terça-feira, 22 de maio de 2018

O EX-PAÍS DO FUTEBOL

A seleção brasileira chegou à Copa de 1966, na Inglaterra, como franca favorita (o Brasil havia ganho as duas Copas anteriores), mas foi eliminada logo na primeira fase. Um vexame histórico. Quatro anos depois, às vésperas da primeira Copa do México, o país se energizou de forma nunca vista. Foi o tempo dos "90 milhões em ação", até hoje o hino mais empolgante do nosso futebol. O fenômeno se repetiu nas Copas seguintes: não importava muito o resultado anterior, nós sempre nos tingíamos de verde-e-amarelo. A publicidade, então ia à forra. Criava personagens (quem lembra do Pacheco?), lançava campanhas milionárias, faturava para o ano inteiro e o próximo. Eu participei, eu estava lá.

Mas estou com a nítida sensação de que essa euforia acabou. Ligo a TV e quase não vejo comerciais falando da Copa. Não tem bandeirinhas nas ruas, muito menos os grafites coloridos que cobriram o Rio em 1982. Falta menos de um mês para jogarmos contra a Suíça e parece que ninguém está nem aí. Tem até pesquisa que mostra que apenas 20% dos brasileiros se importam com o futebol. Por um lado, acho isso ótimo. Nossa vitórias em campo sempre foram usadas politicamente pelos políticos de plantão, como o governo militar ou o asqueroso Paulo Maluf. E o frenesi futebolísitco tinha mesmo cara de ópio do povo, para nos distrair dos problemas de verdade. Mas alguma coisa aconteceu, talvez por causa do 7 a 1. Aquela derrota para a Alemanha foi vendida pela mídia como se fosse um 11 de setembro, uma tragédia irreparável em nossa psiquê. Mas a verdade é que, para a maioria dos brasileiros, aquilo foi apenas uma partida de futebol. É chato perder, mas ganhar não paga as contas. O desemprego e a violência são bem mais chatos. Isto é sinal de amadurecimento, claro. Mas também há um lado ruim: estamos desalentados, brochados, sem ânimo para nada. A crise que já dura anos e a falta de perspectivas nos deprimiu. Nem a seleção do Tite, a mais eficiente em décadas, consegue nos tirar da pasmaceira. Claro que uma vitória arrasadora logo de cara vai nos dar um up, e não duvido  nada que o Brasil se sagre hexacampeão na Rússia. Mesmo assim, sinto que não podemos mais ser definidos como o país do futebol. Mudamos, e ainda não sei se para melhor.

26 comentários:

  1. Não acho que o Brasil ganhe, a não ser que aconteça manipulação e maracutaia e muita grana em jogo, já que a desonestidade também é grande neste meio esportivo, não vejo,não assisto e não ligo, não me acrescenta nada esta pataquada!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois daquele 7x1 somente masoquista fica animado com esta seleção

      Excluir
  2. O Mio Babbino Caro
    Abandonei esse barco logo depois daquela Copa na Espanha. Nunca mais consegui sentir aquele tesão de torcer pela seleção. No 7x1 até cochilei naquela tarde fria.
    Acredito que isso seja um sintoma daquilo que possa vir aí pela frente ou seja, isso aqui se desintegrar.
    Já que somente um grupo detém as benesses e não há respeito nem atenção pelos demais. Que cada um vá em busca de seus interesses. O egoísmo e a burrice venceram, se não houver atenção...acredito que faliu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grupo que detém benesses, estamos falando do funcionalismo público, já que são eles que ajudam a destruir o país.

      Excluir
  3. Discordo um pouco, apesar dos anunciantes não terem ainda gastado milhões com isso, talvez pela crise, o álbum da copa é um sucesso retumbante e um termômetro de alguma forma.

    ResponderExcluir
  4. Na copa de 2014 foi parecido. Daqui há 15-20 dias a febre futebolística voltará como o esperado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "há" é para falar do passado, bicha lenta

      Excluir
  5. Tony,hj o papel atual das seleções mudou muito. O futebol está globalizado e super times como Real Madri e Barcelona têm torcedores mundo afora, os campeonatos europeus, bem como a NBA, NFL, acabam atraindo o interesse da mídia e dos espectadores, diluindo um pouco o interesse antes da Copa. Soma-se isso à perebagem dos campeonatos nacionais , dirigentes esportivos e políticos ,e principalmente jogadores sem muita identificação com a torcida, como o Neymar e seus amigos-parasita e suas selfies de linguinha de fora. Acho que a Copa vai pegar mesmo quando e se o Brasil jogar bem, aquele período de comoção que havia talvez tenha ficado no passado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei, Sérgio, to gargalhando com perebagem e amigos parasitas, melhores definições sobre nosso futebol.
      Acho que futebol da seleção só atrai quem ama futebol, o resto não se ilude mais tão rápido.

      Excluir
  6. Concordo contigo. Lembro que, quando eu era mais novo, no bairro que moro aqui em SP, o pessoal pintava as guias da ruas de verde e amarelo (paulistanos adoram pintar as guias...). Hoje, realmente nem bandeira na janela o pessoal põe. Porém, acho que isso não acontece só com o futebol. Na mesma época das guias verde e amarelas o pessoal enfeitava a rua com bandeirinhas na época de São João. Hoje, nem a igreja daqui de perto faz festa junina...

    ResponderExcluir
  7. Acho que parte desse apelo ufanista era uma imagem promovida pela Globo. Com a relativa decadência atual da emissora, o povo vai aos poucos descobrindo que há coisas mais importantes na vida. De certa forma o mesmo está acontecendo com a imagem do carnaval. Aos poucos a fórmula pasteurizada de carnaval que a Globo vendia vem sendo substituída por algo (ao menos por enquanto) mais autêntico, que são os blocos de rua. E vamos combinar que carnaval existe no mundo todo, e muito antes de começarem a fazer aqui.

    ResponderExcluir
  8. E ta reclamamdo do que exatamente???
    Futebol é pra ze povinho, gentalha!
    Quando esses jogadores vierem todos comer meu cu e me dar muito grana, dai então prestarei alguma atenção neles!
    Até então pra mim nao passam de merdinhas!!!

    ResponderExcluir
  9. Vixi, se a situação esta péssima aguarde umas boas duas décadas pra chegar aonde estava na época do Lula!
    Nao tenho do nenhuma de vcs, só torço pra vcs ficarem mais fudidos do que estão afinal vcs pediram isso nao foi nao? Cade o pato da paulista salvador da patria?
    Fodam-se macacos!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 21:14 Mas não irão admitir nunca a merda que fizeram.

      Excluir
    2. Claro, porque estava tudo maravilhoso em 2015 com a Dilma descaralhando tudo.
      Vcs tentam reescrever a história e acham que todos abaixaremos a cabeça pra seus crimes.
      Tentem melhor. Não está vingando.

      Excluir
  10. Você não é o único a notar isso. O famoso Alzirão no Rio ainda não se mobilizou pra decorar a rua pra copa. O SAARA já, mas mais numa tentativa de alavancar esse espírito do que acompanhar o ânimo das pessoas.

    ResponderExcluir
  11. Calma...tá muito cedo ainda... Mais 20 dias e o país vira as atenções para a Copa. E 20 dias são uma eternidade nesse nosso dia a dia cheio de notícias bombásticas.
    Mas, numa coisa vc tá certo. Brasileiro já entendeu que futebol é só entretenimento. Lava-jato é que muda a vida deles.
    Jornais noticiaram ontem: " pesquisa mostra que 77,7% se dizem mais interessados no noticiário sobre a Lava Jato do que no torneio que reunirá as maiores seleções de futebol do mundo, na Rússia, a partir de 14 de junho – 10% nem querem saber de qualquer um desses assuntos; e 1,7% não opinou (a margem de erro é 2,0% para os resultados gerais)."

    ResponderExcluir
  12. Isso não é de hoje. A Copa passada - e que ainda por cima foi em SP - também foi bem mais ou menos. Só quando os jogos começaram que deu um pouco de ânimo, mas mesmo assim não foi nenhum espetáculo. E daí veio aquele resultado, claro. A copa deste ano, sendo em um país distante e com este precedente, tende a ser me nos animada ainda. Acho ótimo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até hoje dou gargalhada dos esquerdinhas que na copa postavam "Vai ter copa, sim!", num surto dilma-ufanista.
      Agora tudo caladinho diante dos estádios bilionários apodrecendo.

      Excluir
    2. Oras BOLAS e teve Copa!
      E que Copa!!

      Excluir
  13. Adoro "Copa" e acompanho futebol, principalmente as ligas europeias. Mas em relação à seleção brasileira algo se quebrou depois de 98, perdi a identificação, aquela inocência de se ver realmente representado ali.

    ResponderExcluir
  14. É uma decadência total do Brasil. Política, cultural...as elites continuam enfurnadas em suas bolhas e salas VIP de Miami...

    ResponderExcluir
  15. Acho que vc deveria escrever crônicas esportivas e ir participar de programas de rodas redondas de futebol (tipo do Milton Neves) queria que vc fosse o primeiro gay assumido sendo um grande comentarista de futebol.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gay eu já sou. Só falta começar a gostar de futebol.

      Excluir
  16. Tony, duas astrólogas deram entrevistas (uma delas para o Amaury Jr) dizendo q o Brasil não vencerá... Vc acredita?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uai, por que não? Futebol é uma caixinha de surpresas.

      Excluir