quinta-feira, 18 de outubro de 2018

JOÃO TRAPACEADOR

Quando João Doria foi eleito prefeito de São Paulo em 2016, achei que se tratava apenas de um almofadinha arrivista sem conteúdo nenhum, Qual o quê: logo depois de sua vitória em primeiro turno, o prefake voltou-se contra seu padrinho político, o governador Geraldo Alckmin, e acho que tinha cacife para atropelá-lo na corrida presidencial. Seu único ano à frente da Prefeitura teve mais de 30 viagens para diferentes pontos do país, na tentativa afinal inútil de ser o candidato do PSDB ao Planalto. Depois Doria traiu o povo paulistano, ao largar o cargo para o qual havia sido eleito para concorrer ao governo do estado. Agora o botocado faz uma campanha de baixíssimo calão contra Márcio França, e chegou a implorar o apoio do Inominável. Joãozinho não é tucano, não é liberal, não é conservador, não é gestor: é um traíra oportunista, sempre pronto a virar casaca se achar que tem algo a lucrar. Os paulistas têm agora a chance de liquidar essa carreira espúria com uma bala de prata. França não é flor que se cheire, mas Doria é um predador. Merece ser abatido a votos.

4 comentários:

  1. O Mio Babbino Caro
    Tudo fica muito mais fácil e nítido quando se tem um lado.
    Porém como esse pulha conseguiu chegar até aonde chegou...eu me pergunto. Chega a ser curioso.

    ResponderExcluir
  2. Gente eu NASCI pra ver esse babaca perder a eleição !!! Apesar q o França tbm é dureza né...

    ResponderExcluir
  3. Cuidado, pode rolar processinho. Ele é desses.

    ResponderExcluir
  4. Não concordo com você.

    ResponderExcluir