segunda-feira, 26 de março de 2018

VIAGEM AO FUNDO DA MEMÓRIA


Acho que demorou demais um filme sobre Jacques-Yves Cousteau. O comandante do "Calypso" era figurinha fácil na TV até os anos 80 - trechos de seus programas eram exibidos pelo "Fantástico". Só que ele morreu há duas décadas, e a garotada de hoje talvez não faça ideia de quem foi essa grande mistura de cientista e "entertainer". Cousteau desvendou os oceanos para a minha geração; aliás, foi além. Depois de navegar por todos os mares da Terra, ele adentrou pelo rio Amazonas e descobriu inúmeros segredos da floresta. Pena que essa aventura brasileira não faça parte de "A Odisseia", seu biopic. O roteiro é meio irregular, mas JYC (como ele era chamado pelos íntimos) surge como um idealista generoso, com ótimo senso de marketing e pouco apreço pelas finanças, além de um mulherengo contumaz. Aos 60 anos, Lambert Wilson está com um corpalhaço nas cenas de maiô, e a vozinha de Audrey Tautou me irritou um pouco quando sua personagem envelhece. Mas o melhor do filme, além do Pierre Niney, é o visual deslumbrante, com paisagens que vão da Antártida ao fundo do mar. Viajei bastante, até para a minha infância.

4 comentários:

  1. Mas e aqueles boatos de que ele não era tão amante da natureza assim?

    ResponderExcluir
  2. Waiting for Costeau...

    ResponderExcluir
  3. Olá, sabe onde posso ver ao filme e documentários? Não encontro na internet... obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "A Odisseia" estava disponível para aluguel no Now, não sei se ainda está.

      Os antigos documentários de Cousteau você acha no YouTube.

      Excluir