terça-feira, 14 de novembro de 2017

LOS JUEGOS DEL HAMBRE


Tem gente comparando "Deserto", o filme escolhido pelo México para disputar o último Oscar, com o clássico "Encurralado" de Steven Spielberg. Afinal, aqui também se trata de uma perseguição implacável com uma paisagem árida ao fundo. Mas o longa de estreia de Jonás Cuarón - filho do premiado Alfonso Cuarón - me lembrou também uma versão tex-mex dos "Jogos Vorazes", aquela trilogia futurista sobre uma espécie de Olimpíada onde os jovens se caçam uns aos outros, até sobrar só um. "Deserto" tem um único caçador: um gringo tão alucinado que parece uma caricatura do eleitor de Donald Trump. O sujeito curte patrulhar a fronteira dos EUA com o México e, quando cruza com um bando de imigrantes ilegais, atira para matar. Esse fiapo de roteiro é conduzido com segurança pelo jovem Cuarón, que escalou o mais conhecido dos atores de sue país - Gael García Bernal - para o protagonista. Mas o filme revela um lado tão negro do sonho americano que até os republicanos devem ter se incomodado. Talvez por isto a Academia tenha ignorado solenemente este thriller realista.

3 comentários:

  1. Affe, os EUA tem uma cultura péssima eles muito religiosos ignorantes racistas machistas e tem pouca classe. A produção cultural americana reflete isso. Nos assistimos consumimos pq n tem muita escolha;) resumindo o mundo agradece o declínio do império principalmente o Brasil

    ResponderExcluir
  2. Fui no museu da imigração em Londres, tinha uma história muito interessante. Basicamente era uma mulher que fugiu da guerra e foi pros EUA, ai rolou um lance com um negro na frente dela, ela falou: aqui eu não fico. Foi pra Inglaterra, o filho hj mora nos EUA e ela com muita relutância vai visitar. Ela simplesmente não suporta a segregação racismo etc... Faz sentido. O EUA continua no topo mas já não é mais um império, o mundo agradece. Infelizmente a segunda guerra destruiu a Europa da belle epoche como centro da civilização mas a Ásia vem com tudo e eu prefiro as culturas asiáticas mil vezes. Amen for that! Espero que até o fim da minha vida não tenha que suportar a cultura sexista e de mau gosto americana.

    ResponderExcluir
  3. Tem certeza que a cultura asiática é mellhor. Os americanos ao menos tem uma boa música popular...

    ResponderExcluir