele das crianças dizendo frases do Bostonazi.

      Excluir
  5. O Rio tá ferrado mesmo,o Paes não é lá flor que se cheire também,é da quadrilha do Cabral

    ResponderExcluir