quarta-feira, 14 de março de 2018

O DIABO DO ADVOGADO


De todos os filmes que tiveram algum ator indicado ao último Oscar, só "Roman J. Israel, Esq." não estreou nos cinemas brasileiros, indo direto para o sob demanda. A razão é simples: sua bilheteria nos EUA foi de apenas 11 milhões de dólares, cerca de metade do custo de produção. Tenho cá comigo que o fracasso se deve em grande parte ao título esquisito, que afugenta o espectador. Mas o longa em si não é ruim. Denzel Washington faz um advogado meio excêntrico, com gostos antiquados e um pronunciado sentido de honradez. Para compor o personagem, o ator chegou a tirar as próteses dos dentes incisivos superiores para exibir, pela primeira vez, o espaço natural que tem entre eles. Sua interpretação está sempre meio tom acima da naturalidade, mas não resvala jamais para a caricatura. O plot em si demora a esquentar. O pequeno escritório onde Roman trabalha fecha por causa da morte do dono, e ele é convidado a se transferir para uma firma gigantesca. Só lá pela metade, quando ele toma uma decisão moral para lá de arriscada, é que a coisa deslancha. O diretor Dan Gilroy fez melhor com "O Abutre" alguns anos atrás, mas seu novo longa não é mau. Tampouco é obrigatório: só completistas ensandencidos feito eu é que realmente precisam ver.

6 comentários:

  1. Se não passou nos cinemas, deve valer a pena. Só passa filme de super-herói. O ser humano adulto vive cada vez mais infantilizado num mundo de faz-de-conta. Comendo seu hambúrguer vendido pelo Neymar e falando cada vez mais asneira que tá difícil ler qualquer coisa na internet...

    ResponderExcluir
  2. Depois do trailer, e do seu texto esse, pra mim, entrou no Limbo. Vou ir lá assistir Deadpool 2 para deixar de ser um velho ranzinza e ter assunto com a garotada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 17:01 Não sei como o Tony lida com esses comentários onde ser velho é uma condenação por si...o tempo passa para todos e esses supostos não velhos, a não ser que morram amanhã, terão sérias dificuldades existenciais se é que já não tem, sendo-se o auto promovido tio da "garotada".
      (Sem contar o ridículo e o constrangimento)

      Excluir
    2. Uma coisa é ser velho na idade outra coisa é ter a mente de velho. O Tony nem de e ge tem mente de velho.

      Excluir
    3. 18:29 Eu já ouvi essa pérola em algum lugar...me passa o Dorflex.

      Excluir
    4. Agora vamos proibir falar de idade, velhice, fingir que não existe e que seremos jovens eternamente, usando o creminho de 600 dólares da Madonna?
      Pois eu sou coroa e não me incomoda em nada falar e que falem da velhice, que é uma grande bosta em quase tudo e boa em pouquíssimas.
      Tenho que dormir com isso mesmo que nem fique pensando. Não me define, não me impede de quase tudo, mas veio pra ficar e piorar.

      Excluir