quarta-feira, 1 de novembro de 2017

PROTESTE JÁ

Ontem fez 500 anos que Martinho Lutero pregou suas famosas 95 teses nas portas da catedral de Wittenberg, o marco zero da Reforma Protestante. Uma das causas de sua revolta era a venda de indulgências pela Igreja Católica: os fiéis compravam um lugarzinho no céu, enquanto o Vaticano enchia as burras do tesouro. Cinco séculos e milhares de novas denominações depois, fico só pensando na reação de Lutero ao ver que os neopentecostais, esses neo-vendilhões do templo com suas toalhinhas milagrosas, ainda têm o desplante de se dizer protestantes.

14 comentários:

  1. é tudo fator mercadológico! a partir de hoje, Tonyah deixa de ser Tonyah para ser 'I, Tonya' por causa do vindouro filme!

    ResponderExcluir
  2. E eu estou lá interessado em saber das evanjas?
    Só quero saber da minha geladeira que comprei por 10 mil dólares e que fala comigo, me ensina receitas com as coisas que estão lá dentro, um luxo né meninas!! Incrível !!

    ResponderExcluir
  3. uns anos atrás o Thiago satirizava os crentes, hoje a piada do momento é Jessicão, A Feminista, os posts hilários do Joselito Muller e a Zamininha
    é complicado de aceitar que neopentecostais são pessoas, ou que eles tem direitos civis assim como qualquer pessoa, e enquanto você fica trancafiado no seu condomínio, essas pessoas seguem suas vidas normalmente sem medo, e você fica no seu capitalista MacBook escrevendo suas visões espetaculares.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ninguém duvida que os neopentecostais sejam pessoas ou que tenham direitos. A dificuldade está justamente no contrário, ou seja, no fato de que eles (ou a parcela vulgarmente conhecida por "fiscais de c*") não aceitam que os outros tenham direitos também. Se querem torrar dinheiro com o óleo ungido da Babilônia, se acham mesmo que houve um diluvio que exterminou os dinossauros, ou que usar saia curta vai deixar Jesus todo cheio de rancor, isso é problema deles. Mas quando passam a acreditar que têm autoridade para decidir se eu posso ou não me casar, se eu posso ou não beijar em público, ou passam a defender que psicólogos de quinta categoria saiam "curando" a população em geral, então desculpe, não tem como ter respeito mesmo. #voltaCley

      Excluir
    2. Exatamente. Cada um pode acreditar no que quiser, sem ser importunado por isto. O que NINGUÉM pode é tentar impor suas crenças para quem não acredita.

      Excluir
    3. aproveitando, I Tonya, saia do armário, a senhora é atéia? Nada contra os ateus! Eu até simpatizo com um ceticismo light.

      Excluir
  4. Amiga me conta mais nessa noite de insônia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lutero era hiper-antissemita. Do tipo de fazer inveja ao tio adolfo.

      Excluir
  5. Estou lendo o livro Colunas de Fogo do Ken Follett que narra justamente o período da reforma protestante. Estou achando muito divertido e INFORMATIVO sobre o tema. É o mesmo autor de Os Pilares da Terra e Queda de Gigantes.

    ResponderExcluir
  6. E pensar que algumas denominações luteranas e protestantes da Alemanha e Canadá ordenam sacerdotes gays e permitem casamentos gays, ou abençoam uniões gays!
    Nick

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na Alimanha nem casamento gay tinha há 2 meses atrás!

      Excluir
    2. http://www.bbc.com/portuguese/internacional-41086781

      "Já no caso do casamento entre homossexuais, a aceitação religiosa veio bem antes da legal. Desde 2013, regionais da EKD começaram a aprovar e realizar o matrimônio homoafetivo. O Parlamento alemão, porém, só legalizou o casamento gay em junho deste ano."7

      Nick

      Excluir
  7. O Mio Babbino Caro
    Tenho dúvidas se esses evangélicos de plantão, se quer ouviram falar de Lutero. Ou seja, a raiz disso tudo que estamos vendo e vivendo, é mesmo a ignorância.

    ResponderExcluir
  8. Um dos maiores legados da reforma protestante foi o estado laico, não queriam a igreja metica em política. Hoje infelizmente isso não é mais respeitado.

    ResponderExcluir