quarta-feira, 18 de julho de 2018

LGBT SEM P

Não há uma razão objetiva para alguém ser homofóbico. Dois homens ou duas mulheres (ou mais...) transando entre si não traz nenhum prejuízo concreto à sociedade. Nem mesmo o velho argumento de que "homossexuais não se reproduzem" cola mais. Não faltam exemplos de LGBTs com filhos biológicos, e não é que o mundo esteja precisando de mais gente. Por tudo isto, os homofóbicos de raiz precisam inventar fake news para justificar seu ódio. Uma das mentiras mais comuns é associar a homossexualidade à pedofilia. Claro que existem pedófilos gays, mas o número é ínfimo se comparado ao de héteros. A maioria avassaladora dos casos de abuso sexual de menores ocorre no seio das mesmas famílias heteronormativas que essa corja defende como a única possível, cometidos por um parente HT do sexo masculino. É só consultar qualquer estatística. mas volta e meia a extrema-direita volta à mesma tecla. Desde sexta passada, quando um dos Bolsonazi Jr. espalhou que os pedófilos querem entrar para a sigla LGBT (o que não tem o menor respaldo na verdade), o bate-boca se espalhou pela internet. Luminares da boçalidade vêm se posicionando contra a "normatização" da pedofilia, e muita gente boa vêm discutindo com eles nas redes sociais. Esse tipo de atrito é inútil, ainda mais porque acontece no campo do adversário. Os seguidores do pulha irão tirar palavras suas do contexto e distorcê-las até que elas digam o que eles querem. Também não acho producente ignorá-los. Virar a cara para o outro lado e fingir que não existem só deixa o campo livre para as mentiras avançarem. Temos mais é que denunciá-los pela rede toda e mostrar de onde vêm essas infâmias - como faz esta brilhante matéria do BuzzFeed.

É óbvio que se trata de um ataque coordenado. E é intrigante pensar por que ele está acontecendo justo agora. Cheguei a uma conclusão singela: a razão de tudo isto é a estagnação do Bolsonazi nas pesquisas. Ele não cresce há meses. Chegou no teto que a internet seria capaz de lhe proporcionar, e terá pouquíssimo tempo de TV. É significativo que Magno Malta tenha desistido de ser seu vice. O pastor preferiu se candidatar à reeleição ao Senado, muito mais garantida. A dificuldade do Boçalnaro em firmar alianças é tão grande que não faltam analistas políticos prevendo que ele é nova Marina: larga na frente, mas logo perde o fôlego. É por isto que, neste momento em que a campanha eleitoral começa para valer, os bolsominions estão tentando gerar pânico moral. Usando a mesmíssima estratégia dos teocráticos (com quem muitos deles se confundem): demonizar os gays, para criar a sensação de que o mundo está ameaçado, e desviar a atenção dos problemas de verdade. Faz sentido, não faz? Só que não vai dar certo. É bom essa turma jair se acostumando. Vai levar uma tunda nas urnas em outubro.

19 comentários:

  1. Eu acho que quem ele cobseguiu exatamente o que queria. Todo mundo, inclusive você, está falando nele. E como as pseudocelebridades, ele sabe muito bem que a melhor forma de aparecer na mídia é ficar causando. É a mesma tática que "os malucos" da edquerda usam. Se não falarem que se forem eleitos vão estatizar e nacionalizar a Coca-Cola, jamais iriam aparecer na mídia. Es sabem muito bem que não vão fazer, mas falam isso para chamar a atenção. E isso conta muito. Se não fosse a cobertura da mídia eu jamais saberia quem é Bolsonaro. No entanto, sei muito mais sobre ele do que sobre qualquer outro candidto. Se numa pesquisa alguém perguntar diga um nome de candidato a presidência, inflizmente, o nome dele é o primeiro que me vem a cabeça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Exatamente! Vc como protótipo das massas! A famosa maria-vai-com-as-outras, a loka que não consegue ir além do dois mais dois igual a cinco! Parabens ignorante!

      Excluir
    2. 05:25 Aprenda a ler. Disse que se me perguntarem o nome de um candidato qualquer, não o nome do candidato que votaria. Querendo ou não, por causa do foca que dão nele, todo mundo sabe muito mais sobre o Bolsonaro anda fazendo ou deixando de fazer do que o sobre o candidato que a pessoa pretende votar.

      Excluir
    3. O UOL/Folha por exemplo, hoje têm duas "notícias" sobre ele na primeira página. É muito raro passarem um dia sem ter uma notícia sobre ele. Quando o Ciro xinga alguém, aparece de vez em quando. Se não, assim como todos os outros candidatos quase nunca nem é citado a não ser me matérias especificas sobre eleições que falam sobre todos os candidatos. Acredito que fazem isso porque ficar falando sobre o Bolso, provavelmente, "vende o jornal". Porém, isso só o torna mais conhecido (foi o que ocorreu com o Trump, a mídia o criou e ainda o alimenta, pois ele "vende o jornal"). Também há a possibilidade de que façam isso com intenção de promover ele mesmo, nunca se sabe. Enfim, estar sempre presente na mídia é uma forma barata e boa de propaganda. AS pseudos polêmicas que surgem no lançamento de algum filme ou novela que o digam... Sem um partido grande e sem dinheiro, essa é a melhor forma de propaganda para ele.

      Excluir
    4. É aquela pergunta: Se o programa da Fátima Bernardes ficarem discutindo sobre o neonazismo, isso fará o número de adeptos desse movimento cair ou subir? Tendo em vista o que ocorreu com o movimento da Terra plana que depois que virou assunto na mídia (mesmo em forma de chacota) só cresceu, eu diria que a situação acima aumentaria o número de neonazistas. Até pq o público desse programa não é neonazista (logo o programa não vai conscientizar pessoas nazistas a deixarem de ser nazistas). O que o programa vai fazer é apresentar o movimento a várias pessoas que sequer o conheciam. E talvez algumas pessoas se identifiquem com ele.
      O movimento LGBT é meio que a mesma coisa. Se todos os gays só ficassem nos guetos, quietos e sem chamar a atenção, os avanços (direitos) que vemos hoje jamais teriam sido alcançados. Até porque, assim como o cara da Crimeia, a maioria das pessoas ia acreditar que gays não existem.

      Excluir
  2. Talvez também já seja a hora de desembarcarmos desse combo LGBTABSCFGSEILAOQUÊ. A realidade um gay, de um travesti, de um transexual, não são as mesmas, as necessidades não são as mesmas, os interesses já não são mais os mesmos e já existem divisões e conflitos internos nessas militâncias. Será que há algum sentido ainda em se manter esse bloco ? Não seria a hora de cada grupo buscar suas próprias afinidades e interesses ? Pois, uma hora, isso vai ter de acontecer. Assim como as baladas gays estão desaparecendo, pois os gays estão ficando mais integrados à sociedade e precisam menos dos antigos guetos, em algum momento a sopa de letrinhas também vai ter de rachar e cada uma seguir pra seu próprio lado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu concordo. Eu não sou LGBT. Eu sou gay.

      Excluir
    2. Tempos atrás lendo esse comentário eu discordaria totalmente; mas hoje em dia já fico na dúvida. Depois que vi na Parada deste ano um grupo de novas sexualidades ou coisa que o valha carregando cartazes em que estava escrito “A Parada Não é Gay” em plena Consolacao, realmente me questionei o que eu fazia lá e por que me identificar com grupos que resolveram não se identificar comigo.

      Excluir
    3. Ah. Só para refletir. Nessa manhã o Uol, a Folha, e o Estadão têm respectivamente 3, 4 e 8 "notícias" na primeira página que citam o Bolso no título e, exceto pelo Estação que cita o Ciro uma única vez, nenhuma "notícia" sobre os demais pré-candidatos.

      Excluir
    4. Interessantemente, o G1 e o R7 não fazem citação alguma sobre ele nesse momento...

      Excluir
    5. Por isso se fala "queer"...mas a verdade é que a palavra também é um problema, porque as demandas de cada letrinha são diferentes. Acho que depende do contexto. Podemos usar queer em algumas horas...ou cuir, como uma autora mexicana sugere.

      Excluir
  3. O Mio Babbino Caro
    Assunto sério embalado com desonestidade e o mau caratismo de sempre.
    Quando da 17° Conferência da ILGA em 1995 no RJ. Houve sim pela imprensa, grupo se retirando, argumentando que em troca da instituição de um ano internacional de apoio à luta homossexual pela ONU, não se discutiria pedofilia...Tudo muito horrível. Cá estamos por outro viés nesse mesmo horror descritos por suas palavras. Que esse farsário seja desmascarado e que os homens de bem deem conta dos demônios da humanidade.

    ResponderExcluir
  4. Entendo seu ponto de vista, amiguinho!
    Mas no final todo mundo dessa sigla é só viado, do mesmo jeito que as mulheres mais diferentes possíveis são no final só mulheres, e os negros mais diferentes são só negros... A uma intersecção dentro desses grupos em que os diferentes se tornam iguais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem muita trava hoje em dia escrevendo em Facebook que não é viado, que é mulher e que não gosta de gay (mas adoram que gays lutem pelas reivindicações delas).

      Excluir
  5. Quero ver a defesa da DeFu da famiglia Bolsonaro agora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela não aparece nesses horas. Ela só aparece quando supõe convencer num quadro de pânico moral...

      Excluir
  6. Temos que tratar sujeira com mais sujeira. Se ele inventa boatos, vamos fazer igual e inventar boatos mais baixos ainda. Essa obsessão com gays só pode ser coisa de enrustido, vamos cair em cima deles com isso.

    ResponderExcluir
  7. Bichas de todos os partidos uni-vos!
    G-

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. G-, eu acho que é mais fácil o inferno congelar do que isso acontecer...

      Excluir