terça-feira, 30 de janeiro de 2018

PIROETTE DI SABBIA

Na saída da primeira confraternização do evento que eu vim cobrir em Milão, de repente me vi sozinho diante do Duomo. Como eu gosto de fingir que a minha vida é um filme, pus os fones de ouvido e dei play em "Il Duomo di Notte", clássico de Alberto Fortis. Fiquei por ali alguns minutos, zanzando feito um zanzare e fotografando a catedral sob a lua cheia. As "piruetas de areia" de que fala a letra da música saltavam em 3D, tanta beleza junta que eu nunca mais vou me recuperar. Aí, alterado depois de quatro drinks, percebi que estava perdido e que não sabia voltar para o hotel.

13 comentários:

  1. Respostas
    1. O lançamento de uma ação de branded content de uma grande marca italiana. Vim cobrir para a Ilusrada e para o caderno Mercado da Folha.

      Excluir
    2. Outro dia você corrigiu um fã seu falando que é apenas colunista na Folha... agora você está trabalhando como jornalista também?

      Excluir
    3. Eu faço colaborações para a Ilustrada desde 2009. Geralmente críticas de filmes e programas, mas já fiz matérias como repórter. Até para o caderno Mercado eu já escrevi (e também para Turismo e Cotidiano).

      Excluir
  2. Tony traz um iPhone pra mim? Te pago aqui. Obrigada.

    ResponderExcluir
  3. lalala
    https://justpaste.it/jones

    ResponderExcluir
  4. Ha! Me perdi uma vez assim em Istambul e olha que nem tava bebado, pois não bebo. O pior é que não lembrava o nome do hotel e, como deixava as chaves na portaria, não tinha nenhuma informação dele comigo. Achei que ia ter que viver com os gatos da rua. Sorte que os policiais muito atenciosos que me atenderam me levaram em vários hoteis do centro histórico (onde lembrava que o meu ficava) para ver se reconhecia algum. Depois de uns três achei o meu. Aí toda vez que eu saia, o recepcionista me dava um panfleto do hotel para eu não me perder de novo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me perdi assim em Porto Seguro e não achava minha pousada, me desesperei depois achei. E olha que nem tinha passado na passarela do álcool.

      Excluir
    2. Me perdi assim em Paris! Porém bebeda demais na champ e no ácido ... acordei na beira do Seine inteirinha melecada de porra, os boys me fuderam e me roubaram tudo ...

      Excluir
    3. 13:31 >>> relato de alguém fino e classudo.

      16:26 e 20:51 >>> relato de babuínas bagaceiras.

      Impressionante como o texto desnuda uma pessoa.

      Excluir
  5. O Mio Babbino Caro
    Com'é buono viaggire!

    ResponderExcluir