sexta-feira, 4 de maio de 2018

NOSSO 11 DE SETEMBRO

O incêndio e o desabamento do edifício Wilton Paes de Almeida pode deixar em São Paulo uma cicatriz tão grande quanto a do ataque que derrubou as Torres Gêmeas em Nova York. A diferença, é claro, é que aqui os terroristas somos nós mesmos: não precisamos de nenhum Osama bin-Laden para produzir esse desastre. O lado bom é que, além de ter feito poucos mortos, a tragédia do Largo do Paissandu lançou luz para um problema gravíssimo, que no entanto tem solução. Vamos passar por cima dos comentários estúpidos nas redes sociais: muito mais interessante e produtivo é saber que a união, o estado e o município tem centenas de imóveis desocupados, muito deles bem localizados, e que poderiam ser reformados para se transformarem em moradias populares. Mas precisamos cobrar isso das autoridades, e eleger autoridades que estejam a fim disso.

12 comentários:

  1. Ouviram rapeize? Votem certo que resolvemos esse problema!

    ResponderExcluir
  2. Ah Tony. Como eu já disse no outro comentário, eu acho que vamos seguir o modus opetandi de sempre. Enquanto esse assunto estiver dando audiência, todo mundo vai prometer fazer mudanças. Daqui uns 2 meses, ninguém mais lembrará de nada e nem estará interessado nesse assunto novamente. E tudo continuará como sempre foi...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente aqui no Brasil e em países em desenvolvimento funciona assim!É lamentável.

      Excluir
  3. O Mio Babbino Caro
    ...Silêncio, aos Condenados da Terra sua condenação

    ResponderExcluir
  4. Então vamos falar sobre esse assunto sem mencionar a máfia criminosa que se beneficiava da miséria, exigindo o pagamento de mensalidades pela "ocupação" do espaço. Fingir que ameaças não foram recentemente feitas a quem permaneceu no Largo do Paisandu, para que se comente sobre o real funcionamento dos ditos "movimentos sociais". Ignorar o livre comércio e uso de crack, que ocorria no edifício. Calar sobre a ficha policial dos moradores que "mantinham a ordem" no lugar. Ou melhor, faremos como parte da mídia ainda faz com relação ao PT, dando abertura para que organizações criminosas deem suas versões fantasiosas sobre os fatos.

    Tony, há, sim, prédios desocupados, mas como aquelas pessoas bancariam o condomínio? Quem pagaria pelo retrofit dos edifícios, que custa mais que contruir do zero? Torres altas exigem cuidadosa manutenção periódica dos elevadores, das esqadrias, das fachadas, da estrutura, do sistema de combate a incêndios e das instalações de água, gás e eletricidade. Você, como membro da "elite opressora", está com sobra no seu orçamento para pagar por essa farra? O Estado está superavitário? A economia está bombando?...

    Sobre esse tema, o que não falta é texto repetindo clichês idealistas, permeados da aura do politicamente correto, mas quase não há quem descreva a REALIDADE. Tenho a sensação de que só irão descançar quando transformarem o Centro Histórico da cidade de São Paulo na maior favela urbana do planeta. Daí não vai adiantar reclamar da violência, da fuga generalizada dos ricos e das classes médias - com a consequente diminuição do PIB urbano -, da sujeira, dos estupros, da homofobia, do machismo, etc, pois o estrago será irremediável.

    The Fool

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antes mesmo de ver que tinha assinado o texto so pelo tamanho já tinha passado pela minha mente: DeFu... DeFu... DeFu...
      Nick

      Excluir
    2. 20:07 A mesma liderança em foto com o Prefake!

      Excluir
    3. 14:03 E aquele grande programa habitacional não é citado nem pensado afinal as pessoas tem que morar em algum lugar.

      Excluir
  5. *...no Largo do PaiSSandu, para que NÃO se comente sobre...

    ResponderExcluir
  6. Facinho de resolver, governo a.k.a. nós pagamos renovação dos prédios e manutenção pra abrigar tráfico e milícia. Porque é assim também no primeiro mundo, saia dos pontos turísticos e visite prédio popular na Europa e vai ver a "maravilha" que é. Como tudo aqui, importa não a solução (que nem existe), mas capitalizar voto inventando que sabe resolver. No fim do dia todos voltam pros seus aptos lindos e cheios de grades e muros enormes, alem dos seguranças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tive de ler duas vezes para ter certeza de que tinha lido certo:

      https://www1.folha.uol.com.br/colunas/monicabergamo/2018/05/criacao-de-cooperativas-pode-regularizar-cobranca-de-invasoes.shtml

      Procuradores do Ministério Publico estão orientando os invasores a criar cooperativas para cobra as taxas nas invasões.

      Ou seja, em vez do MP identificar e processar a máfia miliciana disfarçada de movimento social, quer encontrar um arranjo jurídico para legalizar essas organizações criminosas.

      O Brasil não é para amadores.

      Excluir
  7. A prefeitura já disponibilizou abrigos para todos os moradores, mas os movimentos sociais impuseram que as famílias continuassem no Largo do Paissandu para instrumentalizarem a exposição midiática. #IssoÉesquerda

    ResponderExcluir