segunda-feira, 12 de março de 2018

SABIÁ SEM MAJESTADE

Acho bem problemático o fato de Roberta Miranda estar processando uma seguidora que citou, no Instagram da cantora, sua suposta "mulher". Não vou nem entrar no debate se isto é verdade ou não. Parece óbvio que Roberta e sua assessoria querem desestimular especulações; no entanto, entrar na Justiça só joga mais holofotes sobre o caso. Mas o que me incomoda mesmo é reagir como se ser homossexual ainda fosse algo digno de reprovação. A advogada de Roberta acusa a internauta de "ofender a honra ou denegrir a imagem de minha cliente", no estilo do século 19. Esta atitude da cantora está revoltando alguns de seus fãs, e já sinto um cheiro de tiro pela culatra: é isto o que pode denegrir sua imagem, não uma fofoca qualquer. Pensa bem, Roberta. Faça jus à majestade que você sempre teve.

21 comentários:

  1. Que coisa. Depois, ela dá um de pokemon (evoluí), chama a Pabblo Vittar para fazer feat e tudo se resolve.

    ResponderExcluir
  2. A Roberta tomou essa atitude para agradar o seu público de caminhoneiros conservadores eleitores do Bolsonaro. A estratégia é idêntica a do Gustavo Lima qdo declarou ser a favor do porte de armas: primeiro irritar os formadores de opinião progressistas, consequentemente ganhar popularidade através da mídia e finalmente agradar o seu público sertanejo conservador.
    Esqueçam essa mulher, por favor, mais uma oportunista no mundo.

    ResponderExcluir
  3. Não tenho a mínima de quem vcs estão a falar!

    ResponderExcluir
  4. O Mio Babbino Caro
    Por outro lado revela que a realidade de aceitação da homossexualidade (há quanto tempo não escrevia essa palavra) não são essas favas contadas que por algum momento se supõe, e assim como há um subterrâneo de gays enrustidos (outra palavra que não usava a tempo) há um grotão todo a apontar homossexuais como a maior aberração da existência. Fato!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ...off topic
      Hey Tony , nem a promoção da Cultura te animou ir ver "Torquato" nos cinemas.

      Excluir
    2. Não é sempre que aparece um gay daqueles.

      Excluir
    3. Ao 23:04: não conheço o suficiente sobre Torquato para querer ver um filme sobre ele.

      Excluir
    4. Subterrâneo de gays enrustidos. Assim escreveu o comentarista ANÓNIMO. Sim, anónimo pra todos leitores, mesmo que apenas Tony saiba quem seja a alma por trás do codinome bobo.

      Excluir
    5. Torquato, a maquiladora enrustida?

      Excluir
  5. Tony, falando de mulheres à beira de um ataque de nervos, e de lésbicas, a segunda temporada de Jessica Jones (Netflix) está cheia delas e está bem legal.
    Lembra-se da Carrie-Anne Moss (a Trinity do Matrix)? Ela faz uma advogada lésbica super poderosa em um momento difícil da vida, com direito a cenas picantes logo no segundo episódio.

    ResponderExcluir
  6. A nota positiva para contrabalançar:
    Copacabana Palace tem o seu primeiro casamento entre 2 mulheres

    https://glamurama.uol.com.br/galeria/casamento-de-roberta-gradel-e-priscila-raab-agitou-o-copacabana-palace/#7

    ResponderExcluir
  7. Ela é velha e ultrapassada. Assim, age como o tal.

    ResponderExcluir
  8. Me lembrei dessa outra: https://youtu.be/2jMNGyOH2Ms

    ResponderExcluir
  9. Roberta, " vá com Deus"... mofar no armário.

    ResponderExcluir
  10. Achei que ela já tivesse evoluído mais.

    Vejam essa matéria, de uma entrevista que ela deu pra UOL não tem muito tempo:

    “Ela diz que amou muito, mas poucas pessoas. O sujeito da frase sempre vem camuflado com um pronome indefinido ou um substantivo sobrecomum (que serve para ambos os gêneros): “alguém”, “pessoa”, “figura.” Apenas em relação a um caso, definido por ela como uma “paixão avassaladora”, Roberta perde o controle da concordância de gênero:
    “Tive um grande amor, e esse amor não me amava. Foi uma paixão. Eu me apaixonei enlouquecidamente. Um dia, essa pessoa disse pra mim: ‘Ah, pois é. Eu não gosto de você, não amo você, eu tenho alguém na minha vida, eu gostaria muito que você falasse pra ele que foi tudo uma brincadeira, que nós nunca estivemos juntos. Porque é com ele que eu quero ficar.’”
    Ela continua: “Peguei o telefone na frente da Célia (empresária) e disse para a pessoa. ‘Olha, foi tudo uma brincadeira, nós nunca ficamos juntos (..) te ama muito, quer ter filhos com você, você é a vida dele.’” Ela finaliza: “Eu estava doente de paixão. Mas isso é amor. Abri mão do meu amor para que essa pessoa fosse feliz.”
    “O preconceito é asqueroso, cruel, ditador”
    Por sorte, às vezes ela lança pistas que podem facilitar o trabalho. No dia da entrevista, por exemplo, RM havia postado no Instagram a frase: “Não me julgue sem antes calçar os meus sapatos”. Quem seria, dessa vez, o algoz?
    Melhor tentar descobrir por associação, a partir do que ela vai dizendo.
    A palavra é: preconceito. Roberta fala com uma careta de repúdio: “É asqueroso, cruel, ditador. Eu não posso ter algo contra você, se eu não o conheço. Porque você é gay, porque você é negro, porque você é pobre. Você é um ser humano, não um filho da puta!”
    Volta e meia surgem na mídia especulações sobre a orientação sexual da rainha dos caminhoneiros. Dão a entender que ela seria lésbica. A pergunta se torna obrigatória. Ela responde: “Amigo, eu parto do seguinte princípio: quem come de tudo não passa vontade.”

    ResponderExcluir
  11. Pois é Tony. É já esteve na Parada Gay de São Paulo e...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por que 90% dos comentários são de anônimos?

      Excluir
    2. Incluindo o seu . . .

      Excluir
    3. Pq ficou impossível se identificar aqui. Os haters se aproveitaram do anonimato partiram pra selvageria, e fica difícil debater com anônimo. Procure nos arquivos os primeiros anos do blog e veja como era diferente. Pessoas identificadas, conversas civilizadas, uma galera que tava aqui quase todo dia - alguns se tornaram até amigos depois de se conhecer pelos comentários. Agora ninguém usa sequer perfil fake porque é muito esforço pra só conseguir ofensa gratuita. Então virou uma terra de ninguém, ainda mais porque o grau de tolerância do Tony com os comentários é quase ilimitado. E hoje só tem isso: anônimo. E a galera que acrescentava se mandou.

      Excluir
    4. 15:49 Sim, o nosso, oras bolas!

      Excluir