terça-feira, 26 de junho de 2018

APENAS BONS AMIGOS

Bill Clinton derrotou George Bush nas eleições americanas de 1992, efetivamente encerrando a carreira política do 40o. presidente americano. Muitos anos depois, quando Clinton também havia saído da Casa Branca, os dois começaram a ser convidados juntos para todo tipo de evento e campanha humanitária. Consta até que dividiram o mesmo quarto durante uma viagem de visita às vítimas de um furacão ou coisa que o valha. Eles mantêm uma relação civilizada até hoje, sem nunca terem se atacado no estilo "herança maldita" ou, pior, como Trump está tentando desfazer as instituições de seu país. Ontem Clinton visitou o nonagenário Bush, que acabou de ficar viúvo e não levanta mais da cadeira de rodas. Em troca, ganhou esse tuíte super simpático, provavelmente escrito pela equipe do pai de W. Bush. Também duvido que tenha sido uma visita 100% sincera; Clinton está promovendo seu primeiro romance, "O Dia em que o Presidente Desapareceu", e Bush fez o merchandising que o "amigo" tanto queria. Na verdade, pouco importa se os dois se amam ou se odeiam longe das câmeras. O que interessa é que dois adversários políticos conseguem posar juntos sorrindo, e trocar gentilezas nas redes sociais. Ah, que saudades de um tempo mais simples, sem tanta polarização.

11 comentários:

  1. E por falar em presidentes americanos, vcs viram que visita bacana do vice de trump em brasilia? Foi de uma sensibilidade notória!
    Parabéns brasileiros! Vcs bem que mereceram esse tapão na cara que o vice deu em vcs!
    Topam ir empurrar pato na paulista?

    ResponderExcluir
  2. A última frase do post não faz sentido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudades dos tempos que não havia a absurda polarização que existe hoje. Em que adversário não era sinônimo de inimigo.

      Excluir
    2. A polarizaçao absurda existe pelo simples fato do assalto a inteligência, ao racional, que a direita está a infligir ao país! Sem mais comentários!

      Excluir
    3. Hahaha, agora que eu vi que a última frase havia mesmo saído sem sentido. Maldito corretor! Já consertei, obrigado pelo toque.

      Excluir
  3. Agora os candidatos estão todos com sangue nos olhos, o que me faz ter medo de todos. Até daqueles que eu um dia apoiei. Porque parece que não importa quem vença, será um extremista, seja para um lado ou para o outro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só quatro candidatos têm, neste momento, chance de ganhar a presidência: Alckmin, Ciro, Marina e Bolsonaro. Dos quatro, só um é extremista.

      Excluir
    2. Vivi pra ver Tony considerando Ciro um ser moderado e equilibrado. Isso por si só explica o sucesso do Bolso.

      Excluir
  4. ‘Herança maldita’ é marketing de político boçal boquirroto e péssimo caráter, que não tem o que dizer ou fala qualquer besteira que lhe venha à cabeça. É marketing regado a Romanée Conti pago via offshore.

    ResponderExcluir
  5. O Mio Babbino Caro
    O problema foi o que W. Bush fez "Em nome do Pai".
    Difícil está sendo controlar a direita em sua sede segregadora.

    ResponderExcluir
  6. O comentário pode soar grosseiro. Mas não é essa a intenção, é só um apontamento. Bush pai traiu Barbara, que como tantas esposas preferiu manter o casamento. E nesse momento que Barbara se foi, Bush pai tão somente aguarda sua hora de partir. Voltas da vida.

    ResponderExcluir