quinta-feira, 8 de março de 2018

BOLLY QUE ELE GOSTA

Hoje acordei com várias pessoas diferentes postando em suas timelines esse clipe de cinco anos atrás, do filme indiano "Goliyon Ki Rasleela Ram-leela". Adorei e resolvi postar também, como a minha homenagem ao Dia Internacional da Mulher. Explico: na Bollywood tradicional, só as atrizes tinham que ser lindas. Os atores podiam ser gordos e feios, que ninguém reclamava. Mas até a Índia mudou. É significativo que o gostosérrimo Ranveer Singh rebole sem camisa e arranque suspiros da mulherada (tem até uma mais ousada que lhe passa a mão). Liberação feminina também é a liberdade de demonstrar tesão.

21 comentários:

  1. Eh. Porém, é bom salientar que a Índia (assim como ocorre com o Japão) há uma grande diferença entre o que se vê na tela e o que se vê ao vivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que diferença faz a India não reconhecer direitos Gays co tanto Gay.

      Excluir
  2. O mundo artístico mudou. Agora esperemos que a população como um todo também mude.

    ResponderExcluir
  3. O homem é o rascunho e a mulher é a experiência bem sucedida. Por isso o homem veio primeiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mulher não se permitiu que ela competisse com o homem ombro a ombro na vida. É por isso que não sabemos quantos Albert Einsteins foram simplesmente negados qualquer possibilidade de crescimento.

      Se você barrar as mulheres das mesmas oportunidades que o homem , você está fazendo toda a sociedade e todo o mundo pobre, desnecessariamente pobre.

      Excluir
    2. A função do homem, a sua participação na criação da vida é desprezível. Não é mais do que uma injeção de seringa. Pode ser feita por uma seringa – ele pode ser absolutamente aliviado em participar na reprodução. Ele deve ter sentido isso desde o princípio. E a única maneira de ultrapassar esse complexo de inferioridade foi reduzir a mulher de toda a maneira possível para uma posição tão inferior que o homem pudesse esquecer o seu complexo de inferioridade e começasse a acreditar que ele é superior

      Excluir
  4. O Cristianismo destruiu milhares de mulheres sábias, queimou-as vivas. Mesmo o nome “bruxa” – que significa “uma mulher sábia” e nada mais – tornou-se tão condenatória... e o mesmo aconteceu no Oriente. Todas as religiões proibiram as mulheres.

    Se as mulheres tivessem sido respeitadas no passado, a humanidade não estaria em tamanha bagunça como a de hoje – porque as mulheres são a metade da humanidade. Metade da humanidade manteve-se indigna, ignorante, privada de toda a liberdade, de todo o movimento. Nós dificultamos, demos desvantagens a nós mesmos. Nós destruímos metade de nós mesmos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No Hinduísmo, se o marido morresse, a mulher tinha de saltar viva pra a sua pira funerária. Pensava-se que isso fosse algo espiritual. Isso é homicídio puro – e um homicídio muito bruto e primitivo. Por milhares de anos foi uma grande coisa espiritual, mas é estranho que o homem nunca fizesse tal grande coisa espiritual.

      Excluir
    2. Sim!! No Egito eles respeitavam as mulheres, mas no final do feudalismo e início do capitalismo a perseguição as mulheres se tornou necessária. As razões estar bem claras no livro caliba e a bruxa 🧙🏻‍♀️

      Excluir
    3. 22:23 conta aí pra nóiz!

      Excluir
  5. O Mio Babbino Caro
    Já encontrei uma pá de mulheres Filhas da Puta e uma pá de mulheres que eram demais, torço por elas.

    ResponderExcluir
  6. Os indianos e seus cabelos de comercial de shampoo. Outro dia postei no FB como eu tinha inveja dos cabelos dos indianos aqui de Lisboa. São todos negros, sedosos e com caimento perfeito. Pra quem tem IG, vejam a conta menofindia, fikdik

    ResponderExcluir
  7. Caramba, fiquei sem fôlego, tudo muito intenso, e que indiano heim, afff, delícia, estes cabelos lindos e negros, show!

    ResponderExcluir
  8. Vcs ficam glamourizando a India porque nunca botaram os seus pezinhos por la...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha disse tudo 21h21. Substitua todo esse colorido e beleza por montanhas de lixo, merda e animais em decomposição, hordas de mendigos esfamiados, multidões de loucos e deficientes de todos os tipos, cores e idades... daí dá para começar a imaginar!

      Excluir
    2. Tá descrevendo a Índia ou o Centro Velho de São Paulo?

      Excluir
    3. Se a sua referência é o centro de SP, multiplique aquilo por mil e vc vai ter qualquer cidade grande da Índia. Poluição, trânsito caótico, muita pobreza, muito lixo, animais domésticos amontoados em todos os lados, muita merda nas ruas, literalmente, e uma gente muito fedida sem higiene que não está nem aí pra nada. Essa é a Índia que vc não vê em Bollywood.

      Excluir
    4. Rasheeda Jaleel, de 40 anos, teme não conseguir alimentar seus sete filhos. Por causa da crise econômica desencadeada pelo agravamento da pandemia, as crianças comem apenas uma vez ao dia.
      Abdul Jaleel, trabalhador da construção civil, foi um dos que perderam o emprego por causa da pandemia. Antes, ele ganhava cerca de 500 rúpias por dia. Atualmente, como condutor de riquexó (meio de transporte de tração humana), sua renda caiu para menos de 100 rúpias.

      "Em alguns dias, eu não ganho nada. Como pai, tenho de chegar ao fim do mês de alguma maneira, seja mendigando, pedindo emprestado ou roubando", afirma.

      Excluir
  9. Quero ser chato não, mas acho essaa danças e coreografias indianas horrorosas e chatissimas. Os filmes então, que preguiça.

    ResponderExcluir