quinta-feira, 1 de março de 2018

QUAQUARAQUAQUÁ

Os comentários do meu post sobre o filme "A Grande Jogada" foram invadidos por uma discussão sobre a importância das bichas loucas para o movimento gay. Como eu não gosto de desvios off-topic, encerrei o debate por lá, mas reabro-o aqui com a minha opinião. Acho que as quaquás e as drag queens foram, sim, a ponta de lança dos LGBT, e por muito tempo. Devemos muito a elas, porque eram as únicas que tinham a coragem de se assumir numa época em que isto dava até cadeia. Eram motivo de chacota nacional, como Denner ou Clodovil, e farto material para os programas humorísticos. Mas, para um gayzinho assustado como eu fui, eram a única prova de que eu não estava sozinho no mundo. Havia outros como eu, e alguns (não todos) até pareciam felizes. Claro que os homossexuais discretos, que só se tornaram mais frequentes a partir dos anos 80, também têm o seu valor. Foram eles que mostraram para o mundo que gay não caiu de outro planeta. Que podemos ser educados, sérios, até mesmo conservadores. Muita gente aderiu à nossa causa por causa deles - e minoria nenhuma conquista direitos sem aliados na maioria. Na verdade, os únicos que nunca fizeram nada pelos colegas são os covardes dos enrustidos. E os enrustidos homofóbicos, então? Esses merecem o inferno.

29 comentários:

  1. Tony, e Daniela Vega, a trans que vai apresentar um prêmio no Oscar? Gostou do filme que ela protagoniza? Achei hiper delicado, sensivel, ainda que sem lá muita história e um certo coitadismo.

    ResponderExcluir
  2. Moro em São Paulo e costumo dizer que meu esporte preferido é conhecer pessoas. De todos os tipos, classes sociais, culturas, etnias e posicionamentos políticos. Digo sem medo de errar: apesar de toda visibilidade e ampliação dos tais direitos, os enrustidos continuam sendo uma parcela significativa do vale. A maioria, arrisco. O rapaz que passou as últimas horas comigo (daqui a pouco amanhece) faz parte desse grupo. Segundo o moço, "a exposição tira todo o tesão". Disse mais: "nada contra quem tem a necessidade de se expor, mas para mim (para ele) é apenas sexo e nada além disso". Confesso que bateu um aperto, pois se trata um rapaz jovem e cheio de potencial, mas covarde. Passará a vida se escondendo, como muitos da minha geração e uma baciada da geração antes de mim. Vida que segue.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 4:18 Conte-no mais desse boy que largou a senhora no meio da madrugada. Usou, abusou e nem ficou para o café? Espero que tenha sido ÓTIMO.

      Excluir
    2. Daqui a pouco ele solta a franga, esse papo de que assumir tira o tesão é mentira, tanto que ele ficou com vc que deve ser assumido.

      Excluir
    3. Sim, conheço MUITOS tbm... O discurso é o mesmo "só gosto da putaria etc etc.." !

      Excluir
  3. Eu votei na Silvete Montila só pela esperança de ver o bafafa e a reflexão consequente que o fato dela querer entrar na câmera de vereadores montada causaria.

    ResponderExcluir
  4. Sendo afefinado bafonico ou não, não devemos nos esconder e aceitar viver escondido no gueto. Fingir que nós não existimos é o principal anseio dos conservadores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Timão é mais um que só consegue entender o conservadorismo através da caricatura criada pela esquerda. Brasil, pátria educadora...

      Excluir
    2. Gueto é tão 2007.
      As bilu agora são mais visiveis do que corrupção do PT.

      Excluir
    3. Anônimo das 10:53. Conservador, como o nome já diz, não gosta de mudança nenhuma quer tudo como sempre foi a séculos. Esses conservadores seletivos que querem conservar um determinada coisa e liberar outra são como os neo-nazistas gays que você acha em São Paulo, não entendem nem um pouquinho a história da causa que apoiam...

      Anônimo 10:57. Sim, e todos devemos comemorar e lutar para que isso continue assim.

      Excluir
    4. Sempre me lembro de uma vez, a décadas atrás, quando ainda estava na escola e falei numa discussão em classe que era normal ser gay. A professora quase infartou e disse que não era normal. Disse ela: que normal era aquilo que se via na rua e em locais públicos. O que era feito de forma escondida, o era feito assim por ser anormal. Acho uma pena que ela, a não ser que seja um Matusalém, não viveu para ver como as coisas estão hoje...

      Excluir
  5. Entao, né... Tony. Várias perspectivas. Te deixo a minha. Não sou militante, não sou afetado, bato continência para drags, gays estriônicas e afins. Vejo com muita normalidade qualquer casal junto HxM, HxH, MxM, HxHxM... Quando jovem eu já sabia que não era o único da espécie, mas olha que interessante: Se me perguntam se sou assumido eu respondo: "Assumir o quê?" O que eu fiz para eu ter que assumir? Negros não precisam assumir o que são, brancos, louros, etc... héteros, celibatários, então eu também não preciso assumir. O que eu faço e isso eu faço é: Galera este é o meu namorado, como qualquer um faria. E para os enrustidos, nada pior na vida do que enganar-se a si, e esta última perspectiva não é minha. É universal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também só avisei a família e os amigos: "esse aqui é o meu namorado". Nunca achei necessário ficar anunciando que sou gay como não acharia necessário ficar anunciando "sou hétero". Acho muito novela das nove esse cena de reunir a família para contar que é gay.

      Excluir
  6. Eu até queria ser discreta, mas sou uma mancha ambulante. Só que faço questão que meus boys sejam masculinos. Não nasci para quebrar louça.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A esquerda diria que vc é machista e misógino. A esquerda não acredita em gosto, mas em algo como programação social.
      Vc não tem livre arbítrio, vc é produto do meio que te fez odiar a si mesmo enquanto feminino.

      Excluir
    2. 16:47 Tá fissurado na esquerda. Vai tratar essa obsessão cara.

      Excluir
    3. 17:45 As OBTUSAS nasceram para isso, às vezes trocam esquerda, por simplesmente petista. Dá Dó!

      Excluir
    4. Enquanto vcs ficam aí com dó, eu fico aqui vendo os seus sendo presos, perdendo eleições e ficando sem discurso e apelando pra frases de efeito, essas sim dignas de pena, apesar de que elas revelam a inteligência tosca que vocês achavam que estavam conseguindo esconder sob o populismo.
      Sigam assim que estamos assistindo com prazer a derrocada.

      Excluir
    5. O Muié, acha o rumo de casa e desaquenda desses "vcs esquerdas, petistas etc...." A fila andou fia.

      Excluir
  7. O Mio Babbino Caro
    "Eu Comunico não Peço"
    (LM)

    ResponderExcluir
  8. "E os enrustidos homofóbicos, então? Esses merecem o inferno."
    Como igualmente merecem os assumidos homofóbicos.

    ResponderExcluir
  9. Merecer o inferno é uma afirmação judaico-cristã, filosofia essa que condena os homossexuais.

    ResponderExcluir
  10. Acho que há estereótipos maléficos, bem como representações positivas. Afinal, as cremosas existem. Há diversidade dentro da comunidade LGBTIQ, inclusive entre gays. Barbies drogaditas-pseudo-saudáveis, bichinhas pão-com-ovo, pessoas intelectuais como eu (acima de todos os rótulos) etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E na Califórnia, como anda?

      Excluir
    2. Intelectual.
      Morri.
      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      Excluir
  11. Viado é tudo igual.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já foi, não são mais. Agora são....DEFUs e BABUs.

      Excluir
  12. Ed 10 e 37 - to contigo e não abro

    ResponderExcluir
  13. Eu penso aqui como alguns termos ficaram bizarros com o passar do tempo. Alguém lembra que entre gays e lésbicas havia os "simpatizantes"? Hahahhaha

    ResponderExcluir