segunda-feira, 13 de novembro de 2017

18 A 1

Ando tão enojado do cenário político brasileiro que venho deixando passar em branco aqui no blog os descalabros mais recentes. Não emiti um pio sobre a acintosa troca de comando da Polícia Federal, onde assumiu um apaniguado de Sarney com o indisfarçável propósito de estancar a sangria da Lava-Jato. Nada falei sobre a destituição de Tasso Jereissati da presidência do PSDB pelo "walking dead" Aécio Neves, inclusive porque, para mim, o partido já está morto e enterrado: só voto em tucano no segundo turno se o oponente for Lula ou Bolsonazi. Mas os 18 a 1 que uma comissão especial da Câmara marcou ao aprovar a tramitação de um PL que proíbe o aborto no Brasil em qualquer caso me arrepiou os pelinhos do braço. Os 18 votos a favor vieram todos de deputados homens, a maioria da bancada da Bíblia; a única voz dissonante também foi a da única mulher presente, Erika Kokay do PT do DF. Rodrigo "Bolinha" Maia já avisou que este retrocesso não será aprovado em plenário, além do mais porque o resultado seria uma hecatombe - vai morrer MUITO mais mulher do que já morre em aborto clandestino. Obrigar alguém a levar a termo a gestação do fruto de um estupro ou de um feto anencéfalo, que não conseguirá sobreviver fora do ventre, é de uma violência absurda aos meus olhos. Mas é o tal negócio: quase todos que votaram eram homens, e  todo mundo sabe que, se os homens engravidasse o aborto seria um sacramento. E assim caminha o Brasil, nas mãos de gente que quer manter seus privilégios e o resto do país nas trevas.

14 comentários:

  1. O Brasil acabou, a ampulheta já está virada aqui só esperando quando os gays serão considerados terroristas, perseguidos e presos igual na Rússia.

    ResponderExcluir
  2. Érika Kokay é deputada pelo PT do Distrito Federal, e não de SP.

    ResponderExcluir
  3. Erika Kokay é do PT do DF.

    ResponderExcluir
  4. O Mio Babbino Caro
    Gostaria de ver um desses deputados embalando seu rebento, fruto de estupro, gestado no útero de suas princesas.
    E a constituinte cidadã que se foda né.

    ResponderExcluir
  5. Não fale assim, você pode ferir a sensibilidade da DIREITONA coments que apoiou o GOLPE.

    ResponderExcluir
  6. "só voto em tucano no segundo turno se o oponente for Lula ou Bolsonazi."
    Cuidado. Me lembro que ano passado você falou que só votaria no Doria se ele fosse para um segundo turno contra Celso Russomano. Nem teve segundo turno, e você mesmo disse que acabou votando no Haddad. Há muita coisa ainda para acontecer daqui até a eleição presidencial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entendi. Você está dizendo que eu fui incoerente? Não me arrependo de ter votado no Haddad. Acho que ele é um bom quadro, muito melhor que o Lula.

      Desconfio que nem Lula nem Bolsonazi chegarão ao segundo turno em 2018. Lula provavelmente nem irá concorrer: será barrado antes pela Justiça. E Bolsonazi não vai ter tempo na TV, e será desmontado facilmente pelos rivais. Fora que um candidato viável do centro-direita irá esvaziá-lo com rapidez.

      Excluir
    2. Nada de incoerência. Não é isso. Me refiro que tu talvez mude de voto, como fez ano passado para prefeito de São Paulo.

      Excluir
    3. Qual é o candidato ilibado a disputar essas eleições???? Colocar
      Lula no patamar de Bolsonazi me obriga a acreditar que os cérebros foram corroído como diria Duvivier.
      Sheherazade manda lembrancas.

      Excluir
  7. Sei que você não vai publicar, mas essa Kokay é uma farsa na política.

    ResponderExcluir
  8. só voto em tucano no segundo turno se o oponente for Lula ou Bolsonazi. É CUIDADO! ia falar outra coisa, mas o comentário do 19 e 35 pegou para capar no galinheiro até o sol raiar!

    ResponderExcluir