terça-feira, 23 de janeiro de 2018

FOMOS INDICADOS

Suspiro de alívio: "Me Chame pelo Seu Nome" recebeu quatro gloriosas indicações ao Oscar, das cinco que eu achava possíveis (só Michael Stuhlbarg ficou de fora, do páreo de ator coadjuvante). Fico especialmente embevecido pelo meu protegé Timothée (que os americanos teimam em chamar de Timotí), mas sei que o filme só tem chance mesmo de levar o prêmio de roteiro adaptado e, quiçá, melhor canção. No resto, nenhuma grande surpresa, só pequenas. "The Post" não colou; duas míseras indicacões, ainda que em categorias importantes. "Trama Fantasma" e "Destino de uma Nação", por outro lado, surpreenderam os palpiteiros. O alemão "Em Pedaços", que levou o Globo de Ouro e o Critic's Choice Award e de repente se tornou favorito, acabou ficando fora da disputa pelo Oscar de filme em língua estrangeira. E não, o brasileiro Rodrigo Teixeira não está entre os indicados a melhor filme por "Me Chame pelo Seu Nome": o nome dele não está entre os quatro produtores listados pela Academia. Mas Carlos Saldanha concorre com "O Touro Ferdinando" pelo prêmio de longa em animação, então vai, Brasil!! E vai, "Me Chame". Eu me sinto indicado com você.

35 comentários:

  1. Dúvida: se "A Forma da Água" ganhar o prêmio de melhor filme, será o primeiro Oscar da Disney nessa categoria ou o último da Fox???

    ResponderExcluir
  2. Eu acho que ganha "Três Anúncios Para Um Crime". Eu gostaria que "A Forma da Água" ganhasse. Mas eu gostei mesmo é ver "Corra!" emplacando em melhor filme. Grata surpresa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lou achei Corra um embuste, filme b de terrir com pretensão ideológica sobre racismo, um desastre a ser esquecido.
      A força da água (parece nome de novela da Globo) achei meio infantil. E 3 anúncios é cinema que não sabe se de ação ou papo cabeça e não consegue ser um nem outro, uma bobagem.

      Excluir
    2. "Corra" é medíocre mesmo. Não fosse a questão racial, estaria concorrendo aos Framboesas, e não ao Oscar.

      Excluir
    3. Não da Oscar pra no ninguém!


      Excluir
  3. Beee, Tony, eu te venero. Seríssimo. Mas a senhora escreveu embriagado foi? kkkkk. "Me Chamem pelo Seu Nome", a senhoura assiste o filme por três vezes e ainda erra na caligrafia. Pelamor, kkkk. Faltou falar de uma mulher fantástica, que foi lá e conseguiu indicação. Muita gente falou que Daniela Vega tinha chance de ser indicada, mas ela foi solenemente ignorada nas premiações pré-oscar, e convenhamos, houve expectativa elevada demais para uma possível nomeação de Daniela. Mas a Academia foi lá e indicou o filme. E né por nada não, mas talvez Armie Hammer tivesse mais chances de ser indicado como coadjuvante que o Michael Stuhlbarg. Michael, o pai que todos nós gays levaremos no fundo do coração ever.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escrevi exausto, isto sim. Hoje acordei às 5 da manhã, fui para o Rio no voo das 6:50, tive reunião até uma e pouco, cheguei de volta ao SDU às 14:15, me puseram no voo das 16:10 que saiu às 17 e ficou sobrevoando SP porque CGH estava fechado. Cheguei de volta em casa às 19:30. Tá boa?

      Obrigado, já corrigi.

      Excluir
    2. Putz, desculpa. Não precisa dizer mais nada, vou dá o fora daqui. A pessoa faz uma brincadeira, enfim. E nem sabia como foi teu dia. Mas deixa para lá. obrigado pelo convite, estou de saída.

      Excluir
    3. Ou seja, um tipico dia de quase todo trabalhador brasileiro, só que em trem e ônibus lotado e fedido, em vez de taxi e avião cheiroso como seu caso.

      Excluir
    4. Sim, dia típico de um trabalhador brasileiro.

      Esqueci de dizer que a tal da reunião na verdade era um brunch, com uma mesa repleta de sanduichinhos e petits-fours e docinhos e suco verde e outras guloseimas.

      Excluir
    5. Tá nervosa, bilu?

      Excluir
  4. A Academia ama PTA, e trama fantasma é o ultimo filme estrelado por Daniel Day-Lewis, está explicado porque o filme surpreendeu nas indicações. Se Guillermo del Toro vencer, será o terceiro mexicano a vencer o Oscar de direção desde 2014, num curto espaço de tempo. Lembrando que Alejandro González Iñárritu venceu por dois anos consecutivos, e Alfonso Cuarón venceu em 2014. Ah, e Corra, gente, filmão, foi indicado. Corra é um filme que abre um leque de discussão para muitas situações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. C jura ne? Puta filme bobo e ridiculamente se fingindo militante.

      Excluir
  5. Timothy arrasou mesmo. Merecido!
    Quanto a Churchill de Gary Oldman, eu não consigo não comparar com o Churchill de John Lithgow em The Crown, que me parece muito melhor... Fora que o filme "O destino de uma nação" é beeeeem chato!
    Mas pior q tudo isso aí é "A forma da água"... Filme lindamente filmado, excelentes atores, trilha perfeita! Mas que roteiro absurdo...!
    Metáforas bem difíceis de engolir...
    Onde estão os bons roteiristas??? Ah...
    Na TV....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc foi perfeito na sua observacao a respeito de A FORMA DA AGUA.

      Excluir
  6. A Forma da Água é o filme mais fraco desse diretor!

    ResponderExcluir
  7. Eu me sinto indicado com você.+1 Mas Tony, vamo prestar atenção no figurino, que Jackie a sra me envergonhou - mas já foi. Vamos focar em Trama Fantasma, sua horrorosa =)

    ResponderExcluir
  8. A forma da água é magistral, ideia, roteiro, interpretações, realização, direção de arte. É o melhor filme da corrida do Oscar, seguido pelo belíssimo Me chame pelo seu nome.
    Três billboards em Ebbing, Missouri é excelente, mas prima por uma violência exacerbada e até mesmo desnecessáriallllll

    ResponderExcluir
  9. A forma da água é magistral, ideia, roteiro, interpretações, realização, direção de arte. É o melhor filme da corrida do Oscar, seguido pelo belíssimo Me chame pelo seu nome.+1

    ResponderExcluir
  10. Escrevi exausto, isto sim. Hoje acordei às 5 da manhã, fui para o Rio no voo das 6:50, tive reunião até uma e pouco, cheguei de volta ao SDU às 14:15, me puseram no voo das 16:10 que saiu às 17 e ficou sobrevoando SP porque CGH estava fechado. Cheguei de volta em casa às 19:30. Tá boa?

    Obrigado, já corrigi.

    tonya, operária do texto, operária da cultura. destruidora - loiraça boazuda gostosa pra caramba e agora tb ursa. lidem com isto.

    ResponderExcluir
  11. vou assistir get out depois de todo o planeta terra ter visto - como devo encarar hein tonya?

    ResponderExcluir
  12. Tony, vc sabe que o Thi nem sabe que você existe, não é? Esse tipo de crush a gente entende num colegial que nunca levou pau. Not your case, as many know.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é novo aqui no blog, né?

      Eu tenho toda uma tradição de noivos imaginários. O cantor francês Benjamin Biolay foi um deles durante anos, assim como o ator espanhol Eduardo Noriega.

      O Timmy é 35 anos mais novo do que eu. Não vou cair no ridículo de chamá-lo de meu noivo, mesmo que imaginário. Mas é meu protégé: vou defendê-lo ods perigos dessa vida, quer ele queira ou não.

      Excluir
    2. Que fofo! Eu estava brincando com vc, pois além de qualquer coisa sei que vc é bem humorado e a little sarcástico, então deve gostar que tbm brinquem com vc (sendo respeitoso, claro).
      Beijo na glande.

      Excluir
  13. E os 60 mil do Zeca pra familia do sertanejo? Achei punição à liberdade de expressão e opinião.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo.

      Até já fiz coluna no F5 sobre este assunto:

      http://bit.ly/2DFeAJb

      Excluir
  14. Mas vento que bate lá, bate cá.

    "Críticas negativas, que já são chamadas de preconceito e até de incitação ao ódio por quem se sente atingido por elas, agora podem ser passíveis de ações penais."

    Você não foi um dos que acharam isso das críticas à Pablo? Que era ódio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho perfeitamente normal alguém não gostar de Pabllo Vittar por achar que ele não tenha voz ou que as músicas sejam ruins.

      Mas dá para perceber, muitas vezes, que quem reclama dele na verdade não gosta de drags nem de gays. Não chega a ser incitação ao ódio, mas é homofobia.

      Excluir
  15. Baseado em sua resposta sobre o público ter aversão aos gays, o que explicaria o sucesso de Freddie Mercury, Renato Russo,Cazuza, Kid Vinil, Marina Lima, entre outros. Eu acho que vc deveria se ater ao conteúdo artístico e atrelar a isso, as críticas que ele recebe. A crítica se deve ao seu trabalho no meio artístico e não pelo fato de ele ser gay. Vejo tmb com receio, sua matéria acerca da condenação de Zeca Camargo. Nela, vc diz que assim como vc, milhares de pessoas se fizeram a mesma pergunta. Só se esqueceu de dizer o alcance que os comentários dessas pessoas alcançou. Ao meu ver, cabe ao jornalista conhecer bem o tema ou a pessoa a quem ele vá falar sobre, caso contrário, ele passa a ser apenas mais um palpiteiro de internet. Qd vc fala que a TV Globo amargou na audiência de coberturas de eventos semelhantes, deveria ter citado exemplos para que o argumento não ficasse tão solto no ar. Quer dizer então que Zeca Camargo sabia que sua TV tinha percebido baixa audiência em outras coberturas mas ao mesmo tempo,não sabia quem era o cantor nem reconhecia o alcance que ele talvez tivesse num meio que ele mesmo trafega com desenvoltura, a música? Ou pelo fato de o artista não ter o espaço grandioso que , por exemplo, Luan Santana, tem na emissora?
    Estes textos especificamente e na minha opinião, deixaram mais lacunas do que alguma margem que permitisse uma conclusão de fato.
    Sou músico guitarrista, não concordo com a decisão judicial em desfavor do jornalista, vc não publicou as respostas do Zeca às críticas recebidas na época, acho que ele trabalhou mal, não sou jornalista nem apreciava a música do cantor morto,para não dizerem que sou viúva do artista.

    ResponderExcluir
  16. Vmos por partes.

    Freddie Mercury nunca se assumiu gay. Ele mesmo só admitiu que estava com AIDS um dia antes de morrer.

    Renato Russo contou para uma revista que era gay e pouca gente percebeu. Na época não havia internet e o fato não teve repercussão. O grande público só soube da homossexualidade dele depois que ele morreu, em 1996.

    Cazuza sim, sempre foi exibido e assumido. E era malahdíssimo por isto, você lembra? O que teve de gente que se rejubilou quando ele morreu, em 1990...

    Kid Vinil foi outro que jamais se assumiu. Povo só ficou sabendo que ele era gay depois que ele morreu.

    Marina Lima nunca falou com todas as letras, sempre deu indiretas. E jamais foi uma cantora de enorme sucesso. Seu público faz mais a linha cult.

    Agora, compare a avalanche de críticas que Daniela Mercury recebe até hoje por ter se assumido lésbica...

    Ninguém é obrigado de gostar da Pabllo. Mas você já viu os memes que circulam contra ela na internet, principalmente entre os bolsominions? Ódio em estado puro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, já que o público é mais ou menos homofóbico devido ao alcance da notícia ou do tipo de artista, deve-se fazer uma análise mais profunda, veja:
      No caso Daniela Mercury, hétero desde o início de sua longa carreira, era natural causar alguma surpresa e até mesmo críticas e chacotas. Imagine o furor causado por Bell Marques se hoje, fosse à imprensa dizer que depois de casado por tanto tempo, estivesse neste momento apresentando seu marido. Tente imaginar a quantidade de memes na internet com o assunto. Outro exemplo para que o caso do Vittar não se torne uma generalização, Fernanda Gentil não sofreu tanto quanto Daniela Mercury. A que se deve esse fenômeno já que um público que manifesta sua aversão a gays por ser homofóbico, não atacou diretamente a jornalista? O mesmo não aconteceu com Luiz Fernando Guimarães, famoso, gay e vivo. Ana Carolina, artista mais popular que Marina Lima, goza de prestígio e respeito "mesmo" sendo gay; Tmb não tenho notícia de que o ator Leonardo Vieira tenha sofrido ataques homofóbicos após ser fotografado beijando um cara numa boate; Eu acho que cada artista tem sua empatia ou antipatia particular, da mesma que se observa entre Cláudia Leitte e Ivete Sangalo. Os críticos em sua maioria contra Cláudia Leitte, não recebem nenhum rótulo por serem totalmente contrários às atitudes ou ao modo como conduz seu trabalho. Metem o pau a qualquer aparição da moça na TV, logo surge um batalhão empenhado em fazer comparação, dizendo que ela não tem talento, inclusive.
      Ou seja, eu acho que reduzir as opiniões antipáticas ou empáticas por conta da opção sexual do artista,não seja justo pq o argumento não se sustenta quando se faz uma comparação mais ampla. Em qualquer carreira que surja, irá surgir um gosto grande assim como aversão, mas homofobia acredito não ser o termo mais adequado.
      Quanto aos memes, é praticamente impossível medir a visão íntima do público geral em relação ao famoso a partir dessa prática. Tome outro exemplo: Anderson Silva, lutador de MMA aclamado no Brasil e no mundo, amado muito mais do que odiado. Quebrou sua perna durante a luta com Chris Weidman, perdeu a revanche do título perdido e, no instante seguinte já haviam memes com sua desgraça estampada.
      Vai acontecer isso com o Pabllo, Roberto Carlos antes do show da Globo, com a Gretchen, Com o Flamengo, Vasco, com todo mundo que for notícia.
      Se nós formos medir todo tipo de gosto assim, teremos inclusive que dar razão ao pai do Cristiano Araújo que se sentiu ofendido por seu filho morto não ser reconhecido como ícone pelo jornalista. O que quero dizer com isso é que independentemente da nossa vontade particular, haverá os amados, os odiados, os conhecidos, desconhecidos, os sacaneados, ignorados.Daqui a pouco some o Pabllo e surge outro cigano Igor, que é hétero, sacaneado até pouco tempo atrás sem ser defendido por ninguém.

      Excluir
    2. Concordo totalmente, o grande e fatal erro das militâncias atuais tem sido generalIzar tudo. Estamos sendo forçados a abandonar a individualidade e nos olharmos como grupos. Se eu fui mal em algo, é porqur sou gay, o fulano é porque é negro, o outro por ser gordo, a fulana por ser mulher. Estamos reduzindo a esses aspectos todas nossas histórias e frustrações. Claro que há situações em que somos rejeitados por essas coisas, mas tbm por muitas outras, desde baixa capacidade, falta de empenho etc etc. Não devíamos comprar essa história de que pertencemos a categorias e que tudo nas nossas vidas, de bom a ruim, se deve a isso. Somos seres únicos e temos nossa própria história.
      Porque senão, em vez do Tony estar no UOL e onde mais ele está, e por mérito dele, deveria estar outro menos privilegiado, e não o branco bem nascido e bem criado.

      Excluir
  17. http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/europe/italy/8182388/Versace-murdered-because-of-debts-to-Mafia.html taí 2 informantes falaram que quem matou o versace foi a mafia. falei...

    ResponderExcluir