sábado, 13 de outubro de 2018

A BARBRA TÁ BRABA


Barbra Streisand despontou no começo da década de 60, um período de grande ebulição social e política nos Estados Unidos. Ela não tinha nada de artisticamente inovador: na verdade, seguia a tradição de Judy Garland, Ethel Merman e outras "belters", indo na contramão de companheiros de geração como Bob Dylan e Joan Baez, estes sim, autênticos cantores de protesto. Mas careta, Barbra nunca foi. Sempre apoiou as pautas progressistas e chegou a promover um concerto dentro de sua própria casa para arrecadar fundos para a primeira campanha de Bill Clinton. Ela foi se tornando mais vocal (hehe) nos últimos anos, talvez por causa do filho gay, talvez porque o mundo retrocedeu pra burro. Agora a diva lança sua primeira canção de protesto, depois de mais meio século de carreira. "Don't Lie to Me" não cita Donadl Trump, mas ele aparece muito no clipe escrito e dirigido por Barbra. A faixa é o carro-chefe de "Walls", seu novo álbum, que reúne standards como "What a Wonderful World" e "Happy Days Are Again" e os recontextualiza como mensagens políticas. A capa e o título são meio angustiantes, mas "Walls" também é um manifesto pela esperança. Temos todos que ficar muito brabos.

15 comentários:

  1. Sim Tony, Barbra esta Braba...e não é Barbara!
    Agora, ela não tinha nada artisticamente inovador quando começou?
    Oh Amigo, Don’t be rude! Ela só tem a voz, por muito considerada a mais bonita que já existiu e o talento pra meter o seu nariz (e nisto ela tem propriedade! hehe), fazendo com maestria tudo perfeitamente, Cantando, Atuando, Dirigindo, Escrevendo, etc... sem que para isto precisasse rebolar a bunda para ser notada, como fazem as “cantoras” hoje em dia. Graças à Deus ela ainda esta ai, firme e forte, trabalhando e usando sua voz em defesa das coisas que ela acredita. Obrigado Barbra. Falta alguém assim aqui neste pais pra dar voz ao que o povo pensa e quer. Triste de nós. Quem se habilita. Anitta?! Ohh pleeeeease...melhor não.

    ResponderExcluir
  2. 17:36 Horríveis esses elogios de um em detrimento de outros.
    Salve Barbra Streisand eterna "People"
    G-

    ResponderExcluir
  3. OFF TOPIC: Varias vezes tento entrar no seu blog e ocorre problema de conexão expirada por falta de resposta no servidor. O problema é contigo ou é comigo?

    ResponderExcluir
  4. Ela é careta sim! Pirou (como a Cher pirou) quando soube que o filho era gay por um tempo! Não aceitou bem não!

    E eu também tenho problemas de conexão com o site...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu estou tendo probremas de conechao com mais de 50 milhões de brazileiros...

      Excluir
  5. O problema é com os 50 milhões.

    ResponderExcluir
  6. Como já disse, a música dela, como qualquer outra música não me causa nada. Meu corpo escuta, mas minha alma é surda.
    PS: Também ando tendo problemas de conexão com o seu site e com os eleitores do Bolsonaro também.

    ResponderExcluir
  7. Tony, essa Barbra que você percebeu so agora deixa o ativismo de Madonna e Lady Gaga juntas no chinelo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bebê, eu acompanho de perto a carreira de Barbra Streisand desde 1975, quando vi "Funny Lady" no cinema. Estou farto de conhecer o ativismo político dela. O que me chamou a atenção em "Walls" foi ela ter GRAVADO sua primeira canção de protesto. Isto é que é a novidade na carreira dela.

      Excluir
    2. Se você me chamar de bebê mais uma vez eu vou querer um beijo! 🙈

      Excluir