sábado, 24 de março de 2018

ME CHAME PELO MEU NOME


É ótimo termos dois filmes sobre jovens gays se descobrindo em tão pouco tempo. "Com Amor, Simon" é a primeira comédia romântica produzida por um grande estúdio (no caso, a Fox) que tem um protagonista homossexual. Mesmo assim, não vai causar o mesmo impacto nem ganhar os prêmios como "Me Chame pelo Seu Nome", com o qual já está sendo inevitavelmente comparado. Mas aqui o registro é outro: o diretor Greg Berlanti fez quase toda sua carreira na TV, e o filme parece um episódio especial de uma série bem mediana. A premissa não podia ser mais simpática: um garoto bonito chamado Simon acha que está na hora de sair do armário, e ensaia trocando e-mails com um colega de escola - ambos protegidos por pseudônimos. A coragem de finalmente se assumir e assinar com o próprio nome é o verdadeiro desafio do personagem, muito mais do que dar o primeiro beijo (que é incrivelmente casto) ou ir para a cama (não vai). Nick Robinson é uma revelação no papel-título, e sua melhor amiga é feita por uma Katherine Langford bem mais cheinha que a suicida de "13 Reasons Why". Há alguma enrolação e também uns clichês típicos de "rom-com", mas isto não deixa de ser um avanço. O cinema não é feito só de obras de arte: longas de apelo comercial são necessários para manter a indústria. E quem me dera que houvesse um longa comercial desse jeito para me dar coragem, naquela época em que eu era um franguinho apavorado.

9 comentários:

  1. Bonito? Bonito é o pai dele. Que daddy!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marido da fergie e tem fotos dele nu na internet,pena que é bem soft as fotos.

      Excluir
  2. CBYN é um ótimo filme, mas bem pretensioso. Ele pretende ser arte séria. E até consegue (mas cada um pode ter a sua opinião sobre se é boa arte ou não...)
    Já Simon é um filme descarado! No melhor sentido. Ele não quer ser mais do que uma ótima diversão, e nisso ele se esforça ao máximo e consegue ser um filme delicioso, divertido, sensível, corajoso, e que vai acabar sendo o filme da vida de muitos adolescentes.
    Saí do cinema apaixonado.
    Simon não é arte, é uma festa pros gays.

    ResponderExcluir
  3. get real filme ingles, recomendo!

    ResponderExcluir
  4. E quem me dera que houvesse um longa comercial desse jeito para me dar coragem, naquela época em que eu era um franguinho apavorado.+1

    ResponderExcluir
  5. O livro também é bem bonitinho, sem nada demais, além de beijinho, água com açúcar

    ResponderExcluir
  6. Tony! Me chama pelo meu nome e me convida para ver Com amor, Simon!

    ResponderExcluir