sexta-feira, 24 de agosto de 2018

A ORDEM DOS TALHERES

Soltei uma boutade nas minhas redes sociais que hitou: "João Amoêdo é um Bolsonaro que sabe a ordem dos talheres". Muita gente riu e compartilhou, mas alguns reclamaram que eu estou sendo injusto. Sim, estou, como em qualquer piada. De fato, há três grandes diferenças entre o candidato do PSL e o do Novo:

1) Amoêdo sempre foi a favor do estado mínimo, com pouca interferência na economia. Bolsonazi, ao contrário, sempre foi estatizante, ao longo de suas quase três décadas na Câmara de Deputados. Só recentemente que ele se converteu à cartilha neoliberal, delegando o comando da economia de seu improvável governo a Paulo Guedes. Trata-se, portanto de um "cristão-novo" da livre iniciativa.

2) Amoêdo sabe explicar com clareza seu projeto de governo. Boçalnaro se enrola todo, se perde, fala platitudes e não sabe reagir quando uma figura apavorante como a temível Marina Silva o interpela. Ele só prega aos minions.

3) Amoêdo nunca se envolveu em polêmicas racistas, machistas e homofóbicas. Nunca xingou ninguém em público, nem elogiou a tortura e a ditadura. Não tem tendências autoritárias. Não fala bobagens contra a ONU. Já o Bostanaro...

Dito isto, existe mesmo uma semelhança entre as propostas de ambos. Tirando a fantasia de Brucutu e mandando fazer o curso da Madame Poços Leitão, o que sobra do Solnorabo (aprendi ontem e já adotei) é muito parecido com o Amoêdo. Os dois já se declararam contra o estatuto do desarmamento, contra a descriminalização das drogas e a favor de manter as leis do aborto como estão. Amoêdo, pelo menos, se diz pela "união civil" entre pessoas do mesmo sexo, como prega a linha oficial de seu partido (mas custava chamar de "casamento"?).

Só que Amoêdo é bem mais conservador do que muitos de seus correligionários. Entre eles está uma amiga minha, a Dra. Regina Leitão, que concorre a deputada federal por São Paulo, uma das primeiras pessoas que aderiu ao partido Novo. Regina é médica, séria no trabalho (mas divertida nas horas vagas), liberal nos costumes e especialista na área da saúde. Ela merece ser eleita: quem estiver procurando um bom candidato mais à direita, acabou de encontrar.

Verdade que o Novo também possui sua cota de malucos. Tem um que já viralizou, Ricardo Salles - aquele que prometeu vender TANQUES DE GUERRA para os fazendeiros defenderem suas terras. Mas o partido já repudiou suas posições. E é sempre bom lembrar que o Cabo Daciolo foi eleito pelo PSOL. Vão dizer que não sabiam que ele era um fanático religioso? Nenhum partido escapa.

O que me incomoda no Novo é eles se proclamarem "liberais". Não são, no sentido amplo do termo: quem é liberal de verdade não o é só na economia, mas também nas pautas sociais. Alguns exemplos de liberais para valer: Barack Obama, Justin Trudeau, Emmanuel Macron, Fernando Henrique Cardoso. João Amoêdo não faz parte dessa turma, e muitos do Novo também não. Que, a rigor, de novo só tem a proposta de exigir ficha limpa de todos seus afiliados e não usar dinheiro público na campanha. Talvez devessem mudar o nome para... Rico?

17 comentários:

  1. Tolinho! Como que depois desse golpe você acredita em democracia ou perde tempo no Facebook depois do Snowden. Acorda fio! Tem gente rindo da sua cara de TROUXA! Viva os juros

    ResponderExcluir
  2. Tentar destruir uma reputação com uma frase rasa e lacradora só para gerar tweets está muitos degraus abaixo do que você já foi um dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tô nem aí. Hitei, mitei, divei, lacrei, viralizei e é só isso o que importa.

      Excluir
  3. Numa hipótese muito (muito mesmo) remota até votaria no Amoêdo porque ao menos ele parece saber o que significa uma democracia, assim como a Marina, que dessa vez (e ao menos por enquanto) parece que aprendeu e deixou de misturá-la com a sua religião. Agora em gente populista que fala as asneiras que o povão quer ouvir (seja ideias de direita ou de esquerda) jamais. Qualquer pessoa minimamente inteligente sabe que não existe um super herói que vai resolver todos os problemas desse país com soluções simples e eficazes. São problemas complexos que exigem planos de solução de longo prazo e que não serão solucionados durante 1 ou 2 mandatos. Alguns deles como a educação, só se resolvem relmente depois da troca completa de uma geração e por isso quase nenhum candidato se foca nele. Quando muito fica nas processas basicas de "construir mais escolas".

    ResponderExcluir
  4. Nenhum dos nomes que citou é de um liberal, todos são social democratas exceto o Trudeau, que é um progressista. Mas de fato João Amoedo é um conservador no sentido britânico, porém está muito mais alinhado ao liberalismo que o Bolsonaro que está mais para um positivista do que qualquer para conservador,e quanto a sua provocação de que ela seja só ''rico'', como se fosse algo ruim, enfim paciência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Onde que Amoedo é liberal, bb? Só na economia, pois nos costumes ele é só mais um conserva.

      Excluir
    2. Num país de pobres, ser rico é um defeito sim! Ainda mais que o patrimônio dele é de renda que ele recebe de aplicações financeiras, que não geram trabalhos na economia real (pode até gerar, mas é muito pouco).

      Excluir
    3. Primeiro, a única pauta não liberal que o João Amoedo defende é a não liberação do consumo de drogas, o resto esta sim alinhado ao discuro liberal. Segundo, reitero que não é defeito ser rico de forma honesta (vamos partir desse pressuposto), aplicações financeiras tem como objetivo ''emprestar'' dinheiro para pessoas abrirem seus negócios ou fazerem grandes investimentos (construção civil por exemplo, que depende de empréstimos para tudo), e claro que o cara recebe juros. O problema do rentismo tem haver com a nossa dívida pública, mas é culpa dos governos que gastam como se não houvesse amanhã. Não é culpa de uma pessoa rica que ainda exista a pobreza. A menos que ele a cause deliberadamente. E só para corrigi-lo, espero não ser indelicado, mas aplicações financeiras junto a uma cultura empreendedora movem a economia de um país, não gastos públicos e manipulações de crédito.

      Excluir
  5. So aqui mesmo pra existir essa contradiçao de liberal na economia e conservador no comportamento. Sejamos sinceros: sou liberal com meu dinheiro, mas nao aceito quem nao for da minha turma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mesma contradição que existe com: não quero imposto pra mim, quero pros outros... Concordo que é infeliz essa defesa de ''meia'' liberdade, mas quem defende a liberdade atualmente? Nenhum, todos hipócritas.

      Excluir
  6. Jamais votaria em "candidato da saúde" neoliberal. Saúde não é mercadoria, não pode ser. Espero que ela perca e tantos outros que tem formação na área mas apenas atacam e desmantelam ainda mais nosso SUS.

    ResponderExcluir
  7. Já te corrigi uma vez e corrijo agora de novo. A madame é Poças Leitão com "a", não Poços Leitão!

    ResponderExcluir
  8. Não MESMO!!!

    Eu só "voto" porque é OBRIGATÓRIO. Aí então voto nas defensoras das fracas e oprimidas!!

    Vida bandida!

    ResponderExcluir
  9. Mas li o resto do texto. FHC NÃO!!!!

    ResponderExcluir
  10. Hahahahahahaha a verdade é que todas vcs estão com o cuzinho na mão!!!
    O desgraçado vai vencer e vai fazer da vida de vcs um verdadeiro inferno!!!!
    Ai sim todas gritarão em unisono : LULA LIVRE !!!!!!

    ResponderExcluir
  11. Amôedo é conservador, não liberal. Acontece que aqui no Brasil liberal é basicamente sinônimo de conservador. Amôedo é liberal na economia e conservador nos costumes, característica comum entre boa parte dos conservadores. O termo técnico exato para qualificar Amôedo no espectro ideológico, é conservador.

    ResponderExcluir
  12. Tony, observe pelos comentários das analfabetas como sua confusão conceitual gerou equívocos. Liberal, no Brasil e na Europa, não tem o mesmo significado dado nos EUA (por má-fe da militância politica). Você confundiu liberalismo (um conceito particular da ECONOMIA) com progressismo (ou algo que o valha). Não é preciso lacrar na desinformação, para defender seu ponto de vista. #paz

    ResponderExcluir