quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

TUDO FORA DO LUGAR

Conheço a fama de escroto do juiz Roy Moore desde que ele ergueu um monumento aos Dez Mandamentos no saguão da Assembleia Legislativa do estado do Alabama, num flagrante conflito com a separação entre Igreja e Estado. O sujeito já tentou minimizar a escravidão e arriscou que os homossexuais mereceriam a pena de morte, "como está na Bíblia". Sua eleição ao Senado americano parecia favas contadas, até que surgiram várias denúncias de que ele teria abusado sexualmente de garotas adolescentes. A direita raivosa contra-atacou, fazendo com que uma militante levasse denúncias falsas ao jornal "The Washington Post", na torcida para desacreditar a imprensa e a maré contra Moore. Não deu certo. O juiz hipócrita perdeu para um democrata pró-escolha, que já botou membros do Ku Klux Klan na cadeia - um espanto para um estado que há 25 anos só elege republicanos, e onde Trump bateu Hillary no ano passado por mais de 30 pontos. Pois é, rapeize, tudo tem limite. Com a vitória democrata nas eleições do mês passado e mais nessa agora, os prognósticos para as "mid-term" do ano que vem não são nada bons para o maluco que ocupa a Casa Branca. Quem sabe assim a Terra finalmente volta a girar em seu eixo?

22 comentários:

  1. O Mio Babbino Caro
    Volto a dizer: Trump é o canto de cisne dos W.A.S.P.

    ResponderExcluir
  2. Foi de todo modo, apesar das circunstanciais que se tornaram favoráveis a Doug JOnes, uma vitória arrebatadora. Porque eu apostava ainda todas as fichas numa vitória de Roy Moore. Porque, o Alabama é o Alabama. Mas nem o Alabama quis dar a vitória a um sujeito tão abjeto quanto Moore. Aliás, como era de se esperar, Moore não concedeu a vitória a Jones, disse que iria pedir recontagem de votos. A lei do Alabama permite recontagem com diferença de 0,5%, no caso a diferença de Jones sob Morre foi de 1,5%. Mas o que esperar de um babaca como Morre se não tal tipo de comportamento? Sim, e Moore culpou os gays e transgêneros por sua derrota, disse que nossos estilos de vida são destrutivos, e que fomos fundamentais para espalhar as mentiras (???) sobre os abusos cometidos por ele por quase uma dezena de mulheres, ao menos daquelas que vieram se manifestar em público. A derrota de Moore é excelente, e prova que mesmo num estado como o Alabama, ainda há um fio de esperança que num suspiro profundo se torna uma realidade maravilhosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até mesmo no Alabama! Enquanto na linda Pindorama...

      Excluir
  3. 14:35 Aqui um sujeitinho que perdeu por 3% também pediu recontagem mas não insistiu muito pois viu ser mais fácil conseguir e conseguiu reverter a derrota no tapetão.

    ResponderExcluir
  4. "Quem sabe assim a Terra finalmente volta a girar em seu eixo?"
    Tá, existe uma diferença entre Bush e Trump. E ela se refere ao fato de Bush ser do establishment, e Trump não. Tony, na boa, você vê alguma diferença do que o Bush fez em 2004 contra os gays naquela campanha presidencial, e o que Trump faz agora contra as minorias? Pergunto porque as pessoas tratam a presidência de Trump como o fim do mundo (o que é mesmo), mas é como se nos últimos anos não tivesse nenhuma presidência nesse estilo nos EUA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bush era terrível. Um sujeuto fraco, ignorante, pusilânime, que levou a economia americana ao colapso em 2008 e provocou um guerra desnecessária com o Iraque que custou caríssimo, em dinheiro e vidas. Também discriminou os gays para garantir sucesso eleitoral entre os evangélicos. Foi o pior presidente americano de todos os tempos, até então.

      E aí veio o Trump...

      Excluir
    2. Até o Bush se horroriza com o Trump.

      Excluir
  5. A esquerda segue tentando destruir o EUA, de dentro para fora. Quando conseguirem, irão se dar conta do erro, mas será tarde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha o fanfic de direita aí, gente!

      Excluir
    2. Eu tbm te acho fanfic, Tony. Fanfic da situação, dança pra onde a música toca.

      Excluir
    3. A direita não perdoa!
      Quem não faz leva. Taí a competência da agenda Temer e os 13 anos Lula e ainda impeachmentiado. do poder kkkk

      Excluir
  6. Pois é, rapeize, tudo tem limite. SERÁ mesmo tonya carreto, será mesmo que tem limites, REPEIZE ....?

    ResponderExcluir
  7. Os staites estao tao mas tao fora de moda que somente vcs cafonas coloniais ainda nao semderam conta.
    Nos as moderrrnas e antenadas estamos na linha fode-se os steites! vcs ja eram e agora tem gente muito mais inteligente pra seguir! Bye steites and ah foda-se!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade. A gente não semderam.

      Excluir
    2. Vc comtoda certeza não , tia veia é assim mm! Garanto que é daquelas que ainda assiste novela hahaahahahaha

      Excluir
    3. Eu não memdero!

      Excluir
    4. Deu bye steites e foi para a Venezuela!

      Excluir
  8. Moore sequer era o candidato da preferência de Trump, mas os desinformantes da Fake Press fingem que não sabem disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas na hora em que Moore foi oficializado como o candidato republicano, Trump fez intensa campanha por ele.

      Excluir
    2. Você queria que Trump fizesse campanha pelo democrata, Tony???

      Excluir
    3. Eu queria que o Trump explodisse em um bilhão de pedacinhos.

      É questão de tempo.

      Excluir
    4. Essas bichas Câmara de Gás estariam tecendo loas a seus algozes. É sério, não tem jeito. Fazer o quê Arnaldo?

      Excluir