terça-feira, 20 de março de 2018

"VEEP" COM SANGUE


Armando Ianucci, apesar do nome italiano, é um ator, roteirista e diretor inglês absolutamente genial. Seu trabalho mais famoso é a série "Veep" da HBO, em que Julia Louis-Dreyfus faz uma política incompetente que comanda uma equipe pior ainda. Gente que conhece os bastidores de Washington diz que os políticos de verdade são muito mais parecidos com esses patetas do que com as figuras maquiavélicas de "House of Cards". Mas na úlitma temporada Ianucci deixou o cargo de showrunner de "Veep" para dirigir seu primeiro longa: "The Death of Stalin", que transfere os patetas e puxa-sacos dos EUA para uma das mais violentas ditaduras do século 20. O poder do líder russo é incontestável, e todo mundo se borra de medo dele; ao mesmo tempo, seus asseclas não o respeitam, e falam mal do chefe pelas costas. Quando Stálin finalmente tem um piripaque, ninguém chama logo um médico, numa das sequências mais engraçadas do cinema contemporâneo. E as picuinhas vão se sucedendo no ritmo de uma sitcom, mas com uma pequena diferença. Na Rússia dos anos 50, se matava para valer. Soldados abriam fogo contra o povo, e as intrigas palacianas eram resolvidas a bala. Escorre sangue em "The Death of Stalin", mas nem por isto ele deixa de fazer rir. Não há data de estreia prevista para o Brasil, mas aposto que pelo menos ao sob demanda essa pequena obra-prima do humor negro irá chegar.

5 comentários:

  1. Humor negro? Outrage! Por que humor pesado tem que ser negro? Absurdo esse racismo intrínseco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para de mimimi

      Excluir
    2. Humor negro não pode. OK. E humor pesado pode? Isso é discriminação com os obesos.

      Excluir
  2. Volta Stalin!!! Por favor!!!!
    Mas desta vez no Brasil!!!!

    ResponderExcluir
  3. O Mio Babbino Caro
    Stalin!
    No Brasil quem precisa de Stalin ...

    ResponderExcluir