sábado, 14 de abril de 2018

TCHUC-TCHUC PARA CHIANG MAI

Voltamos de ônibus de Siem Reap para Bangkok e, como somos mochileiros no apogeu da adolescência, emendamos com uma viagem de trem para Chiang Mai, no norte da Tailândia. Chegamos à capital antes das cinco da tarde, e o trem só saía às 19h35. Tempo suficiente para o táxi ficar preso em alguns engarrafamentos causados pelo Songkran, o ano novo tailandês (mais no próximo post). Fomos buscar nossos bilhetes na sede da agência 12GoAsia, em frente à estação, e fizemos uma horinha no simpático café de lá, com wi-fi. E aí, tocamos para a nossa plataforma 30 minutos antes da partida - que, pasito a pasito, se transformaram em três longuíssimas horas. Os thai são adeptos da tática "subiu no telhado": foram informando o atraso aos poucos, de cinco em cinco minutos, como se assim fosse mais fácil se acostumar com a ideia. Não foi: a estação estava bem cheia (os locais não se importam de sentar no chão), o calor beirando o insuportável, e o cansaço da viagem anterior quase nos fazia desmoronar.

O trem no. 13 finalmente saiu pouco antes das 23h. Não tínhamos cabine individual, e sim dois assentos que se transformam em um beliche. Um funcionário veio fazer as camas, uma por uma, com notável mau humor, e depois uma outra, bem mais simpática, recolheu os pedidos para o café da manhã. Instalei-me na cama de cima, puxei a cortininha e dormi razoavelmente bem, ajudado pelas músicas do meu telefone. Mas fomos todos acordados antes das sete, bem antes de Chiang Mai, onde só chegamos por volta das onze. Mas não teria adiantado chegar muito antes. Nosso hotel só queria liberar o quarto depois das 14h, e precisamos fazer algum estardalhaço para conseguirmos, enfim, tomar banho e descansar para valer. A adolescência nos deixou exaustos.

9 comentários:

  1. Que legal essa sua viagem Tony, deu invejinha. Da onde vc mais gostou até agora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, fiquei oito dias em Bangkok, que é uma cidade sensacional e inesgotável. Foi de lá que eu mais gostei.

      Excluir
    2. Faço coro ao Tony: Bangkok é uma das grandes cidades do mundo, e é realmente sensacional. Acho difícil imaginar como ou porque alguém não gostaria.

      Excluir
  2. Sem querer estragar suas aventuras da adolescência, lembro que há várias companhias aéreas low cost por aí. A Bangkok Airways e a Thai (que agora tem também uma subsidiária com a Air Asia também, eu acho) são mais do que aceitáveis (e certamente muito melhores do que o trem). Estes trens estão sempre atrasados. Talvez não houvesse nada muito barato na ida por causa do feriado, mas acho que vale a pena passar em uma agência de viagens e consultar sobre a volta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu vou voltar de avião para BKK e te garanto: é MUITO mais caro que o trem.

      Excluir
    2. Sim, eu sei que é muito mais caro do que o trem. Mas ainda relativamente barato no contexto de uma viagem deste porte, não? Entre gastar 15 horas em uma viagem de trem (na melhor das hipóteses, chata) ou R$ 180 por um voo de uma hora (acabei de ver este preço no Google Flights, com certeza aí tem mais barato), eu acho que sei o que eu prefiro. E pelo jeito você também. :)

      Excluir
  3. Gente, toda vez que vejo essas cabines de trem com cama já me vem aqueles filmes pornôs europeus e ex-união soviética com essa temática...

    ResponderExcluir
  4. A linguagem deste post ficou sensacional.

    ResponderExcluir